Abrir menu principal

Alterações

88 bytes adicionados, 19h40min de 3 de fevereiro de 2017
→‎Campos de concentração e escravidão: fiz três ligações internas.
 
=== Campos de concentração e escravidão ===
 
{{ArtigoPrincipal|Campo de concentração|Campo de principalextermínio|vt=sGueto|Lista dos campos de concentração nazistas}}
 
{{AP|vt=s|Holocausto|Negacionismo do Holocausto|Críticas ao Negacionismo do Holocausto|Gulag|Triângulos do Holocausto}}
 
[[Imagem:Buchenwald-bei-Weimar-am-24-April-1945.jpg|thumb|O senador estadunidense [[Alben W. Barkley]], membro do comitê que investigava os crimes nazistas, ao lado de corpos de prisioneiros do [[campo de concentração]] de [[Buchenwald]], na [[Alemanha]]]]
{{Artigo principal|Holocausto|Gulag|Campo de concentração|Campo de extermínio|Gueto|Triângulos do Holocausto}}
{{Artigo principal|vt=s|Lista dos campos de concentração nazistas}}
 
Os nazistas foram responsáveis ​​pelo [[Holocausto]], a matança de cerca de seis milhões de [[Judaísmo|judeus]] (esmagadoramente [[asquenaze]]s), bem como dois milhões de poloneses e quatro milhões de outros que foram considerados "indignos de viver" (incluindo os deficientes e doentes mentais, [[prisioneiros de guerra]] soviéticos, [[homossexuais]], [[maçons]], [[testemunhas de jeová]] e [[ciganos]]), como parte de um programa de extermínio deliberado. Cerca de 12 milhões, a maioria dos quais eram do [[Leste Europeu]], foram empregados na economia de guerra alemã como trabalhadores forçados.<ref name="compensation">{{Citar web|url=http://www.dw-world.de/dw/article/0,2144,1757323,00.html|título=Final Compensation Pending for Former Nazi Forced Laborers|data=27 de outubro de 2005|acessodata=19 January 2010|primeiro= Michael|último=Marek|arquivourl =http://www.webcitation.org/5mtTTntBR| arquivodata =19 de janeiro de 2010|obra=dw-world.de|publicado=Deutsche Welle}}</ref>
Segundo o historiador Zhifen Ju, pelo menos cinco milhões de civis chineses do norte da China e de [[Manchukuo]] foram [[Escravidão|escravizados]] pelo Conselho de Desenvolvimento da Ásia Oriental, ou Kōain, entre 1935 e 1941, para trabalhar nas minas e indústrias de guerra. Após 1942, esse número atingiu 10 milhões.<ref name="zhifen2002">{{Citar web|último=Ju|url=http://web.archive.org/web/20110514111323/http://www.fas.harvard.edu/~asiactr/sino-japanese/session6.htm|primeiro=Zhifen|título=Japan's atrocities of conscripting and abusing north China draughtees after the outbreak of the Pacific war|obra=[http://www.fas.harvard.edu/~asiactr/sino-japanese/minutes_2002.htm Joint Study of the Sino-Japanese War:Minutes of the June 2002 Conference]|publicado=Harvard University Faculty of Arts and Sciences|data=June 2002|acessodata=18 February 2010}}</ref> A [[Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos]] estima que, em [[Java]], entre 4 e 10 milhões de ''[[romusha]]s'' ({{lang-ja|"trabalhadores braçais"}}) foram forçados a trabalhar pelos militares japoneses. Cerca de 270.000 destes trabalhadores javaneses foram enviados para outras áreas dominadas pelos japoneses no [[Sudeste Asiático]] e somente 52.000 foram repatriados para Java.<ref name="indonesiaww2">{{Citar web| url=http://lcweb2.loc.gov/cgi-bin/query/r?frd/cstdy:@field(DOCID+id0029)|título=Indonesia: World War II and the Struggle For Independence, 1942–50; The Japanese Occupation, 1942–45| acessodata=9 February 2007|publicado=Library of Congress|ano=1992}}</ref>
 
Em 19 de fevereiro de 1942, [[Franklin Delano Roosevelt|Roosevelt]] assinou a Ordem Executiva 9066, internando milhares de [[japoneses]], [[italianos]], [[estadunidenses]], [[alemães]] e alguns emigrantes do [[Havaí]] que fugiram após o bombardeio de [[Pearl Harbor]] durante o período da guerra. Os governos dos [[Estados Unidos]] e do [[Canadá]] internaram 150.000 estadunidenses-japoneses,<ref name=vetshome/><ref>{{Cite book|publisher=Office of the Prime Minister |date= 24 January 1947|work= Department of Labour|title= Report on the Re-establishment of Japanese in Canada, 1944–1946|page= 23|isbn= 0405112661 |author=Department of Labour of Canada.}}</ref> bem como cerca de 11.000 alemães e italianos residentes nos EUA<ref name=vetshome>{{Citar web|título=Concentration camps and slave work|publicado=Vets Home|url=http://www.vetshome.com/world_war_2_page_5.htm |acessodata=12 de novembro de 2009|arquivourl=http://www.webcitation.org/5mtX2kt9s|arquivodata=19 de janeiro de 2010}}</ref> (''ver: [[Campos de concentração nos Estados Unidos]]'' e ''[[Crimes de guerra dos Aliados]]'').
 
Em conformidade com o acordo Aliado feito na [[Conferência de Ialta]], milhões de prisioneiros de guerra e civis foram usados em trabalhos forçado por parte da [[União Soviética]].<ref>Eugene Davidson "The death and life of Germany: an account of the American occupation". ISBN 978-0826212498 p.121</ref> No caso da [[Hungria]], os [[húngaros]] foram forçados a trabalhar para a União Soviética até 1955.<ref>{{Citar web|url=http://www.epa.hu/00400/00463/00007/pdf/155_stark.pdf |título="Malenki Robot" – Hungarian Forced Labourers in the Soviet Union (1944–1955)|formato=PDF |primeiro=Tamás|último=Stark|obra=Minorities Research|acessodata=22 de janeiro de 2010}}</ref>
3 044

edições