Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste: diferenças entre revisões

sem resumo de edição
m
{{ER|9|2=[[Usuário(a):Juniorpetjua|Juniorpetjua]] ([[Usuário(a) Discussão:Juniorpetjua|discussão]]) 03h50min de 6 de fevereiro de 2017 (UTC)}}
{{Info/Agência do governo
| nome da agência = Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste
| nome nativo = Sudene
| nome nativo_a =
| nome nativo_r =
| logo = Sudene logo.png
| logo-tam = 250px
| logo-des =
| foto = Edificio Sudene.jpg
| foto-tam = 280px
| foto-desc = Edifício sede da Sudene, localizado no [[Recife]], [[Brasil]]
| formada = {{Dtlink|||1959|idade}}
| precedida1 = GTDN
| precedida2 = Codeno
| precedida3 = ADENE
| desfeita =
| substituiu =
| jurisdição = {{BRAb}} [[Região Nordeste do Brasil|Região Nordeste]] e a porção norte dos estados de [[Minas Gerais]] e do [[Espírito Santo (estado)|Espírito Santo]]
| sede = [[Recife]]
| latg= |latm= |lats= |latNS=
| longg= |longm= |longs= |longLO=
| código da região =
| empregados =
| orçamento =
| ministro1_nome =
| ministro1_pfo =
| ministro2_nome =
| ministro2_pfo =
(etc.)
| chefe1_nome =
| chefe1_posição =
| chefe2_nome =
| chefe2_posição =
(etc.)
| tipo de agência =
| agência mãe =
| agência filha1 =
| agência filha2 =
(etc.)
| documento chave =
(etc.)
| website =
| notas de rodapé =
}}
A '''Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste''' ('''Sudene''') é uma autarquia especial, administrativa e financeiramente autônoma, integrante do Sistema de Planejamento e de Orçamento Federal, criada pela [[Lei Complementar]] nº 125, de 3 de janeiro de 2007, com sede e foro na cidade do [[Recife]], estado de [[Pernambuco]], e vinculada ao [[Ministério da Integração Nacional]]. A missão institucional da Sudene é de "promover o desenvolvimento includente e sustentável de sua área de atuação e a integração competitiva da base produtiva regional na economia nacional e internacional".<ref>[http://www.sudene.gov.br/site/menu.php?idioma=ptbr&cod=202 Sudene.] Página oficial.</ref>
 
Estão sob jurisdição da Sudene os estados de [[Alagoas]], [[Bahia]], [[Ceará]], [[Maranhão]], [[Rio Grande do Norte]], [[Paraíba]], [[Pernambuco]], [[Piauí]], [[Sergipe]] e, parcialmente, os estados de [[Minas Gerais]] e do [[Espírito Santo (estado)|Espírito Santo]].
 
==História==
 
A primeira tentativa de criação de um órgão de fomento ao desenvolvimento do [[nordeste do Brasil]] se deu com o [[Grupo de Trabalho para o Desenvolvimento do Nordeste]] (GTDN). Em 1958 o GTDN foi transformado em Conselho de Desenvolvimento do Nordeste (Codeno).<ref>{{citar web|url=http://www2.uol.com.br/JC/cadernosdonordeste/ne2710_2.htm |título=Sudene 40 anos: a herança |publicado=Cadernos do Nordeste/UOL}}</ref>
 
Criada originalmente pela Lei 3.692, de 1959, a Sudene veio substituir o modelo dos dois órgãos precedentes a ela (GTDN e Codeno). Foi idealizada no governo do presidente [[Juscelino Kubitschek]], tendo à frente o [[economista]] [[Celso Furtado]], como parte do programa desenvolvimentista então adotado.
[[Imagem:Área de jurisdição da Sudene.svg|thumb|esquerda|Área de jurisdição da Sudene.]]
Seu principal objetivo era encontrar soluções que permitissem a progressiva diminuição das desigualdades verificadas entre as regiões geoeconômicas do Brasil. Para tal fim, foram engendradas ações de grande impacto, tais como a colonização do [[Maranhão]], os projetos de irrigação em áreas úmidas, o cultivo de plantas resistentes às secas, entre outras. Absorvida pelas administrações que se seguiram, durante a [[Ditadura militar no Brasil (1964-1985)|Ditadura militar]] foi tendo cada vez mais seu uso desviado dos objetivos iniciais, sendo considerada uma entidade que, além de não realizar os fins a que se propunha, era um foco de corrupção. Por conta disso e após uma sucessão de escândalos, em 1999 a imprensa iniciou um debate sobre a existência do órgão, extinto finalmente em 2001 por [[Fernando Henrique Cardoso]].
 
A retomada das propostas de Juscelino e Furtado, porém, foi defendida pela administração [[governo Lula|Lula]]<ref>[http://www.fundaj.gov.br/observanordeste/obed001g.html Fundaj]</ref>, e finalmente o órgão foi, em 2002, recriado, desta feita com o nome de Agência do Desenvolvimento do Nordeste e a sigla ADENE, ainda durante o governo [[Fernando Henrique Cardoso]].
 
A ADENE foi criada pela medida provisória número 2.146-1, de 4 de maio de 2001, alterada pela medida provisória número 2.156-5, de 24 de agosto de 2001 e instalada pelo decreto número 4.126, de 13 de fevereiro de 2002. Com a lei complementar 125/07<ref>http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LCP/Lcp125.htm</ref>, a Sudene foi reimplantada, sendo extinta a ADENE.
 
A Sudene tem como finalidade promover o desenvolvimento includente e sustentável de sua área de atuação e a integração competitiva da base produtiva regional na economia nacional e internacional.
 
Até hoje a Sudene não obteve os resultados esperados. Criou-se a expressão "indústria da seca" para justificar a existência do órgão e da promoção de muitos políticos.
 
A área de atuação da Sudene é a totalidade de nove estados nordestinos e o extremo norte de Minas Gerais; mais tarde; em 1998, toda a porção mineira do Vale do Jequitinhonha e o norte do Espírito Santo foram incluídos na área da Sudene.
 
{{Referências}}
* [[Demétrio Magnoli|MAGNOLI, Demétrio]]; ARAÚJO, Regina - ''Geografia: a construção do mundo: Parte II.'' São Paulo: Editora Moderna, 2005.
 
== Ver também ==
* [[Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia]] (SUDAM)
* [[Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste]] (SUDECO)
* [[Superintendência da Zona Franca de Manaus]] (SUFRAMA)
 
==Ligações externas==
*{{oficial|http://www.sudene.gov.br/}}
*[http://www.historianet.com.br/conteudo/default.aspx?codigo=470 Sudene no Historianet]
 
{{Região Nordeste do Brasil}}
{{Política de desenvolvimento regional do Nordeste}}
{{Portal3|Região Nordeste do Brasil}}
[[Categoria:Economia do Brasil]]
[[Categoria:Economia da Região Nordeste do Brasil]]
[[Categoria:Autarquias do Brasil]]
19 937

edições