Abrir menu principal

Alterações

Sem alteração do tamanho ,  11h48min de 13 de fevereiro de 2017
sem resumo de edição
{{ver desambig|redir=Longplay|o álbum do cantor brasileiro Lulu Santos|Longplay (álbum)}}
[[Ficheiro:Vynil vinil 92837841.png|251x251px|thumb|Exemplo de um disco de vinil.]]
O '''disco de vinil''', conhecido simplesmente como '''vinil''', ou ainda '''''Long Play''''' ('''LP'''), é uma [[mídia]] desenvolvida no final da [[década de 1940]] para a reprodução [[música|musical]], que usa um material plástico chamado ''[[vinil (plástico)|vinil]]''<ref>[http://books.google.com.br/books?id=h8c5AAAAIAAJ ''The Fabulous Phonograph'']. Roland Gelatt. Cassell & Company. 1954. ISBN 0-304-29904-9</ref> (normalmente feito de [[Policloreto de vinila|PVC]]), usualmente de cor preta, que registra informações de [[áudio]], que podem ser reproduzidas através de um [[toca-discos]].
 
O disco de vinil possui microssulcos ou ranhuras em forma espiralada que conduzem a agulha do toca-discos da borda externa até o centro no sentido horário. Trata-se de uma gravação [[Circuito analógico|analógica]], mecânica. Esses sulcos são microscópicos e fazem a agulha vibrar. Essa vibração é transformada em sinal elétrico. Este sinal elétrico é posteriormente [[amplificador|amplificado]] e transformado em som audível ([[música]]).<ref name="MP3">[http://books.google.com.br/books?id=aKZbCeLJivkC ''MP3: Música, Comunicação e Cultura'']. Clóvis Ricardo Montenegro de Lima; Rose Marie Santini de Oliveira. Editora E-papers. ISBN 9788576500551</ref>
O disco de vinil surgiu no ano de [[1948]], tornando obsoletos os antigos [[disco de goma-laca|discos de goma-laca]] de 78 rotações - RPM (rotações por minuto) - que até então eram utilizados, existentes desde [[1890]]. Os discos de vinil são mais leves, maleáveis e resistentes a choques, quedas e manuseio (que deve ser feito sempre pelas bordas). Mas são melhores, principalmente, pela reprodução de um número maior de músicas - diferentemente dos discos antigos de 78 RPM - (ao invés de uma canção por face do disco), e, finalmente, pela sua excelência na qualidade sonora, além, é lógico, do atrativo de arte nas capas de fora.
 
A partir do final da [[década de 1980]] e início da [[década de [[1990]], a invenção dos ''[[compact disc]]s'' (ou CD, então lançado em [[agosto]] de [[1982]] na [[Alemanha]] pela [[Polygram]]) prometeu maior capacidade, durabilidade e clareza sonora, sem chiados, fazendo os discos de vinil ficarem obsoletos e desaparecerem quase por completo no fim do [[Século XX]].<ref>[http://oglobo.globo.com/blogs/amplificador/posts/2013/02/26/a-ascensao-queda-dos-formatos-musicais-de-1980-2010-487761.asp Ascensão e queda dos formatos musicais]</ref> Em [[maio]] de [[2002]] saem nos EUA os primeiros títulos em [[DataPlay]], lançados inicialmente por [[Britney Spears]] e [[NSync]]. Nesse mesmo ano o CD já dominava 72% do mercado mundial.<ref>[http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT385311-1664,00.html O legado do CD] - Revista Época, 9 de setembro de 2002</ref>
 
== Processo de fabricação ==