Abrir menu principal

Alterações

5 bytes adicionados ,  23h45min de 22 de fevereiro de 2017
Erros de português.
{{Principal|Torá oral}}
[[Imagem:Talmud.jpg|thumb|Primeira página da edição de [[Vilna]] do ''Tractate Berachot'', Talmude [[Babilônia (região)|babilônico]], ''folio 2a''.]]
Originalmente, o estudo acadêmico do [[judaísmo]] era oral. Os [[rabino]]s expunham e debatiam a lei (isto é, a [[Torá]]) e discutiam o [[Tanakh]] sem o benefício das obras escritas (além dos próprios livros bíblicos), embora alguns possam ter feito anotações privadas (''meguilot setarim''), por exemplo, a respeito das decisões de cortes. A situação se mudou drasticamente, no entanto, principalmente como resultado da destruição da comunidade judaica no ano de {{DC|70|x}}, e os consequentes distúrbios nas normas legais e sociais judaicas. À medida em que os rabinos foram forçados a encarar uma nova realidade — principalmente a dumde um judaísmo sem um [[Templo de Salomão|Templo]] (para servir como centro de estudo e ensino) e de uma [[Judeia]] sem [[autonomia]] — surgiu uma enxurrada de discursos legais, e o antigo sistema de estudiosidade oral não pôde ser mantida. Foi durante este período que o discurso rabínico passou a ser registrado na escrita.<ref>Ver Strack, Hermann, ''Introduction to the Talmud and Midrash'', Jewish Publication Society, 1945. pgs. 11-12. "[A Lei Oral] foi transmitida de boca a boca, durante um longo período… As primeiras tentativas de anotar os assuntos tradicionais, existem motivos para se acreditar, datam da primeira metade do segundo século pós-cristão." Strack teoriza que o crescimento dum [[cânone]] [[Cristianismo|cristão]] (o [[Novo Testamento]]) foi um fator que teria influenciado os rabinos a registrar a lei oral através da escrita.</ref><ref>A teoria de que a destruição do Templo e a subsequente desordem foi explicada pela primeira vez na Epístola de [[Sherira Gaon]], e repetida frequentemente. Ver, por exemplo, Grayzel, ''A History of the Jews'', Penguin Books, 1984, p. 193.</ref> A primeira lei oral registrada pode ter sido na forma dos [[Midrash]], na qual a discussão [[Halaca|haláquica]] está estruturada como comentários [[Exegese|exegéticos]] sobre o [[Torá|Pentateuco]]. Uma forma alternativa, porém, organizada pelos tópicos de assuntos, em vez dos versos bíblicos, tornou-se dominante por volta do ano {{DC|200|x}}, quando o rabino [[Judá HaNasi]] redigiu a [[Mishná]] (משנה).
 
A lei oral estava longe de ser monolítica ,variando enormemente entre diversas escolas. As duas mais famosas eram a Escola de [[Shammai]] e a Escola de [[Hillel, o Ancião|Hillel]]. No geral, todas as opiniões, mesmo as não-normativas, eram registradas no Talmude.
Utilizador anónimo