Abrir menu principal

Alterações

1 067 bytes adicionados, 04h18min de 12 de março de 2017
ajustando datas, ajustando nome/parametro de predefinições do inglês para português usando JavaScript
[[File:Monarchies_of_America2.png|direita|miniaturadaimagem|{{Legenda|#A51645|[[monarquia|monarquias]] americanas}}
{{Legenda|#ff6ea7|Monarquias nao americanass}}{{Legenda|#967bff|Países com pretendentes, com as modernas fronteiras e as hitóricas respectivamente no reclame dos Tronos}}]]
[[Ficheiro:Crown_of_Saint_Edward_(Heraldry).svg|direita|miniaturadaimagem|[[Coroa de Santo Eduardo|Coroa de São de Edward]], embora, na verdade, uma parte das [[Joias da Coroa Britânica|Jóias da Coroa Britânica]], é usada na heráldica de os Estados Americanos, com a Rainha [[Isabel II do Reino Unido|Elizabeth II]] como soberana. <ref>{{citecitar web|url=http://www.pch.gc.ca/pgm/ceem-cced/fr-rf/drap-pers-eng.cfm|last=Department of Canadian Heritage|authorlink=Department of Canadian Heritage|titletítulo=Ceremonial and Canadian Symbols Promotion > The Canadian Monarchy > The Queen's Personal Canadian Flag|publisherpublicadopor=Queen's Printer for Canada|accessdateacessodata=1 Decemberde dezembro de 2008}}</ref><ref>{{citecitar journalperiódico|last=Royal Household at Buckingham Palace|authorlink=Royal Household#The Royal Household of the United Kingdom|journalperiódico=Royal Insight Magazine|titletítulo=Mailbox|issue=September 2006|publisherpublicadopor=Her Majesty's Stationery Office|locationlocal=London|url=http://www.royalinsight.gov.uk/output/Page5467.asp|accessdateacessodata=1 Decemberde dezembro de 2008}}</ref>]]
Atualmente há 13 '''[[monarquia]]s nas [[América|Américas]]''' ([[Autorregulamentação|que se autogovernam]]; Estados e territórios que têm um [[monarca]] como [[Chefe de Estado|chefe de Estado]]). Cada Estado é uma [[monarquia constitucional]], em que o soberano herda de seu cargo, geralmente mantendo-o até a morte ou que [[Abdicação|abdique]], e está vinculada por leis e costumes no exercício de seus poderes. Dez dessas monarquias são Estados independentes, e compartilhar igualmente Rainha [[Isabel II do Reino Unido|Elizabeth II]], que reside principalmente no [[Reino Unido]], assim como seus respectivos soberanos, tornando-os parte de uma rede global de agrupamento conhecido como [[Reinos da Comunidade de Nações|Reinos da Commonwealth]], enquanto os três restantes são [[Lista de territórios dependentes|dependências]] das monarquias Europeias. Como tal, nenhuma das monarquias nas Américas tem um monarca que resida permanentemente.
 
 
==== Antígua e Barbuda ====
A monarquia de [[Antígua e Barbuda]] tem suas raízes na [[Monarquia de Espanha|monarquia espanhola]], sob a autoridade de que a ilha foi colonizada no final do século XV, e, mais tarde, passou a [[Monarquia do Reino Unido|Monarquia Britânica]], como uma [[Colônia da coroa|colônia da Coroa]]. Em 1 de novembro de 1981, o país obteve a independência do [[Reino Unido]], mantendo o então monarca reinante, Elizabeth II, como monarca da recém-criada monarquia de Antígua e Barbuda. A monarca é representada no país pelo [[Governador-geral de Antígua e Barbuda|Governador-Geral de Antígua e Barbuda]], Senhor Rodney Williams.<ref name="FCO">{{citecitar web|url=http://www.fco.gov.uk/en/about-the-fco/country-profiles/north-central-america/antigua-barbuda|last=Foreign and Commonwealth Office|authorlink=Foreign and Commonwealth Office|titletítulo=Country profiles > North & Central America and Caribbean > Antigua and Barbuda|publisherpublicadopor=Her Majesty's Stationery Office|accessdateacessodata=18 Januaryde janeiro de 2009}}</ref>
 
Elizabeth e seu [[Príncipe consorte|consorte]], [[Filipe, Duque de Edimburgo|o Príncipe Philip, Duque de Edimburgo]], incluíram Antígua e Barbuda em 1966 no tour pelo [[Caribe]], e, novamente, no tour do Jubileu de Prata da Rainha em outubro de 1977. Elizabeth II voltou mais uma vez em 1985.<ref>{{citecitar web|url=http://www.royal.gov.uk/output/Page4928.asp|titletítulo=The Monarchy Today > Queen and Commonwealth > Other Caribbean realms|last=Royal Household at Buckingham Palace|publisherpublicadopor=Her Majesty's Stationery Office|accessdateacessodata=1 Decemberde dezembro de 2008}}</ref> Para o país no 25º aniversário da independência, em 30 de outubro de 2006, [[Eduardo, Conde de Wessex|o Príncipe Edward, Conde de Wessex]], inaugurou no país o novo edifício do Parlamento, e leu uma mensagem de sua mãe, a Rainha. SAR, O Duque de York, visitou Antígua e Barbuda, em janeiro de 2001.<ref name="FCO">{{citecitar web|url=http://www.fco.gov.uk/en/about-the-fco/country-profiles/north-central-america/antigua-barbuda|last=Foreign and Commonwealth Office|authorlink=Foreign and Commonwealth Office|titletítulo=Country profiles > North & Central America and Caribbean > Antigua and Barbuda|publisherpublicadopor=Her Majesty's Stationery Office|accessdateacessodata=18 Januaryde janeiro de 2009}}</ref>
 
==== Bahamas ====
A Monarquia de [[Bahamas]] tem suas raízes na [[Monarquia Espanhola]], sob a autoridade do que a ilha foi colonizada no final do século XV, e, mais tarde, passou a [[Monarquia Britânica]], como uma [[Colônia da coroa|Colônia da Coroa]], depois de 1717. Em 10 de julho de 1973, o país obteve a independência do [[Reino Unido]], mantendo a então monarca reinante, Elizabeth II,<ref>{{citecitar web|url=http://www.bahamas.gov.bs/bahamasweb2/home.nsf/vContentW/AD50C97FCEE345FE06256F02007F60C0|last=Government of the Bahamas|authorlink1=Politics of the Bahamas|titletítulo=The Government of the Bahamas > About The Government > Overview and Structure of the Government|publisherpublicadopor=Government of the Bahamas|accessdateacessodata=1 Decemberde dezembro de 2008}}</ref> como monarca da recém-formada da [[Monarquia das Bahamas]]. A monarca é representada no país pelo [[Governador-geral das Baamas|Governador-Geral das Bahamas]], Dama Marguerite Pindling.<ref>{{citecitar web|url=http://www.bahamaislandsinfo.com/index.php?option=com_content&view=article&id=5343:sir-arthur-foulkes-is-new-governor-general-&catid=34:Bahamas%20National%20News&Itemid=147|titletítulo=Sir Arthur Foulkes is new Governor-General|accessdateacessodata=14 Aprilde abril de 2010}}</ref>
 
==== Barbados ====
A [[Monarquia de Barbados]] tem suas raízes na [[Monarquia do Reino Unido|monarquia inglesa]], sob a autoridade do que a ilha foi reivindicado em 1625 e colonizada em 1627.<ref name="BParlHist">{{citecitar web|url=http://www.barbadosparliament.com/history.php|last=The Clerk Of Parliament|titletítulo=The Barbados Parliament > Parliament's History|publisherpublicadopor=Parliament of Barbados|accessdateacessodata=1 Decemberde dezembro de 2008}}</ref>  No século XVIII, Barbados se tornou um dos principais locais da Coroa Britânica na autoridade das [[Índias Ocidentais Britânicas]], e então, depois de uma tentativa em 1958, de [[Federação das Índias Ocidentais|uma federação com outras colônias das Índias Ocidentais]], continuou como um auto-governo  colonial, até que, em 30 de novembro de 1966, o país obteve a independência do [[Reino Unido]], mantendo a então monarca reinante, Elizabeth II, como monarca da recém-formada da monarquia de Barbados. A monarca é representada no país pelo [[Governador-geral dos Barbados|Governador-Geral de Barbados]], Sir [[Elliot Belgrave]].<ref>{{citecitar web|url=http://www.barbados.gov.bb/gg.htm|last=Government Information Service|titletítulo=Government > Governor General|publisherpublicadopor=Government of Barbados|accessdateacessodata=5 Januaryde janeiro de 2009|archiveurl=https://web.archive.org/web/20081118142029/http://www.barbados.gov.bb/gg.htm <!--Added by H3llBot-->|archivedatearquivodata=18 Novemberde novembro de 2008}}</ref>
 
Em 1966, o primo de Elizabeth II, [[Eduardo, Duque de Kent|o Príncipe Edward, Duque de Kent]], abriu a segunda sessão do primeiro parlamento do recém-criado país,<ref name="BParlHist">{{citecitar web|url=http://www.barbadosparliament.com/history.php|last=The Clerk Of Parliament|titletítulo=The Barbados Parliament > Parliament's History|publisherpublicadopor=Parliament of Barbados|accessdateacessodata=1 Decemberde dezembro de 2008}}</ref> antes de a Rainha, juntamente com o Príncipe Philip, Duque de Edimburgo, percorrer Barbados. Elizabeth voltou para o seu Jubileu de Prata, em 1977, e, novamente, em 1989, para marcar o 350º aniversário do estabelecimento do Parlamento de  Barbados.<ref name="BParlHist">{{citecitar web|url=http://www.barbadosparliament.com/history.php|last=The Clerk Of Parliament|titletítulo=The Barbados Parliament > Parliament's History|publisherpublicadopor=Parliament of Barbados|accessdateacessodata=1 Decemberde dezembro de 2008}}</ref><ref name="Buck1">{{citecitar web|url=http://www.royal.gov.uk/output/Page4928.asp|last=Royal Household at Buckingham Palace|titletítulo=The Monarchy Today > Queen and Commonwealth > Other Caribbean Realms|publisherpublicadopor=Her Majesty’s Stationery Office|accessdateacessodata=1 Decemberde dezembro de 2008}}</ref>
 
O ex-[[Primeiro-ministro de Barbados|Primeiro-Ministro]] Owen Arthur pediu um referendo sobre o país se tornar uma república, a ser realizado em 2005,<ref>{{citecitar newsjornal|last=Thomas|first=Norman|titletítulo=Barbados to vote on move to republic|publisherpublicadopor=Caribbean News|datedata=7 Februaryde fevereiro de 2005|url=http://www.caribbeannetnews.com/2005/02/07/vote.shtml|accessdateacessodata=1 Januaryde janeiro de 2009|deadurl=yes|archiveurl=https://web.archive.org/web/20071228082001/http://www.caribbeannetnews.com/2005/02/07/vote.shtml|archivedatearquivodata=28 Decemberde dezembro de 2007}}</ref> embora a votação foi, em seguida, postergada  para " pelo menos 2006" a fim de acelerar do país na integração no [[Comunidade do Caribe|CARICOM Mercado e Economia]]. Foi anunciado em 26 de novembro de 2007, que o plebiscito seria realizado em 2008, em conjunto com as eleições gerais daquele ano.<ref>{{citecitar newsjornal|last=Staff|titletítulo=Referendum on Republic to be bundled with election|publisherpublicadopor=Caribbean Broadcasting Corporation|datedata=26 Novemberde novembro de 2007|url=http://www.evernetcorp.com/index2.php?option=com_content&do_pdf=1&id=13417|accessdateacessodata=27 Novemberde novembro de 2007}}</ref> A votação foi, no entanto, adiada novamente para um momento posterior, devido à preocupações administrativas.<ref>{{citecitar newsjornal|first=Chris|last=Gollop|titletítulo=Vote Off|url=http://www.nationnews.com/story/317791120649409.php|publisherpublicadopor=The Nation|datedata=2 Decemberde dezembro de 2007|accessdateacessodata=22 Januaryde janeiro de 2009}}</ref>
 
==== Belize ====
Belize foi, até o século XV, uma parte do [[Civilização maia|Império Maia]], contendo pequenos Estados dirigido por um hereditário governante conhecido como um ''[[ajaw]]'' (mais tarde ''k'uhul ajaw'').[[#cite_note-Maya1-13|<span class="mw-reflink-text">[N 1]</span>]]{{#tag:ref|Both terms appear in early Colonial texts (including ''Papeles de Paxbolón'') where they are used as synonymous to Aztec and Spanish terms for supreme rulers and their domains – ''tlahtoani'' (''[[Tlatoani]]'') and ''tlahtocayotl'', ''rey'', or ''magestad'' and ''reino'', ''señor'' and ''señorío'', or ''dominio''.|group=N|name=Maya1}} A presente [[Monarquia de Belize]] tem suas raízes na [[Monarquia Espanhola]], sob a autoridade de que a área foi colonizada no século XVI, e, mais tarde, foi para a [[Monarquia Britânica]], como uma [[Colônia da coroa|Colônia da Coroa]]. Em 21 de setembro de 1981, o país conquistou sua independência do Reino Unido, mantendo a então monarca reinante, Elizabeth II, como monarca da  recém-formada da Monarquia de Belize.<ref>{{citecitar web|url=http://www.governmentofbelize.gov.bz/ab_politics.html|last=Government of Belize|authorlink=Politics of Belize|titletítulo=About Belize > Politics > Constitution and Government|publisherpublicadopor=Government of Belize|accessdateacessodata=5 Januaryde janeiro de 2009}}</ref> A monarca é representada no país pelo [[Governador-geral do Belize|Governador-Geral de Belize]], Sir [[Colville Young|Colville Jovens]].<ref>{{citecitar web|url=http://www.fco.gov.uk/en/about-the-fco/country-profiles/north-central-america/belize|last=Foreign and Commonwealth Office|authorlink=Foreign and Commonwealth Office|titletítulo=Country profiles > North & Central America and Caribbean > Belize|publisherpublicadopor=Her Majesty's Stationery Office|accessdateacessodata=18 Decemberde dezembro de 2008}}</ref>
 
==== Canadá ====
[[Ficheiro:Mohawk-kings.jpg|direita|miniaturadaimagem|300x300px|Pintura dos Quatro Reis Moicano, feito durante a sua visita a Rainha [[Ana da Grã-Bretanha|Ana]] em 1710]]
Os [[Povos ameríndios do Canadá|povos aborígenes do Canadá]] tinham um sistema de governança, organizados em uma forma similar ao conceito [[Ocidentais (livro)|ocidental]] de monarquia;<ref>{{citecitar web|url=http://www.worldandi.com/specialreport/2001/october/Sa21577.htm|last=Kehoe|first=Alice Beck|titletítulo=First Nations History|publisherpublicadopor=The World & I Online|datedata=Octoberoutubro de 2001|accessdateacessodata=2 Januaryde janeiro de 2009|deadurl=yes|archiveurl=https://web.archive.org/web/20110610234600/http://www.worldandi.com/specialreport/2001/october/Sa21577.htm|archivedatearquivodata=10 Junede junho de 2011}}</ref> exploradores Europeus muitas vezes referiam os líderes hereditários das tribos como reis.<ref>{{citecitar web|url=http://www.pequotmuseum.org/Home/CrossPaths/CrossPathsFall2002/JohnSimonsEngravingsoftheFourKingsMoreThanMeetstheEye.htm|last=Simon|first=John|titletítulo=Engravings of the Four Kings: More Than Meets the Eye|publisherpublicadopor=Pequot Museum|accessdateacessodata=1 Januaryde janeiro de 2009}}</ref> A presente Monarquia do Canadá tem suas raízes nas monarquias [[Monarquia da França|francesa]] e [[Monarquia da Inglaterra|inglesa]], sob a autoridade do que a área foi colonizada em nos séculos XVI e XVIII, e, mais tarde, foi à [[Monarquia Britânica]]. O país tornou-se um auto-governado com a confederação em 1 de julho de 1867, reconhecido como um Reino em seu próprio direito,<ref>{{citecitar web|url=http://www.pch.gc.ca/pgm/ceem-cced/publctn/101/102-eng.cfm|last=Department of Canadian Heritage|authorlink=Department of Canadian Heritage|titletítulo=The Crown in Canada|publisherpublicadopor=Queen's Printer for Canada|accessdateacessodata=2 Januaryde janeiro de 2009|deadurl=yes|archiveurl=https://web.archive.org/web/20141210231140/http://www.pch.gc.ca/pgm/ceem-cced/publctn/101/102-eng.cfm|archivedatearquivodata=10 Decemberde dezembro de 2014}}</ref> , mas não com total autonomia legislativa em relação a Coroa Britânica, até a passagem do [[Estatuto de Westminster]], em 11 de dezembro de 1931,<ref name="COM">{{citecitar booklivro|last=MacLeod|first=Kevin S.|titletítulo=A Crown of Maples: Constitutional Monarchy in Canada|publisherpublicadopor=Her Majesty the Queen in Right of Canada|url=http://www.pch.gc.ca/pgm/ceem-cced/fr-rf/crnCdn/crn_mpls-eng.pdf|isbn=978-0-662-46012-1|accessdateacessodata=2 Januaryde janeiro de 2009}}</ref> de mantendo o monarca reinante, [[Jorge V do Reino Unido|George V]], como monarca da recém-formada da [[Monarquia do Canadá]]. A monarca é representada no país pelo [[Governador-geral do Canadá|Governador Geral do Canadá]], [[David Johnston]], e em cada uma das províncias por um [[Tenente governador (Canadá)|vice-governador]].<ref>{{citecitar web|url=http://www.mun.ca/govhouse/duties.html|last=Government House|authorlink=Government House (Newfoundland and Labrador)|titletítulo=Role and duties of the Lieutenant-Governor|publisherpublicadopor=Memorial University|accessdateacessodata=18 Januaryde janeiro de 2009|archiveurl=https://web.archive.org/web/20080223001655/http://www.mun.ca/govhouse/duties.html|archivedatearquivodata=23 Februaryde fevereiro de 2008}}</ref>
 
==== Granada ====
A Monarquia de [[Granada (país)|Granada]] tem suas raízes na [[Monarquia da França|Monarquia francesa]], sob a autoridade de que a ilha foi colonizada em meados do século XVII, e, mais tarde, foi para os ingleses e, em seguida, para a [[Monarquia Britânica]], como uma [[Colônia da coroa]].<ref>{{citecitar web|url=http://www.fco.gov.uk/en/about-the-fco/country-profiles/north-central-america/grenada?profile=history&pg=3|last=Foreign and Commonwealth Office|titletítulo=Country profiles > North & Central America and Caribbean > Grenada|publisherpublicadopor=Her Majesty's Stationery Office|accessdateacessodata=18 Decemberde dezembro de 2008}}</ref> Em 7 de fevereiro de 1974, o país obteve a independência do [[Reino Unido]], mantendo a então monarca reinante, Elizabeth II, como monarca da recém-criada [[Monarquia de Granada]]. A monarca é representada no país pelo [[Governador-geral de Granada|Governador-Geral de Granada]], atualmente Dama Cécile La Granada.<ref name="britannica">{{citecitar encyclopediaenciclopédia|titletítulo=Grenada|encyclopediaenciclopédia=Britannica Online Encyclopedia|publisherpublicadopor=Encyclopædia Britannica, Inc.|url=http://www.britannica.com/EBchecked/topic/245745/Grenada|accessdateacessodata=1 Decemberde dezembro de 2008}}</ref>
 
==== Jamaica ====
[[Ficheiro:Charles_Camilla_Jamaica_2008.jpg|direita|miniaturadaimagem|[[Carlos, Príncipe de Gales|Príncipe Charles, O Príncipe de Gales]] (à esquerda), herdeiro do [[Monarquia da Jamaica|Tr]][ ]ono Jamaicano, e sua esposa, [[Camila, Duquesa da Cornualha|Camila, Duquesa da Cornualha]] (centro), no Half Moon Hotel, [[Montego Bay]], De 13 de Março de 2008]]
A monarquia da [[Jamaica]] tem suas raízes na [[Monarquia Espanhola]], sob a autoridade do que a ilha foi colonizada no final do século XVI, e, mais tarde, foi para a inglesa e, em seguida, para a [[Monarquia Britânica]], como uma [[Colônia da coroa]]. Em 6 de agosto de 1962, o país conquistou sua independência do Reino Unido, mantendo a então monarca reinante, Elizabeth II, como monarca da recém-criada [[Monarquia da Jamaica]]. A monarca é representada no país pelo [[Governador-geral da Jamaica|Governador-Geral da Jamaica]], [[Sir]] [[Patrick Allen (político)|Patrick Allen]].<ref>{{citecitar web|url=http://www.fco.gov.uk/en/about-the-fco/country-profiles/north-central-america/jamaica|last=Foreign and Commonwealth Office|authorlink=Foreign and Commonwealth Office|titletítulo=Country profiles > North & Central America and Caribbean > Jamaica|publisherpublicadopor=Her Majesty's Stationery Office|accessdateacessodata=18 Januaryde janeiro de 2009}}</ref>
 
A ex-[[Lista de primeiros-ministros da Jamaica|Primeira-Ministra]] da Jamaica, [[Portia Simpson-Miller]] tinha manifestado intenção de supervisionar o processo necessário para alterar a Jamaica para uma república de 2012; ela originalmente foi dito, isso seria concluída em agosto do mesmo ano.<ref>{{citecitar newsjornal|titletítulo=Jamaica plans to become a republic|url=http://www.skynews.com.au/world/article.aspx?id=702384&vId=|accessdateacessodata=31 Decemberde dezembro de 2011|newspaperjornal=Sky News Australia|datedata=31 Decemberde dezembro de 2011}}</ref><ref>{{citecitar newsjornal|titletítulo=Jamaica to break links with Queen, says Prime Minister Simpson Miller|url=http://www.bbc.co.uk/news/world-latin-america-16449969|accessdateacessodata=8 Januaryde janeiro de 2012|newspaperjornal=BBC News|datedata=6 Januaryde janeiro de 2012}}</ref> Em 2003, o ex-[[Primeiro-Ministro da jamaica|Primeiro-Ministro]] P. J. Patterson, defendeu a tomada de Jamaica em uma república em 2007.<ref name="republic">{{citecitar newsjornal|last=Staff|titletítulo=Jamaica eyes republican future|publisherpublicadopor=BBC|datedata=22 Septemberde setembro de 2003|url=http://news.bbc.co.uk/1/hi/world/americas/3127742.stm|accessdateacessodata=14 Decemberde dezembro de 2008}}</ref>
 
==== São Cristóvão e Nevis ====
A monarquia de [[São Cristóvão e Nevis|Saint Kitts e Nevis]] tem suas raízes, em  monarquias [[Monarquia da Inglaterra|inglesa]] e [[Monarquia da França|francesa]], sob a autoridade do que a ilha foi colonizada no início do século XVII, e, mais tarde, foi para a [[Monarquia Britânica]], como uma [[Colônia da coroa]]. Em 10 de junho de 1973, o país obteve a independência do [[Reino Unido]], mantendo a então monarca reinante, Elizabeth II, como monarca da recém-criada [[Monarquia de São Cristóvão e Nevis]].<ref>{{citecitar web|url=http://www.gov.kn/ct.asp?xItem=462&CtNode=58&mp=1|titletítulo=About Government|accessdateacessodata=18 Decemberde dezembro de 2008|workobra=|publisherpublicadopor=Government of Saint Kitts and Nevis|datedata=}}</ref> A monarca é representada no país pelo [[Governador-geral de São Cristóvão e Neves|Governador-Geral]], atualmente Sir Tapley Seaton.<ref>{{citecitar web|url=http://www.fco.gov.uk/en/about-the-fco/country-profiles/north-central-america/st-kitts-nevis|titletítulo=Country Profile: Saint Kitts and Nevis|accessdateacessodata=18 Decemberde dezembro de 2008|workobra=|publisherpublicadopor=Foreign and Commonwealth Office (UK)|datedata=}}</ref>
 
==== Santa Lúcia ====
Os [[Caraíbas (etnia)|Caribes]], que ocuparam a ilha de [[Santa Lúcia]] , no período pré-Colombiano tinha uma sociedade complexa, com hereditários reis e xamãs. A presente monarquia tem suas raízes nas monarquias [[Monarquia dos Países Baixos|holandesa]], [[Monarquia da França|francesa]], [[Monarquia da Inglaterra|inglesa]], sob a autoridade do que a ilha foi colonizada em 1605, e, mais tarde, passou à [[Monarquia Britânica]], como uma [[Colônia da coroa|Colônia da Coroa]]. Em 22 de fevereiro de 1979, o país conquistou sua independência do Reino Unido, mantendo a então monarca reinante, Elizabeth II, como monarca da recém-criada [[Monarquia de Santa Lúcia]].<ref>{{citecitar web|url=http://www.fco.gov.uk/en/about-the-fco/country-profiles/north-central-america/st-lucia?profile=history&pg=3|last=Foreign and Commonwealth Office|titletítulo=Country profiles > North & Central America and Caribbean > Saint Lucia|publisherpublicadopor=Her Majesty's Stationery Office|accessdateacessodata=1 Januaryde janeiro de 2009}}</ref> A monarca é representada no país pelo [[Governador-geral de Santa Lúcia|Governador-Geral]], atualmente Dama [[Pearlette Louisy]].<ref>{{citecitar web|url=http://www.stlucia.gov.lc/agencies/office_of_the_governor_general.htm|last=Government Information Service|titletítulo=Government of Saint Lucia > Office of the Governor General|publisherpublicadopor=Government of Saint Lucia|accessdateacessodata=1 Januaryde janeiro de 2009}}</ref>
 
==== São Vicente e Granadinas ====
A presente Monarquia de [[são Vicente e Granadinas]] tem suas raízes na [[Monarquia da França|monarquia francesa]], sob a autoridade do que a ilha foi colonizado, em 1719, e, mais tarde, pasou à [[Monarquia Britânica]], como uma [[Colônia da coroa|Colônia da Coroa]]. Em 27 de outubro de 1979, o país conquistou sua independência do Reino Unido, mantendo a então monarca reinante, Elizabeth II, como monarca da recém-criada [[Monarquia de são Vicente e Granadinas]].<ref>{{citecitar web|url=http://www.royal.gov.uk/output/Page4928.asp|last=Royal Household at Buckingham Palace|titletítulo=The Monarchy Today > Queen and Commonwealth > Other Caribbean Realms|publisherpublicadopor=Her Majesty's Stationery Office|accessdateacessodata=5 Januaryde janeiro de 2009}}</ref> A monarca é representada no país pelo [[Governador-geral de São Vicente e Granadinas|Governador-Geral de Vicente e Granadinas]], atualmente Sir [[Frederick Ballantyne]].<ref>{{citecitar web|url=http://www.fco.gov.uk/en/about-the-fco/country-profiles/north-central-america/st-vincent-grenadines|last=Foreign and Commonwealth Office|authorlink=Foreign and Commonwealth Office|titletítulo=Country profiles > North & Central America and Caribbean > Saint Vincent and the Grenadines|publisherpublicadopor=Her Majesty's Stationery Office|accessdateacessodata=18 Decemberde dezembro de 2008}}</ref>
 
 
==== Dinamarca ====
[[Ficheiro:HakonTheOldAndSkule-Flateyjarbok.jpg|direita|miniaturadaimagem|Hákon, Rei da Noruega (sentado à esquerda) tomou posse da Groenlândia em 1261.]]
[[Gronelândia|A Gronelândia]] é um dos três [[País|países constituintes]] do [[Reino da Dinamarca]], com [[Margarida II da Dinamarca|a Rainha Margarida II]] como a soberana reinante. O território qpassou a ter um governo monárquico em 1261, quando a população aceitou o Senhorio do [[Monarquia de Noruega|Rei da Noruega]]; por 1360; a Noruega tinha entrado em uma [[união pessoal]] com o Reino da Dinamarca, que se tornou com a união dos Reinos em [[Reino da Dinamarca e Noruega|Dinamarca–Noruega]] em 1536. Após a dissolução deste acordo, em 1814, a Groenlândia permaneceu como uma colônia dinamarquesa, e, depois de [[Groelândia na II Guerra Mundial|seu papel na II Guerra Mundial]], foi concedido um estatuto especial dentro do Reino da Dinamarca, em 1953. A monarca é representada no território, pelo ''[[List of Danish High Commissioners in Greenland|Rigsombudsmand]]''<ref>{{citecitar web|url=http://www.stm.dk/Index/dokumenter.asp?o=71&n=1&d=1037&s=2&str=stor|titletítulo=Home Rule Act of the Faroe Islands|accessdateacessodata=5 Januaryde janeiro de 2009|workobra=|publisherpublicadopor=Prime Minister of Denmark|datedata=}}</ref> ([[Alto Comissário]]), Mikaela Engell.<ref>{{citecitar web|url=https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/print/gl.html|titletítulo=Greenland|accessdateacessodata=15 Januaryde janeiro de 2009|workobra=|publisherpublicadopor=CIA World Factbook|datedata=}}</ref>
 
==== Países Baixos ====
[[Aruba]], [[Curaçao]] e [[São Martinho (Países Baixos)|Sint Maarten]] são países constituintes do [[Reino dos Países Baixos]], e, assim, têm o [[Guilherme Alexandre dos Países Baixos|Rei Willem-Alexander]] como  seu soberano, bem como as restantes ilhas que formam o [[Países Baixos Caribenhos|Caribe Holandeses]]. Aruba foi fundada sob a autoridade da [[Coroa espanhola]], por volta de 1499, mas foi adquirida pelos holandeses em 1634, cujo controle sobre a ilha manteve-se, ressalvado  um intervalo entre 1805 e 1816, quando Aruba foi capturada pela [[Marinha Real Britânica|Marinha Real]] do [[Jorge III do Reino Unido|Rei George III]]. A ex-[[Antilhas Neerlandesas|Antilhas Holandesas]] foram originalmente descoberto por exploradores enviados na década de 1490 pelo [[Lista de monarcas de Espanha|Rei da Espanha]], mas eventualmente foram conquistados pela [[Companhia Holandesa das Índias Ocidentais|Companhia holandesa das índias ocidentais]] , no século XVII, apois isso as ilhas permaneceram sob o controle da [[Monarquia dos Países Baixos|Coroa holandesa]] como territórios coloniais. As Antilhas Holandesas alcançaram o status de um país  autônomo dentro do [[Reino dos Países Baixos]], em 1954, a partir do qual Aruba foi dividida em 1986 como um país constituinte a mais no Reino.<ref>{{citecitar web|url=http://uk.encarta.msn.com/encyclopedia_761574919/aruba.html|titletítulo=Aruba|accessdateacessodata=1 Januaryde janeiro de 2009|workobra=|publisherpublicadopor=MSN Encarta|archiveurl=http://www.webcitation.org/5kx8ZpKD5|archivedatearquivodata=1 Novemberde novembro de 2009|deadurl=yes}}</ref> As ex-Antilhas Holandesasforam novamente divididas em três áreas, em 2010. O monarca é representado em cada região, pelo [[Governador de Aruba]], Alfonso Boekhoudt, o [[Governador de Curaçao]], Frits Goedgedrag,<ref>{{citecitar web|url=http://www.gouverneur.an/index.php?lang=en|titletítulo=Who is Governor Frits Goedgedrag?|accessdateacessodata=1 Januaryde janeiro de 2009|workobra=|publisherpublicadopor=Official Website of the Governor of the Netherlands Antilles|datedata=}}</ref> e o [ Governador de Sint Maarten], Eugene Férias.
 
==== Reino Unido ====
A [[Monarquia do Reino Unido|Coroa Britânica]] possui um grande número de [[Territórios britânicos ultramarinos|territórios ultramarinos]] nas Américas, para quem a Rainha [[Isabel II do Reino Unido|Elizabeth II]] é monarca. Na América do Norte são [[Anguilla]], [[Bermudas]], [[Ilhas Virgens Britânicas]], [[Ilhas Cayman|Ilhas Caimão]], [[Montserrat|Monserrate]], e as [[Ilhas Turcas e Caicos|ilhas Turks e Caicos Ilhas Virgens Britânicas]], enquanto as [[Ilhas Malvinas|Ilhas Malvinas/Falklands]], [[Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul|Geórgia do Sul e as Ilhas Sanduiche do Sul]] estão localizados na América do Sul. As ilhas do [[Caribe|Caribe,]] sob a autoridade ou a instrução direta de uma série de Monarcas Europeus, principalmente [[Monarquia do Reino Unido|os ingleses]], [[Monarquia dos Países Baixos|holandeses]] ou [[Monarquia de Espanha|espanhóis]], durante a primeira metade do século XVII. Por volta de  1681, no entanto, quando as ilhas Turks e Caicos foram conquistadas pelos [[britânico]]<nowiki/>s, todos as iihas acima mencionadas estavam sob o controle de [[Carlos II de Inglaterra|Carlos II de Inglaterra, Escócia, França e Irlanda]]. AS colônias foram mescladas e divididas através de diversas reorganizações da Coroa, na região do Caribe, até 19/12/1980, data em que Anguilla tornou-se um Território da Coroa Britânica em seu próprio direito. A monarca é representada nestas jurisdições pelo(s):  [[Governador de Anguilla]], Andrew George;<ref>{{citecitar web|url=http://www.fco.gov.uk/en/about-the-fco/country-profiles/north-central-america/anguilla|titletítulo=Country Profile: Anguilla|accessdateacessodata=18 Decemberde dezembro de 2008|workobra=|publisherpublicadopor=Foreign and Commonwealth Office (UK)|datedata=}}</ref>
 
o [[Governador de Bermudas|Governador de Bermuda]], [[Richard Gozney]];<ref>{{citecitar web|url=http://www.royalgazette.com/siftology.royalgazette/Article/article.jsp?articleId=7d7c64a30030000&sectionId=60|titletítulo=New Governor Sworn in|accessdateacessodata=5 Januaryde janeiro de 2009|workobra=|publisherpublicadopor=The Royal Gazette|datedata=}}</ref>
 
o Governador das Ilhas Virgens Britânicas, David Pearey;<ref>{{citecitar web|url=http://ukinbvi.fco.gov.uk/en/about-us/hm-governor|titletítulo=HM Governor|accessdateacessodata=5 Januaryde janeiro de 2009|workobra=|publisherpublicadopor=HM Government of the British Virgin Islands|datedata=}}</ref>
[[Category:Wikipedia articles in need of updating from December 2016|Category:Wikipedia articles in need of updating from December 2016]]
[[Category:All Wikipedia articles in need of updating|Category:All Wikipedia articles in need of updating]]
o [[Governador das Ilhas Cayman]], [[Stuart Jack]];<ref>{{citecitar web|url=http://www.gov.ky/portal/page?_pageid=1142,1595676&_dad=portal&_schema=PORTAL|titletítulo=Biography of the Governor|accessdateacessodata=5 Januaryde janeiro de 2009|workobra=|publisherpublicadopor=HM Government of the Cayman Islands|datedata=}}</ref>
 
o [[Governador de Montserrat]], Elizabeth Carriere;<ref>{{citecitar web|url=http://www.fco.gov.uk/en/news/latest-news/?view=PressR&id=22349425|titletítulo=Mr Adrian Davis has been appointed Governor of Montserrat.|accessdateacessodata=12 Aprilde abril de 2011|workobra=|publisherpublicadopor=Foreign and Commonwealth Office|datedata=27 Mayde maio de 2010}}</ref> e o [[Governador das Ilhas Turcas e Caicos]], Pedro Beckingham.<ref>{{citecitar web|url=http://www.fco.gov.uk/en/about-the-fco/country-profiles/north-central-america/turks-caicos-islands/?profile=all|titletítulo=Country Profile:Turks and Caicos Islands|accessdateacessodata=5 Januaryde janeiro de 2009|workobra=|publisherpublicadopor=Foreign and Commonwealth Office (UK)|datedata=}}</ref>
 
As Ilhas Malvinas/Falklands, na costa sul da [[Argentina]], foram simultaneamente reclamadas por [[Luís XV de França|Luís XV da França]], em 1764, e por [[Jorge III do Reino Unido]], em 1765, embora a colônia francesa tenha cedido para [[Carlos III de Espanha]] em 1767. Por 1833, no entanto, as ilhas estavam sob total controle Britânico. A Geórgia do Sul e Ilhas Sandwich do Sul foram descobertos pelo Capitão [[James Cook]] por Jorge III, em janeiro de 1775, e a partir de 1843, foram governadas pelo Conselho da  Coroa Britânica através das Malvinas, um arranjo que ficou até a Geórgia do Sul e Ilhas Sandwich do Sul serem incorporadas como um distinto [[Território Britânico Ultramarino]], em 1985. A monarca é representada nestas regiões por [[Colin Roberts]], que é tanto o [[Governador de Falklands|Governador das Ilhas Malvinas]] e o [[Comissário para as Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul]].<ref name="MercoPress-Roberts">{{citecitar newsjornal|titletítulo=Falklands Governor Colin Roberts takes office next Tuesday 29 April|first=|last=|newspaperjornal=[[MercoPress]]|datedata=28 Aprilde abril de 2014|accessdateacessodata=29 Aprilde abril de 2014|url=http://en.mercopress.com/2014/04/28/falklands-governor-colin-roberts-takes-office-next-tuesday-29-april}}</ref>
 
== Leis de Sucessão ==
{{Legenda|#C89600|[[Primogenitura#Primogenitura Absoluta|Primogenitura absoluta]]}}
{{Legenda|#A05050|[[Primogenitura#Primogenitura de Preferência Masculina|Primogenitura de preferência masculina]]}}]]
Antes de 28 de outubro de 2011, a ordem de sucessão nos Reinos da Commonwealth, bem como naqueles territórios americanos, sob a Coroa Britânica, era observadas a  [[Primogenitura|preferência masculina na primogenitura]], pelo que a sucessão era para o filho mais velho, em seguida para a filha mais velha. No entanto, com a [[Ato de Sucessão do Trono, 2013|possível exceção do Canadá]], na sequência de alterações legislativas para dar efeito ao [[Acordo de Perth]], por sucessão da [[Primogenitura|primogenitura absoluta]] para os nascidos a partir de 28 de outubro de 2011, a qual o filho mais velho herda o trono, independentemente do sexo. Como estes Estados a compartilhar pessoa do Monarca, todos os legislativos independentes tinham que alterar  pelos processos legais em cada território. Os países sob as Coroas dinamarquesa e holandesa já aderem a primogenitura  absoluta.<ref>{{citecitar web|url=http://www.koninklijkhuis.nl/english/content.jsp?objectid=13308|titletítulo=Succession to the throne|accessdateacessodata=18 Januaryde janeiro de 2009|workobra=|publisherpublicadopor=Dutch Monarchy|archiveurl=https://web.archive.org/web/20080822054634/http://www.koninklijkhuis.nl/english/content.jsp?objectid=13308|archivedatearquivodata=22 Augustde agosto de 2008}}</ref><ref>[http://www.dw-world.de/dw/article/0,,4310654,00.html Females get the nod in Denmark]</ref><ref>{{citecitar web|url=http://www.folketinget.dk/doc.aspx?/Samling/20051/lovforslag/L1/som_vedtaget.htm|titletítulo=Suggested changes to the Succession|accessdateacessodata=25 Januaryde janeiro de 2009|publisherpublicadopor=Parliament of Denmark}}</ref>
 
== Antigas Monarquias ==
==== Araucanía e Patagônia ====
[[Ficheiro:Orélie_Antoine_de_Tounens.JPG|direita|miniaturadaimagem|224x224px|Rei [[Antoine I da Araucania e Patagônia|Orélie-Antoine I]] de Araucanía e Patagônia]]
O [[Reino da Araucânia e Patagônia|Reino de Araucanía e Patagônia]] foi de curta duração e a tentativa para estabelecer uma Monarquia Constitucional, fundada pelo advogado [[França|francês]] e aventureiro [[Antoine I da Araucania e Patagônia|Orelie-Antoine de Tounens]] em 1860. Nominalmente, o "Reino" englobava a atual [[Argentina]] parte da [[Patagónia|Patagônia]] e um pequeno segmento do [[Chile]], onde povos [[Mapuches|Mapuche]] estavam lutando para manter sua soberania contra o avanço das forças armadas do Chile e da Argentina.<ref name="HistKing">{{citecitar web|url=http://www.araucania.org/araucania/aukin1_fichiers/aukin1eng.htm|titletítulo=Histoiry of the King Orllie-Antoine|publisherpublicadopor=Kingdom of Araucania & Patagonia|accessdateacessodata=17 Decemberde dezembro de 2008}}</ref> No entanto, Orélie-Antoine nunca exerceu a soberania sobre o território reivindicado, e  seu controle'', de facto,'' foi limitado a cerca de catorze meses e a um pequeno território em torno de uma cidade chamada [[Perquenco]] (na época, principalmente a Aldeia Mapuche), o que também foi declarada capital do seu R''eino''.
 
Orélie-Antoine sentiu que os povos indígenas seriam melhor servido em negociações com a que envolvesse  um líder Europeu,<ref name="HistKing">{{citecitar web|url=http://www.araucania.org/araucania/aukin1_fichiers/aukin1eng.htm|titletítulo=Histoiry of the King Orllie-Antoine|publisherpublicadopor=Kingdom of Araucania & Patagonia|accessdateacessodata=17 Decemberde dezembro de 2008}}</ref> e foi assim eleito por um grupo de  ''loncos'' (chefes)  Mapuches para ser seu Rei.<ref name="kingdom">{{citecitar web|url=http://www.araucania.org/|author=Marhique, Huichacurha|titletítulo=The Kingdom of Araucania and Patagonia|publisherpublicadopor=Kingdom of Araucania & Patagonia|accessdateacessodata=17 Decemberde dezembro de 2008}}</ref> Ele se  esforçou para obter [[Reconhecimento diplomático|o reconhecimento internacional]], e tentou envolver o governo francês, em seu projeto, mas estes esforços foi um infrutíferos: o cônsul francês concluiu que Tounens era louco, e Araucanía e Patagônia nunca foi reconhecida por nenhum país. Os Chilenos principalmente ignoraram Orélie-Antoine e seu  Reino, pelo menos inicialmente, e simplesmente continuaram com a ocupação da Araucania, um processo histórico que concluiu, em 1883, com o Chile, controlando toda a região. No processo, Orélie-Antoine foi capturado em 1862, e preso em um asilo de loucos, no Chile. Depois de várias tentativas vãs para voltar para o seu Reino (atrapalhado pelas autoridades chilenas e argentinas), Tounens morreu sem um tostão em 1878 em [[Tourtoirac]], França. O atual pretendente, [[Jean-Michel Parasiliti di Para|o Príncipe Antoine IV]], vive em França. O antigo pretendente, renunciou a suas pretensões para o Trono da Patagônia,<ref>{{citecitar booklivro|last=Menéndez|first=Braun|titletítulo=Pequeña historia patagónica|publisherpublicadopor=Emecé Editores|yearano=1959|pagepágina=128|languagelíngua=Spanish}}</ref> apesar de alguns Mapuches continuar a reconhecer a Monarquia Araucana.<ref name="kingdom">{{citecitar web|url=http://www.araucania.org/|author=Marhique, Huichacurha|titletítulo=The Kingdom of Araucania and Patagonia|publisherpublicadopor=Kingdom of Araucania & Patagonia|accessdateacessodata=17 Decemberde dezembro de 2008}}</ref>
 
==== Asteca ====
O [[Astecas|Império Asteca]] existia no centro da região  [[México|mexicana]] c. 1325 e 1521, e foi formada [[Tríplice Aliança Asteca|a tríplice aliança]] dos ''[[Tlatoani|tlatoque]]'' (o [[Língua náuatle|Nahuatl]] termo para "alto-falante", também traduzido em [[Língua portuguesa|português]] como "Rei"), de três [[Cidade-Estado|cidades-estados]]: [[Tlacopan]], Texcoco, e a capital do Império, [[Tenochtitlán|Tenochtitlan]].<ref>{{citecitar booklivro|titletítulo=A Concise History of Mexico|last=Hamnett|first=Brian R.|publisherpublicadopor=Cambridge University Press|url=https://books.google.com/?id=WMMLlHM-QEYC&pg=PA51&lpg=PA51&dq=Aztec+Triple+Alliance|accessdateacessodata=2 Januaryde janeiro de 2009|isbn=978-0-521-58916-1|yearano=1999}}</ref> Enquanto que a linhagem dos Reis de  Tenochtitlan continuaram depois d[[Cerco de Tenochtitlan|a cidade cair em mãos espanholas]] a 13 de agosto de 1521, ele  era como [[Estado fantoche|fantoche]] do [[Monarquia de Espanha|Rei de Espanha]] até a morte do último dinástica ''tlatoani'', [[Luis de Santa María Nanacacipactzin|Luis de Santa Maria Nanacacipactzin]], em 27 de dezembro de 1565.<ref>{{citecitar booklivro|titletítulo=Codex Chimalpahin|last=de San Antón Muñón Chimalpahin Cuauhtlehuanitzin|first=Domingo Francisco|author2=Arthur J. O. Anderson|author3=Susan Schroeder|author4=Wayne Ruwet|yearano=1997|publisherpublicadopor=University of Oklahoma Press|isbn=978-0-8061-2950-1|pagepágina=43|url=https://books.google.com/?id=RSNdzTEHU_sC&pg=PA43&dq=Luis+de+Santa+Mar%C3%ADa+Nanacacipactzin}}</ref>
 
==== Brasil ====
[[Ficheiro:Pedro_II1847.JPG|direita|miniaturadaimagem|243x243px|O Imperador Dom [[Pedro II do Brasil]]]]
O Brasil foi criado como um Reino em 16 de dezembro de 1815, quando o [[João VI de Portugal|Príncipe D. João]], [[Príncipe do Brasil]], que atuava como [[Regência (governo)|regente]] de sua mãe doente, [[Maria I de Portugal|a Rainha Dª. Maria I]], elevou a colônia ao status de [[País|país constituinte]] do [[Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves|Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarve]].<ref>{{citecitar booklivro|last=Vianna|first=Hélio|titletítulo=História do Brasil: período colonial, monarquia e república|publisherpublicadopor=Melhoramentos|yearano=1994|locationlocal=São Paulo|isbn=|languagelíngua=Spanish}}</ref> Enquanto a Corte Real, ainda baseada no [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], D. João ascendeu como Rei do Reino Unido no ano seguinte, e voltou para Portugal em 1821,<ref name="Pedro1">{{citecitar web|url=http://historicaltextarchive.com/sections.php?op=viewarticle&artid=427|author=Miller, James|titletítulo=Pedro II, Emperor of Brazil|publisherpublicadopor=Historical Text Archive|accessdateacessodata=17 Decemberde dezembro de 2008}}</ref> deixando o seu filho, [[Pedro I do Brasil|D. Pedro de Alcântara]],[[Príncipe Real do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves| Príncipe Real do Reino Unido]], como seu Regente no [[Reino do Brasil]]. Em setembro do mesmo ano, o [[Cortes Gerais e Extraordinárias da Nação Portuguesa|Parlamento Português]], ameaçou diminuir a autonomia do Brasil para que voltasse ao sua anterior condição de  colônia, desmantelaram todas as Agências Reais no Rio de Janeiro, e exigiu que Dom Pedro de Alcântara  voltasse para [[Lisboa]].<ref name="Pedro1">{{citecitar web|url=http://historicaltextarchive.com/sections.php?op=viewarticle&artid=427|author=Miller, James|titletítulo=Pedro II, Emperor of Brazil|publisherpublicadopor=Historical Text Archive|accessdateacessodata=17 Decemberde dezembro de 2008}}</ref> O Príncipe, porém, temendo que estes movimentos, desencadeasse movimentos separatistas se recusou a cumprir; em vez disso, a insistência de seu pai, ele [[Independência do Brasil|Declarou o Brasil uma Nação Independente]] em 7 de setembro de 1822, levando à formação do [[Império do Brasil]], uma [[Monarquia  Constitucional]]. D. Pedro tornou-se o primeiro Imperador do Brasil em 12 de outubro de 1822, com o título de D. Pedro I (data em que foi formalmente oferecido o Trono do recém-criado Império, ao aceitar, e foi aclamado como [[Lista de monarcas do Brasil|Monarca]]), e sua coroação teve lugar no dia 1 de dezembro de 1822.<ref>{{citecitar booklivro|last=Vainfas|first=Ronaldo|titletítulo=Dicionário do Brasil Imperial|publisherpublicadopor=Objetiva|yearano=2002|locationlocal=Rio de Janeiro|languagelíngua=Spanish}}</ref> , Depois de D. Pedro [[Abdicação|abdicar]] do trono em 7 de abril de 1831, o Império Brasileiro desfrutou apenas de um monarca: D. [[Pedro II do Brasil|Pedro II]],<ref name="Pedro1">{{citecitar web|url=http://historicaltextarchive.com/sections.php?op=viewarticle&artid=427|author=Miller, James|titletítulo=Pedro II, Emperor of Brazil|publisherpublicadopor=Historical Text Archive|accessdateacessodata=17 Decemberde dezembro de 2008}}</ref>  que reinou durante 58 anos antes de um [[Golpe de Estado]] que derrubou a Monarquia em 15/11/1889. Há dois pretendentes para o extinto Trono Brasileiro: [[Luís Gastão de Orléans e Bragança|o Príncipe D. Luís de Orléans-Bragança]], chefe da seção de Vassouras, ramo da [[Família imperial brasileira|Família Imperial Brasileira]], e, de acordo com as reivindicações legitimistas, ''de jure'' , o Imperador do Brasil e [[Pedro Carlos de Orléans e Bragança|D. Pedro Carlos de Orléans-Bragança]], chefe da seção de [[Petrópolis]], de outra linha da Família Imperial Brasileira, e herdeiro do trono Brasileiro, de acordo com monarquistas.<ref>{{citecitar newspaperjornal|author=Handler, Bruce|datedata=5 Marchde março de 1989|titletítulo=Brazil to Decide on Return of Monarchy|journalperiódico=Los Angeles Times|pagepágina=34|url=http://articles.latimes.com/1989-03-05/news/mn-199_1_vote-set|agencyarquivodata=Associated Press}}</ref>
 
A constituição Brasileira de 1988, chamou para uma votação sobre a Restauração da Monarquia, que foi [[Plebiscito sobre a forma e o sistema de governo do Brasil (1993)|realizada em 1993]]. Os monarquistas foram às urnas dividido, com a imprensa, indicando que há, na verdade,  dois príncipes aspirantes ao Trono Brasileiro (Dom Luís de Orleans e Bragança e Dom João Henrique); este fato criou confusão entre os eleitores. Votação em bilhetes mais a divisão do eleitorado, colocando uma caixa para uma república presidencial na cédula de votação, e quatro para uma Monarquia. O sentimento anti-monárquico foi gerado por vários comerciais de televisão agressivos, alegando que a votação para a monarquia seria um voto para o retorno da escravidão para os negros e uma perda para a democracia no Brasil após décadas de ditadura militar. Este resultado foi uma perda para os Monarquistas nas urnas.
 
==== Haiti ====
Toda a ilha de [[Ilha de São Domingos|Hispaniola]] foi o primeiro local que em 5 de dezembro de 1492, [[Cristóvão Colombo]], pisou en nome da [[Isabel I de Castela|Rainha Isabel]], e foi o primeiro [[Vice-Rei]] das Américas, além de ser criado um número de colônias por toda a Ilha. Com a posterior descoberta do México e do Peru muitos dos primeiros colonos da saíram para o continente americano, mas cerca de doze cidades e cem mil almas, mantiveram-se, principalmente, na parte Oriental da Ilha. Através do Tratado de Riswick em 1697, [[Luís XIV de França|o Rei Luís XIV]] recebeu o terço ocidental da Ilha da Espanha como retribuição e formalizou a primeira liquidação pirata francesa em existência desde meados dos anos 1600,<ref>{{citecitar web|first=Richard A.|last=Haggerty|titletítulo=Haiti, A Country Study: French Settlement and Sovereignty|url=http://countrystudies.us/haiti/7.htm|publisherpublicadopor=US Library of Congress|yearano=1989|accessdateacessodata=30 Marchde março de 2008}}</ref> com a colônia administrada por [[Governador-geral|um governador-geral, representando a coroa francesa]],<ref>{{citecitar web|url=http://www.biographi.ca/009004-119.01-e.php?BioId=35359|titletítulo=Dictionary of Canadian Biography Online > Emmanuel-Auguste de Cahideuc, Comte Dubois de la Motte|publisherpublicadopor=University of Toronto/Université Laval|accessdateacessodata=18 Decemberde dezembro de 2008}}</ref>  um arranjo que durou até a [[Revolução Francesa|Revolução francesa,]] que derrubou a [[Monarquia da França]], em 21 de setembro de 1792. Embora o governo francês mantivesse o controle sobre a região de [[Saint-Domingue]], em 22/09/1804, [[Jean Jacques Dessalines|Jean-Jacques Dessalines]], que havia servido como Governador-Geral de Saint-Domingue, desde 30 de novembro de 1803, declarou-se como chefe de um órgão independente [[Império do Haiti (1804-1806)|Império do Haiti]], com a sua coroação como Imperador Jacques I a ter lugar no dia 6 de outubro daquele ano. Após seu assassinato, em 17 de outubro de 1806, o país foi dividido pela  metade, a porção norte eventualmente, tornou-se o [[Reino do Haiti]] , em 28 de Março de 1811, com [[Henri Christophe]] instalado como Rei Henrique I.<ref name="ceac">{{citecitar booklivro|last=Cheesman|first=Clive|titletítulo=The Armorial of Haiti|publisherpublicadopor=The College of Arms|yearano=2007|locationlocal=London|url=http://www.college-of-arms.gov.uk/|isbn=978-0-9506980-2-1|accessdateacessodata=2 Januaryde janeiro de 2009}}</ref> Quando o Rei Henrique cometeu suicídio em 8/10/1820, e de seu filho, Jacques-Victor Henrique, Príncipe Real do Haiti, foi assassinado por revolucionários dez dias depois, o reino foi dominado pelo sul, da República do Haiti, de que [[Faustino I do Haiti|Faustin-Élie Soulouque]] eleito [[Presidente do Haiti|presidente]] em 2 de Março de 1847. Dois anos mais tarde, em 26 de agosto de 1849, o [[Parlamento Haitiano|Haiti, Assembleia Nacional do Haiti,]] declarou o presidente como Imperador Faustin I, assim, restabelecer o [[Império do Haiti]]. Mas esta cena  monárquica foi de curta duração, bem como, como uma revolução eclodiu no reino, em 1858, que resultou na abdicação de Faustin ao trono em 18/01/1859.<ref>{{citecitar booklivro|first=Jan|last=Rogozinski|yearano=1999|titletítulo=A Brief History of the Caribbean|editionedição=Revised|publisherpublicadopor=Facts on File, Inc.|locationlocal=New York|pagepágina=220|isbn=0-8160-3811-2}}</ref>
 
==== Inca ====
[[Ficheiro:TupacamaruI.JPG|direita|miniaturadaimagem|242x242px|[[Túpac Amaru]], o último ''a Sapa Inca'' do [[Novo Estado Inca|Neo-Inca Estado]] em [[Vilcabamba]]]]
O [[Império Inca]] era espalhado por todo o norte da parte ocidental da [[América do Sul]] entre 1438 e 1533, governado por um monarca conhecidos, como o [[Imperador inca|''Sapa Inca'', ''Sapa'', ou ''Apu'']]. A [[Civilizações andinas|civilização Inca]] surgiu no [[Curacazgo de Cuzco|Reino de Cusco]], e se expandiu para se tornar o ''Ttahuantin-suyu'', ou "Terra das Quatro Seções", cada um governado por um governador ou vice-rei chamado ''Apu-cuna'', sob a liderança da central ''Sapa Inca''. O Império Inca, eventualmente, caiu no domínio espanhol, em 1533, quando o último ''Sapa Inca'' do império, [[Atahualpa]], foi capturado e executado em 29 de agosto.<ref>{{citecitar encyclopediaenciclopédia|url=http://encarta.msn.com/encyclopedia_761560004_3/Inca_Empire.html#s12|titletítulo=Inca Empire: Spanish Conquest|accessdateacessodata=2 Januaryde janeiro de 2009|workobra=|publisherpublicadopor=MSN Encarta|archiveurl=http://www.webcitation.org/5kyWmnijq|archivedatearquivodata=1 Novemberde novembro de 2009|deadurl=yes}}</ref> Os conquistadores instalado outros ''Sapa Inca,'' começando com o irmão de Atahualpa, Túpac Huallpa. [[Manco Capac II|Manco Inca Yupanqui]], originalmente também um Imperador fantoche dos Incas instalado pelos espanhóis, que rebelou-se e fundaram a pequena independente [[Novo Estado Inca]] em [[Vilcabamba]], e a linhagem continuou até a morte de [[Túpac Amaru]] , em 1572.<ref>{{citecitar encyclopediaenciclopédia|url=http://encarta.msn.com/encyclopedia_761593238/amar%C3%BA_tupac.html|titletítulo=Túpac Amaru|accessdateacessodata=19 Januaryde janeiro de 2009|workobra=|publisherpublicadopor=MSN Encarta|archiveurl=http://www.webcitation.org/5kx7Qgcer|archivedatearquivodata=1 Novemberde novembro de 2009|deadurl=yes}}</ref>
 
==== Maias ====
A [[Civilização maia|Civilização Maia]] se localizava na [[Península de Iucatã|Península de Yucatán]] e na porção do [[istmo]] da América do Norte, e a porção Norte da América Central (Guatemala e Honduras) foi formada de um número de ''ajawil'', ''ajawlel'', ou ''ajawlil''– políticos hierárquicos dirigidos por um governante hereditário conhecido como um ''kuhul ajaw'' (os [[Línguas maias|Maias]] termo que indica um líder soberano).[[#cite_note-Maya1-13|<span class="mw-reflink-text"><nowiki>[N 1]</nowiki></span>]]{{#tag:ref|Both terms appear in early Colonial texts (including ''Papeles de Paxbolón'') where they are used as synonymous to Aztec and Spanish terms for supreme rulers and their domains– ''tlahtoani'' (''[[Tlatoani]]'') and ''tlahtocayotl'', ''rey'', or ''magestad'' and ''reino'', ''señor'' and ''señorío'', or ''dominio''.|group=N|name=Maya1}} Apesar das constantes guerras e mudanças na potência regional, a maioria [[Civilização maia|Reinos Maias]] manteveram-se numa parte da paisagem da região, mesmo após a subordinação para hegemônicos governantes através de conquista ou a união dinástica. No entanto, a civilização Maia começou o seu declínio, nos séculos VIII e IX, e pelo tempo de chegada dos espanhóis, apenas alguns reinos ainda permaneciam, tais como [[Tayasal]], [[Mames|Mam]], Kaqchikel, e o K'iche' Reino de Q'umarkaj. Em 13 de Março de 1697, o último Rei [[Itza]] Maia foi derrotado em Tayasal pelas forças do Rei [[Filipe IV de Espanha|Filipe IV da Espanha]].<ref>{{citecitar booklivro|titletítulo=The Ancient Maya|last=Sharer|first=Robert J.|author2=Sylvanus Griswold Morley|publisherpublicadopor=Stanford University Press|isbn=978-0-8047-2130-1|pagepágina=423|url=https://books.google.com/?id=c65_g571LyAC&pg=PA423&lpg=PA423&dq=1697+Tayasal|yearano=1994}}</ref>
 
==== México ====
Com a vitória dos [[México|Mexicanos]] sobre o exército imperial espanhol em 1821, o [[Vice-Reino da Nova Espanha|Vice-reinado da Nova Espanha,]] chegou ao fim. O recém independente [[Congresso da União|Congresso Mexicano]] ainda desejava que [[Fernando VII de Espanha|o Rei Fernando VII]], ou outro membro da [[Casa de Bourbon]], concordasse a ser instalado como Imperador do México, formando assim um tipo de [[união pessoal]] com a Espanha. A [[Monarquia Espanhola]], no entanto, recusou-se a reconhecer o novo Estado, e decretou que ele não permitiria que nenhum outro Europeu príncipe para assumisse o Trono do México. Assim, o mexicano [[Agustín de Iturbide]] foi coroado como Agostinho I em 19/05/1822, com um decreto oficial de confirmação, emitido dois dias após. . Apenas alguns meses mais tarde, Agostinho I dissolveu o faccioso congresso, criando assim um furioso [[Antonio López de Santa Anna]] para montar um golpe de estado, o que levou à declaração de uma república, em 1/12/1822. A fim de acabar com a agitação, Agostinho abdicou, em 19/03/1823, e deixou o país, e a [[Monarquia Mexicana]] foi abolida. Depois de ouvir que a situação no México só tinha piorado desde sua renúncia, Iturbide retornou da Inglaterra, em 11/05/1824, mas foi detido após colocar o pé no México e, sem julgamento, foi executado.<ref>{{citecitar web|url=http://www.britannica.com/EBchecked/topic/379167/Mexico/27357/The-Mexican-Empire-1821-23|titletítulo=History » Independence » The Mexican Empire, 1821–23|accessdateacessodata=2 Januaryde janeiro de 2009|workobra=|publisherpublicadopor=Encyclopaedia Britannica|datedata=}}</ref>
[[Ficheiro:X-Large_Portrait_of_Maximiliano.jpg|esquerda|miniaturadaimagem|232x232px|Retrato de [[Maximiliano do México|Maximiliano I do México]], por [[Franz Xaver Winterhalter]]]]
[[Benito Juárez]], foi eleito [[Presidente do México|Presidente do México,]] em 19/01/1858, suspendeu todos os pagamentos da dívida externa mexicana (salvo aqueles devidos aos [[Estados Unidos|EUA]]), levando a França, o Reino Unido e a Espanha para enviar uma unida força expedicionária, em [[Veracruz (cidade)|Veracruz]] , em dezembro de 1861. Juárez, em seguida, liquidou as dívidas, depois das tropas britânicas e espanhola se retiraram, mas o Imperador [[Napoleão III de França]] usou a situação como pretexto para derrubar a república e instalar um monarca amigável para os interesses da França. [[Arquiduque]] [[Maximiliano do México|Maximiliano]], irmão do [[Imperador da Áustria]], foi elevado como [[Maximiliano do México|o Imperador Maximiliano I do México]], assim, reestabeleceu a Monarquia Mexicana, mas o novo imperador, em última análise, não curvar-se aos desejos de Napoleão, liquidando a sua influência sobre o México. Independentemente, Maximiliano foi visto ainda como um fantoche francês, e um líder ilegítimo do país. Bem, no final da [[Guerra de Secessão|Guerra Civil Americana]], as tropas dos EUA se instalaram na fronteira México-EUA como parte de uma planejada invasão, vendo o estabelecimento do [[Segundo Império Mexicano]] como uma violação em seus [[Doutrina Monroe]]. Apoiado pelos norte-Americanos, o ex-presidente Juárez mobilizou-se para retomar o poder, e derrotou Maximiliano em [[Querétaro (cidade)|Querétaro]] em 15/05/1867. O Imperador compareceu perante um tribunal militar e  foi condenado à morte e executado no ''Cerro de las Campanas'' , em 19 de junho de 1867.<ref>{{citecitar web|url=http://www.britannica.com/EBchecked/topic/379167/Mexico/27361/French-intervention|titletítulo=History » Independence » French intervention|accessdateacessodata=2 Januaryde janeiro de 2009|workobra=|publisherpublicadopor=Encyclopaedia Britannica|datedata=}}</ref>
 
==== Miskito ====
O povo [[Misquitos|Miskito]] da [[América Central]] eram governados pela autoridade de um monarca, mas o único que compartilhou o seu poder com um governador e um general. As origens da Monarquia são desconhecidos; no entanto, a sua soberania foi perdido quando o Rei Eduardo I da Nação Miskito ter assinado o Tratado de Amizade e Aliança com o Rei [[Jorge II da Grã-Bretanha|Jorge II do Reino Unido]], colocando Reino Miskito sob a [[Protetorado|proteção Britânica]] e a sua lei. Na cessação da [[Guerra da Independência dos Estados Unidos|Guerra Revolucionária Americana]], o Rei [[Jorge III do Reino Unido]], através do [[Tratado de Paris (1783)|Tratado de Paris]], abandonou o controle das terras  Miskito, embora a Grã-Bretanha continuou oficialmente como o protetorado sobre o reino para proteger os interesses Miskito contra as invasões espanhola. Após o interesse Britânico na região diminuir, [[Nicarágua]] dissolveu e ocupou o Reino Miskito,<ref>{{citecitar newsjornal|first=Rory|last=Carroll|titletítulo=Nicaragua's green lobby is leaving rainforest people 'utterly destitute'|datedata=26 Novemberde novembro de 2006|url=https://www.theguardian.com/environment/2006/nov/26/famine.conservation|workobra=Guardian Unlimited|accessdateacessodata=7 Septemberde setembro de 2007|locationlocal=London}}</ref> com o monarca, posteriormente, tornando-se conhecido como o Chefe Hereditário. Norton Cuthbert Clarence é o atual pretendente ao Reino Miskito e Chefe Hereditário da Nação Miskito.<ref>{{citecitar booklivro|titletítulo=Penny Ante Imperialism: The Mosquito Shore and the Bay of Honduras|last=Naylor|first=Robert A.|publisherpublicadopor=University of Virginia|isbn=978-0-8386-3323-6|pagepágina=310|url=https://books.google.com/?id=eJ8WAAAAYAAJ|yearano=1989}}</ref>
 
Os [[Taínos]] foram uma civilização indígena espalhados pelas ilhas que  hoje estão nas [[Bahamas]], [[Grandes Antilhas|Antilhas]], e o norte de [[pequenas Antilhas]]. Estas regiões foram divididas em Reinos (ilha de [[Ilha de São Domingos|Hispaniola]] só foi segmentado em cinco reinos), que eram, em si, às vezes, sub-dividido em províncias. Cada reino era liderado por um ''[[cacique]]'', ou "chefe", que foi aconselhado em seu exercício do poder real por um conselho de sacerdotes e curandeiros conhecido como ''bohiques''.<ref>{{citecitar web|url=http://www.elmuseo.org/taino/caciques.html|titletítulo=Caciques, nobles and their regalia|accessdateacessodata=9 Novemberde novembro de 2006|publisherpublicadopor=elmuseo.org|archiveurl=https://web.archive.org/web/20061009090513/http://elmuseo.org/taino/caciques.html|archivedatearquivodata=9 Octoberde outubro de 2006}}</ref> A linha de sucessão, no entanto, era [[Matrilinearidade|matrilinear]], em que se havia nenhum herdeiro homem para se tornar ''cacigue'', o título passará ao filho mais velho, se o filho ou a filha, falecida irmã.<ref name="Rouse">{{citecitar booklivro|last=Rouse|first=Irving|titletítulo=The Tainos: Rise and Decline of the people who greeted Columbus|yearano=1992|publisherpublicadopor=Yale University Press|locationlocal=New York|isbn=0-300-05696-6}}</ref> Depois de lutar por séculos com o [[Caraíbas (etnia)|Karib]], o Império Indígena  finalmente sucumbiu à doença e genocídio trazido pelos colonizadores espanhóis.<ref>{{citecitar booklivro|last=Sale|first=Kirkpatrick|titletítulo=The Conquest of Paradise|pagepágina=157|isbn=0-333-57479-6}}</ref><ref>{{citecitar web|url=http://www.britannica.com/EBchecked/topic/580786/Taino|titletítulo=Taíno people|publisherpublicadopor=Encyclopaedia Britannica|accessdateacessodata=1 Januaryde janeiro de 2009}}</ref>
 
=== Monarquias Coloniais ===
==== Courland ====
[[Ficheiro:Jacob_Kettler.gif|direita|miniaturadaimagem|195x195px|Jacob Kettler, Duque de Courland e Semigallia tentou estabelecer uma colônia nas Américas.]]
Após um número de tentativas fracassadas de colonização [[Tobago]], Duque [[Jacob Kettler|de Jacob Kettler]] de [[Ducado da Curlândia e Semigália|Courland e Semigallia]] enviou mais um navio para a ilha, que aportouo lá em 20/05/1654, transportando  soldados e colonos, que nomeou a ilha de ''[[Colonização curlandesa da América|Nova Courland]]''. Aproximadamente ao mesmo tempo, colônias holandesas foram estabelecidos em outros locais da ilha, e, eventualmente, superou as do Ducado de Courland em população. Quando o Duque foi capturado pelas forças suecas em 1658, colonos holandeses conquistaram as colônias de Courland, forçando o Governador a renunciar. Após o retorno do território para Courland através do Tratado de Oliwa, em 1660,uma série de tentativas foram feitas até o próximo Duque de Courland (Friedrich Casimiro Kettler) a recolonizar, mas estes reuniram-se com o fracasso, e ele vendeu Nova Courland em 1689.<ref>{{citecitar web|url=http://www.colonialvoyage.com/tobago.html|titletítulo=Dutch Portuguese Colonial History > Dutch and Courlanders in Tobago|publisherpublicadopor=Colonialvoyage.com|accessdateacessodata=21 Decemberde dezembro de 2008}}</ref>
 
==== França ====
Apos o Rei [[Francisco I de França|Fancisco I]] contratar [[Jacques Cartier]] para procurar a rota leste para a Ásia, a cidade de [[Port Royal]] foi fundada em 27/07/1605, onde hoje é [[Nova Escócia|Nova Scotia]]. A partir deste ponto o [[Império Colonial Francês]] na América só crescia, o que incluiu áreas de terras nos arredores dos [[Grandes Lagos da América do Norte|Grandes Lagos]] e seguiu o curso do [[Rio Mississippi]].Assim como ilhas no Caribe e no nordeste da [[Guiana Francesa|América do Sul]], o [[Nova França|Vice-Reino de Nova França]] foi mais tarde transformado em Real Província da França em 1663 por [[Luís XIV]].<ref>{{citecitar journalperiódico| last=Emerson| first=Rupert| titletítulo=Colonialism and Decolonization| journalperiódico=Journal of Contemporary History| volume=4| issue=1| pagespáginas=3–16| datedata=Januaryjaneiro de 1969| doi=10.1177/002200946900400101}}</ref> Algumas regiões foram perdidas para espanhóis ou ingleses através de guerras e tratados que eram possessões do Rei Francês até 21/12/1792 foram para os republicanos quando a monarquia foi abolida no mesmo dia.<ref>{{Citecitar booklivro| first=Christopher| last=Hibbert| titletítulo=The Days of the French Revolution| yearano=1980| locationlocal=New York| publisherpublicadopor=Quill, William Morrow| url=https://books.google.com/?id=yr1z38HCkdAC&dq=Hibbert+French+Revolution| isbn=0-688-03704-6| accessdateacessodata=2 Januaryde janeiro de 2009}}</ref><ref>{{Citecitar booklivro| first=Georges| last=Lefebvre| titletítulo=The French Revolution: From Its Origins to 1793| yearano=1971| publisherpublicadopor=Columbia University Press| url=https://books.google.com/?id=I2oA5MtB0ZkC&dq=Lefebvre+estates+general| isbn=0-231-08598-2| accessdateacessodata=2 Januaryde janeiro de 2009}}</ref> Após a [[Restauração francesa|Restauração da Monarquia]] a presença francesa na América colapsou com o Segundo Império Francês de Napoleão III em 1870.
[[Ficheiro:Alexander_II_of_Russia_by_K.Makovskiy_(1881,_GTG).jpg|esquerda|miniaturadaimagem|255x255px|[[Alexandre II da Rússia|O czar Alexandre II]], o Imperador da Rússia, que vendeu o Alasca para os Estados Unidos em 1867]]
 
==== Rússia ====
O primeiro assentamento permanente russo no que é hoje o estado do [[Alasca]] foi estabelecidos na década de 1790, formando o [[América Russa|Alasca Russo]], após [[Czar|o Czar]] [[Pedro I da Rússia|Pedro I,]] fazer expedições através do [[Estreito de Bering|Estreito de Bering,]] em 1725,<ref>{{citecitar web|url=http://kodiakisland.net/timeline.html|titletítulo=Alaska History Timeline|publisherpublicadopor=Kodiak Island Internet Directory|accessdateacessodata=19 Decemberde dezembro de 2008}}</ref> com a região administrada pelo chefe da [[Companhia Russo-Americana]] como representante do Imperador. Outro posto russo, [[Fort Ross, Califórnia|F]][ ]ort Ross, foi criado em 1812, no que é agora a [[Califórnia]].<ref>{{citecitar booklivro|last=Nordlander|first=David J.|titletítulo=For God & Tsar: A Brief History of Russian America 1741–1867|publisherpublicadopor=Alaska Natural History Association|locationlocal=Anchorage|yearano=1994|isbn=0-930931-15-7}}</ref> As colônias, no entanto, nunca foram rentável o suficiente para manter o interesse russo na área, com a população apenas  chegaram a um máximo de 700. Fort Ross foi vendido em 1841, e em 1867, um acordo foi negociado pelo qual [[Alexandre II da Rússia|o Czar Alexandre II]] vendeu o seu território do Alasca para os Estados Unidos por US$7,200,000, e a  transferência oficial ocorreu em 30 de outubro desse ano.<ref>{{citecitar booklivro|last=Farrar|first=Victor John|titletítulo=The Annexation of Russian America to the United States|publisherpublicadopor=Russell & Russell|locationlocal=New York|yearano=1966}}</ref>
 
==== Portugal ====
 
==== Espanha ====
Início de 1492, com as viagens de [[Cristóvão Colombo]] sob a direção da Rainha [[Isabel I de Castela]], a [[Monarquia de Espanha|Coroa espanhola,]] acumulava uma grande [[Colonização espanhola da América|Império Americano]] ao longo de três séculos, espalhando-se a partir do primeiro [[Caribe|Caribe,]] à [[América Central]], à maioria da [[América do Sul]], [[México|o México]], o que hoje é o [[Região Sudoeste dos Estados Unidos|Sudoeste dos Estados Unidos]], e a costa do Pacífico da [[América do Norte]] até [[Alasca|o Alasca]].<ref>{{citecitar booklivro|last=Bartroli|first=Tomás|titletítulo=Presencia hispánica en la costa noroeste de América|publisherpublicadopor=Universidad de British Columbio|locationlocal=Vancouver|yearano=1968|languagelíngua=Spanish}}</ref><ref>{{citecitar conferenceconferência|first=Angelina|last=Miró|titletítulo=Catalans a la costa oest del Canadà: Els catalans a la Colúmbia Britànica al s.XVIII|url=http://www.histocat.cat/pdf/catalans_al_canada.pdf|accessdateacessodata=19 Decemberde dezembro de 2008|languagelíngua=Spanish}}</ref> Estas regiões formaram a maioria do [[Vice-Reino da Nova Espanha]], o [[Vice-Reino do Peru]], o [[Vice-Reino do Rio da Prata]], e o [[Vice-Reino de Nova Granada]], em cada um dos quais o monarca espanhol foi representado por [[Lista de vice-reis da Nova Espanha|um vice-rei]]. No início do século XIX, no entanto, as posses da Espanha nas Américas começaram uma série de movimentos de independência, que culminou com a perda de todas as suas colônias no continente do norte a sul da América  por volta de 1825. As colônias restantes de [[Cuba]] e [[Porto Rico]] foram ocupados pelos [[Estados Unidos]] durante [[Guerra Hispano-Americana|Guerra hispano–Americana]], terminando o domínio espanhol nas Américas por 1899.<ref>{{citecitar booklivro|titletítulo=Mexico and the United States|last=Lee|first=Stacey|publisherpublicadopor=Marshall Cavendish|isbn=978-0-7614-7402-9|pagepágina=777|url=https://books.google.com/?id=DSzyMGh8pNwC&pg=PA777&dq=spanish+empire+in+1899+spanish+american|datedata=Octoberoutubro de 2002}}</ref>
 
==== Suécia ====
=== Outras referências ===
{{refbegin}}
* {{citecitar web | author=[[Central Intelligence Agency]] | datedata=11 Julyde julho de 2006 | url=https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/index.html | titletítulo=CIA — The World Factbook | workobra=[[The World Factbook]] | accessdateacessodata=25 Novemberde novembro de 2008 }}
* {{citecitar web | author=Central Intelligence Agency | datedata=18 Julyde julho de 2006 | url=https://www.cia.gov/library/publications/world-leaders-1/index.html | titletítulo=World Leaders | workobra=[[Líderes Mundiais]] | accessdateacessodata=25 Novemberde novembro de 2008 }}
{{refend}}
 
210 071

edições