Diferenças entre edições de "Jorge Sampaio"

Sem alteração do tamanho ,  15h46min de 12 de março de 2017
Apesar do seu papel na fundação do [[MES]], Sampaio abandonou o projeto logo no primeiro congresso do partido, em [[dezembro]] do mesmo [[1974|ano]], alegando discordância de fundo com a orientação ideológica aí definida<ref>[https://sigarra.up.pt/fcup/pt/web_base.gera_pagina?p_pagina=1021428 Universidade do Porto]</ref>.
 
Em [[28 de setembro]] de [[1974]] Sampaio está nas barricadas à volta de [[Lisboa]], destinadas a impedir a chegada da população à manifestação de apoio ao general [[António Spínola]], mais conhecida como a manifestação da ''[[Maioria Silenciosa]]''<ref>[http://expresso.sapo.pt/cultura/Livros/livro-jorge-sampaio-um-homem-contra-a-corrente=f758590 Expresso]</ref>.
 
Subsequentemente, durante o processo revolucionário, a sua proximidade com [[Ernesto Melo Antunes]] fez de Sampaio uma espécie de agente de ligação entre as instituições democráticas e a ala moderada do [[MFA]], sendo um ativo apoiante das posições do [[Grupo dos Nove]]. Em [[março]] de [[1975]], sendo Ministro dos Negócios Estrangeiros [[Ernesto Melo Antunes|Melo Antunes]], Sampaio é nomeado Secretário de Estado da Cooperação Externa do [[IV Governo Provisório]], o terceiro e penúltimo de [[Vasco Gonçalves]]<ref>[https://sigarra.up.pt/fcup/pt/web_base.gera_pagina?p_pagina=1021428 Universidade do Porto]</ref>.
Utilizador anónimo