Diferenças entre edições de "Erich Wolfgang Korngold"

Sem alteração do tamanho ,  22h21min de 13 de março de 2017
sem resumo de edição
(Em 7 de Outubro de 1927, estreou em Hamburgo a ópera "Das Wunder der Heliane" (O Milagre de Eliane), que o próprio compositor dizia ser a sua obra prima, chegando tal composição a ser gravada por Nicolai Gedda, Anna Tomowa-Sintow e René Pape.)
'''Erich Wolfgang Korngold''' ([[Brno]], [[29 de maio]] de [[1897]] — [[Hollywood]], [[29 de novembro]] de [[1957]]) foi um [[compositor]] [[Áustria|austríaco]] naturalizado [[Estadunidenses|norte-americano]].
 
Era filho do crítico musical [[Julius Korngold]]. Em sua infância, já demonstrava possuir grande talento para a composição, tendo sido elogiado por [[Gustav Mahler]]. Posteriormente, recebeu lições de [[Zemlinsky]]. Com apenas treze anos compôs música para o [[balé]] "Der Schneemann". Seguiram-se as óperas "[[Violanta]]" (1916) e "[[Die tote Stadt]]" (1920), que alcançaram imenso sucesso. Em 7 de Outubro de 1927, estreou em Hamburgo a ópera "Das Wunder der Heliane" (O Milagre de Eliane), que o próprio compositor dizia ser a sua obra prima, chegando tal composição a ser gravada por Nicolai Gedda, Anna Tomowa-Sintow e René Pape. Uma passagem desta ópera "Ich ging zu ihnihm", de belíssima textura, fez parte no passado do repertório da famosa soprano Lotte Lehmann, e mais recentemente muito bem executada pela soprano Renée Fleming. A partir de 1934, muda-se, juntamente com sua esposa e filhos, para Hollywood, passando a compor música para o [[cinema]]. As trilhas sonoras que escreveu, bem-recebidas pelo público e pela crítica, tornaram seu nome famoso nos [[Estados Unidos]].
 
Compôs também obras orquestrais, música de câmara, canções, um concerto para violino, e um concerto para piano. Para o piano, compôs três sonatas, a suite "Don Quixote", e várias outras obras.
Utilizador anónimo