Abrir menu principal

Alterações

138 bytes adicionados, 20h29min de 15 de março de 2017
sem resumo de edição
Seu sobrenome paterno "Green"<ref>{{Citar periódico|ultimo=Deevoy|primeiro=Adrian|titulo=Eva Green on nudity, insanity and Bond|jornal=British GQ|url=http://www.gq-magazine.co.uk/article/eva-green-photos-british-gq-march-2009-issue|idioma=en-GB}}</ref> é sueco e se pronuncia "grain / greyne"; Não se origina da palavra inglesa "green" (cor), que é "grön" em sueco<ref>{{Citar web|url=https://www.moviefone.com/2014/08/22/eva-green-facts/|titulo=Eva Green Facts: 27 Things You (Probably) Don't Know About the 'Sin City' Star|data=2014-08-22|acessodata=2017-03-15|obra=AOL Moviefone|ultimo=Black|primeiro=Jonny}}</ref>. "Green" é derivado da palavra sueca "gren", que significa ramo (árvore).
 
Green foi criada na França e frequentou a '''UniversidadeAmerican AmericanaSchool deof Paris''', uma instituição de língua inglesa<ref>{{Citar periódico|ultimo=Daly|primeiro=Steven|titulo=Green Goddess|jornal=The Hive|url=http://www.vanityfair.com/news/2007/11/evagreen200711?currentPage=2|idioma=en}}</ref>. Ela também passou um tempo em [[Ramsgate]], [[Londres]] e [[Irlanda]]<ref>{{Citar periódico|ultimo=Jeffries|primeiro=Stuart|data=2007-01-25|titulo='He's the Bond girl, not me'|jornal=The Guardian|issn=0261-3077|url=https://www.theguardian.com/film/2007/jan/26/jamesbond|idioma=en-GB}}</ref>. Green era quieta na escola, e desenvolveu um interesse na [[egiptologia]] quando visitou o [[Museu do Louvre|Louvre]] na idade de sete anos<ref>{{Citar web|url=http://www.theage.com.au/news/film/not-easy-being-green/2006/11/30/1164777722472.html|titulo=Not easy being Green - Film - Entertainment - theage.com.au|acessodata=2017-03-15|obra=www.theage.com.au|lingua=en}}</ref>. Aos quatorze anos, assistindo ao filme ''[[L'histoire d'Adèle H.|A História de Adele H]].,'' com [[Isabelle Adjani]], resolveu ser atriz como a mãe.<ref name="theguardian">[http://www.guardian.co.uk/film/2007/jan/26/jamesbond The Guardian: He's the bond girl, not me]</ref> TrabalhavaSua nomãe [[teatro]],inicialmente aindatemia adolescente, antes de ser lançada por [[Bernardo Bertolucci]] comoque uma [[lolita]] sensual no filme ''[[The dreamers|The Dreamers]]'', que causou polêmica pelas várias cenascarreira de nudezatriz delafosse inseridasmuito nopara enredo.sua Nafilha épocasensível, elamas criticoudepois aveio imprensaapoiar americanaas queambições ficouda chocadajovem com o erotismo do filme: ''"Não entendo por que os americanos ficaram incomodados com issoEva. Não entendo por que eles não podem ver uma pessoa nua na tela e nós podemos ver um bebê ser assassinado num filme deles."''
 
Trabalhava no [[teatro]], ainda adolescente, antes de ser lançada por [[Bernardo Bertolucci]] como uma [[lolita]] sensual no filme ''[[The dreamers|The Dreamers]]'', que causou polêmica pelas várias cenas de nudez dela inseridas no enredo. Na época, ela criticou a imprensa americana que ficou chocada com o erotismo do filme: ''"Não entendo por que os americanos ficaram incomodados com isso. Não entendo por que eles não podem ver uma pessoa nua na tela e nós podemos ver um bebê ser assassinado num filme deles."''
 
Ela começou sua carreira no teatro antes de fazer sua estreia no cinema em 2003, no filme de [[Bernardo Bertolucci]] [[The dreamers|The Dreamers]]. Alcançou o reconhecimento internacional interpretando Sibylla em [[Kingdom of Heaven]] e [[Vesper Lynd]] em [[Casino Royale (2006)|Casino Royale]]. Em 2006, Green foi premiada com o&nbsp;[[BAFTA Awards]].
Utilizador anónimo