Diferenças entre edições de "Ocapi"

25 bytes adicionados ,  03h03min de 17 de março de 2017
Correção
m
(Correção)
| imagem_legenda = Um ocapi no [[Reino Animal da Disney]] ma [[Flórida]].
| sistema_estado = iucn3.1
|estado_ref=<ref name=iucn>{{IUCN2008|assessors=IUCN SSC Antelope Specialist Group|year=2008|id=15188|title=Okapia johnstoni|downloaded=26 Novemberde Novembro de 2013}} Database entry includes a brief justification of why this species is endangered.</ref>| filo = [[Chordata]]
| classe = [[Mammalia]]
| ordem = [[Artiodactyla]]
 
== Etimologia e taxonomia ==
[[Ficheiro:Okapi_1901.jpg|miniaturadaimagemminiatura|Uma ilustração de um ocapi pelo Sir Harry Johnston, 1901]]
O nome científico do ocapi é ''Okapia johnstoni''. Foi descrito pela primeira vez como ''Equus johnstoni'' pelo zoólogo inglês [[Philip Sclater|Philip Lutley Sclater]] em1901em 1901.<ref>{{Cite journal|last=Sclater|first=Philip Lutley|year=1901|title=On an Apparently New Species of Zebra from the Semliki Forest.|url=http://www.biodiversitylibrary.org/page/31590976|journal=Proceedings of the Zoological Society of London|volume=v.1|pages=50–52|via=Biodiversity Heritage Library}}</ref> O [[nome genérico]] ''Okapia'' deriva de [[Lese língua|Lese]] [[Karo língua|Karo]] nome o'api, enquanto o [[nome específico]] (johnstoni) é em reconhecimento do governador britânico de [[Uganda]], Sir Harry Johnston, que primeiro adquiriu uma espécime de ocapi para a ciência da [[Floresta Ituri]] ao repatriar um grupo de [[pigmeus]] ao Congo belga.<ref>Nowak, Ronald M (1999) ''Walker's Mammals of the World.'' 6th ed. p. 1085.</ref><ref>{{citation|title=The Okapi: Mysterious Animal of Congo-Zaire|last=Lindsey|last2=Green|last3=Bennett|first=Susan Lyndaker|first2=Mary Neel|first3=Cynthia L.|date=1999|pages=4–8|publisher=University of Texas Press|isbn=0292747071}}</ref> O animal foi trazido à atenção Europeia proeminente pela especulação de sua existência encontrada em relatórios da imprensa cobrindo as viagens de [[Henry Morton Stanley]] em 1887. Os restos de uma carcaça foram mais tarde enviados para Londres pelo aventureiro inglês e administrador colonial Harry Johnston e se tornou um evento de mídia em 1901.<ref>{{Cite journal|volume=57|url=https://books.google.com/books?id=hpR_hPSqYa0C&pg=PA544|page=544|journal=The American review of reviews|title=The African okapi, a beast unknown to the zoos|author=Shaw, Albert|year=1918}}</ref>
 
Em 1901, zoólogo [[Philip Sclater]] apresentou uma pintura do ocapi antes da [[Sociedade Zoológica de Londres]] que descrevia suas características físicas com alguma clareza. Havia muita confusão quanto ao status taxonômico deste animal recém-descoberto. O próprio Sir Harry Johnston o chamou de ''Helladotherium'', ou um parente de outros giraffids extintos.<ref>{{cite journal|title=Proceedings of the general meetings for scientific business of the Zoological Society of London|journal=[[Proceedings of the Zoological Society of London]]|date=1901|volume=2 (May to December)|issue=1|pages=1–5|url=https://archive.org/stream/proceedingsofzoo19012zool#page/n47/mode/2up}}</ref> Baseado na descrição do ocapi pelos Pigmeus, que se referiram a ele como um "cavalo", Sclater nomeou a espécie ''Equus johnstoni.''<ref name="kingdon1979">{{cite book|last1=Kingdon|first1=Jonathan|title=East African Mammals: An Atlas of Evolution in Africa, Volume 3, Part B|date=1979|publisher=University of Chicago Press|location=Chicago|isbn=9780226437224|page=339}}</ref> Posteriormente, Lankester declarou que o ocapi representava um gênero desconhecido de Giraffidae, que ele colocou em seu próprio gênero ''Okapia'', e atribuiu o nome ''Okapia johnstoni'' à espécie.<ref name="prothero">{{cite book|last1=Prothero|first1=Donald R.|last2=Schoch|first2=Robert M.|title=Horns, tusks, and flippers : the evolution of hoofed mammals|date=2002|publisher=Johns Hopkins University Press|location=Baltimore, Md.|isbn=9780801871351|pages=66–67}}</ref>
 
Em 1902, o zoólogo suíço Charles Immanuel Forsyth Major sugeriu a inclusão de ''O. johnstoni'' na subfamília extinta da giraffid, Palaeotraginae. No entanto, a espécie foi colocada em sua própria subfamília Okapiinae, pelo paleontólogo sueco Birger Bohlin em 1926,<ref>{{cite journal|last1=Bohlin|first1=B.|title=Die Familie Giraffidae: mit besonderer Berücksichtigung der fossilen Formen aus China|journal=Palaeontologica Sinica, series C|date=1926|volume=4|pages=1–179}}</ref> Principalmente devido à falta de um cíngulo, uma característica importante dos palaeotragids.<ref name="colbert">{{cite journal|last1=Colbert|first1=E. H.|title=The relationships of the okapi|journal=Journal of Mammalogy|date=FebruaryFevereiro de 1938|volume=19|issue=1|pages=47|doi=10.2307/1374281|jstor=1374281}}</ref> Em 1986, Ocapia foi finalmente estabelecida como um gênero irmão da Girafa com base na análise cladística. Os dois gêneros, juntamente com ''Palaeotragus'' constituem a tribo Giraffini.<ref name="geraads">{{cite journal|last1=Geraads|first1=Denis|title=Remarques sur la systématique et la phylogénie des Giraffidae (Artiodactyla, Mammalia)|journal=Geobios|date=JanuaryJaneiro de 1986|volume=19|issue=4|pages=465–477|doi=10.1016/S0016-6995(86)80004-3}}</ref>
 
=== Evolução ===
[[Ficheiro:Okapi_Giraffe_Neck.png|miniaturadaimagemminiatura|Apesar da grande diferença no comprimento do pescoço, o ocapi (esquerda) e a girafa (direita) têm sete vértebras cervicais.]]
Os primeiros membros de Giraffidae apareceram primeiramente no Miocene adiantado em África, tendo divergido superficialmente do veado [[Climacoceratidae|climacoceratids]]. Giraffids se espalharam na Europa e Ásia por Mioceno médio em uma primeira [[Radiação adaptativa|radiação]]. Outra radiação começou no Plioceno mas foi terminada por um declínio na diversidade no [[Pleistoceno|Pleistocene]].<ref name="finlayson">{{cite book|last1=Finlayson|first1=Clive|title=Neanderthals and Modern Humans : An Ecological and Evolutionary Perspective|date=2009|publisher=Cambridge University Press|location=Cambridge|isbn=0521121000|page=25|edition=Digitally printed}}</ref> Vários giraffids primitivos importantes existiram mais ou menos contemporaneamente no Miocene (23-10 milhão anos atrás), incluíndo Canthumeryx, Giraffokeryx, Palaeotragus e Samotherium. De acordo com a paleontóloga e autora Kathleen Hunt, Samotherium dividiu-se em Ocapia (18 milhões de anos atrás) e Giraffa (12 milhões de anos atrás).<ref>{{cite web|author=Hunt, Kathleen|title=Transitional Vertebrate Fossils FAQ Part 2C|publisher=TalkOrigins|url=http://www.talkorigins.org/faqs/faq-transitional/part2c.html#arti|accessdate=April 28, 2015}}</ref> No entanto, outro autor J. D. Skinner argumentou que Canthumeryx deu origem ao ocapi e a girafa através dos últimos três gêneros e que o ocapi é a forma existente de Palaeotragus<ref>{{cite journal|last1=Mitchell|first1=G.|last2=Skinner|first2=J.D.|title=On the origin, evolution and phylogeny of giraffes Giraffa camelopardalis|journal=Transactions of the Royal Society of South Africa|volume=58|issue=1|year=2003|url=https://tsjok45.files.wordpress.com/2012/12/giraffeevolution.pdf|doi=10.1080/00359190309519935|pages=51–73}}</ref> O ocapi é por vezes referido como um exemplo de um fóssil vivo, uma vez que tem existido como uma espécie durante um longo período de tempo geológico, e morfologicamente se assemelha a formas mais primitivas (por exemplo, Samotherium).<ref name="prothero" /><ref>{{cite journal|url=https://news.google.com/newspapers?nid=1499&dat=19570624&id=wAMkAAAAIBAJ&sjid=kCUEAAAAIBAJ&pg=6731,2170969|title=Why Is the Okapi Called a Living Fossil|journal=The Milwaukee Journal|date=24 Junede Junho de 1954}}</ref>
 
Um estudo publicado em 2016 descobriu que o antepassado comum da girafa e do ocapi viveu cerca de 11,5 milhões de anos atrás.<ref>{{cite journal|last1=Agaba|first1=M.|last2=Ishengoma|first2=E.|last3=Miller|first3=W.C.|last4=McGrath|first4=B.C.|last5=Hudson|first5=C.N.|last6=Bedoya Reina|first6=O.C.|last7=Ratan|first7=A.|last8=Burhans|first8=R.|last9=Chikhi|first9=R.|last10=Medvedev|first10=P.|last11=Praul|first11=C.A.|last12=Wu-Cavener|first12=L.|last13=Wood|first13=B.|last14=Robertson|first14=H.|last15=Penfold|first15=L.|last16=Cavener|first16=D.R.|title=Giraffe genome sequence reveals clues to its unique morphology and physiology|journal=[[Nature (journal)|Nature]]|date=May 2016|volume=7|pages=11519|doi=10.1038/ncomms11519|pmid=27187213|pmc=4873664}} {{open access}}</ref>
 
== Características ==
[[Ficheiro:Okapi_(Okapia_johnstoni)_2009-04-04_04.jpg|esquerda|miniaturadaimagemminiatura|Ocapi monstrando suas listras brancas impressionantes e chifres curtos cobertos de cabelo.]]
O ocapi é uma girafa de tamanho médio, com 1,5 m (4.9 ft) de altura no ombro. Seu comprimento médio é de cerca de 2,5 m (8.2 ft) e seu peso varia de 200 a 350 kg (440 a 770 lb).<ref name="Burnie">{{cite book|author=Burnie|author2=Don E. Wilson|last-author-amp=yes|title=Animal|date=2001|publisher=DK|location=New York|isbn=0789477645|edition=1st American}}</ref> Tem um pescoço longo, e orelhas grandes e flexíveis. O casaco é um chocolate marrom avermelhado, muito em contraste com as listras horizontais brancas e anéis nas pernas e tornozelos brancos. As listras marcantes fazem-no assemelhar-se a uma zebra.<ref name="adw" /> Estas características servem como uma camuflagem eficaz em meio à vegetação densa. O rosto, a garganta e o peito são brancos acinzentados. As glândulas interdigital estão presentes em todos os quatro pés, e são ligeiramente maiores nos pés dianteiros.<ref name="bodmer">{{cite journal|last1=Bodmer|first1=R.E.|last2=Rabb|first2=G.B.|title=''Okapia johnstoni''|journal=Mammalian Species|date=10 Decemberde Dezembro de 1992|issue=422|pages=1–8|url=http://www.science.smith.edu/msi/pdf/i0076-3519-422-01-0001.pdf|doi=10.2307/3504153}}</ref> Os ocapis machos têm chifres curtos e cobertos de pelos, chamados ossicones, com menos de 15 cm de comprimento. O ocapi exibe dimorfismo sexual, com fêmeas 4,2 centímetros mais altas em média, ligeiramente mais vermelhas e sem chifres proeminentes, em vez disso possuindo vernizes.<ref name="grzimek">{{cite book|last1=Grzimek|first1=B.|title=Grzimek's Encyclopedia of Mammals (Volume 5)|date=1990|publisher=McGraw-Hill Publishing Company|location=New York}}</ref><ref name="jstor">{{cite journal|last1=Solounias|first1=N.|title=Prevalence of ossicones in Giraffidae (Artiodactyla, Mammalia)|journal=Journal of Mammalogy|date=NovemberNovembro de 1988|volume=69|issue=4|pages=845–8|doi=10.2307/1381645|JSTOR=1381645}}</ref>
 
O ocapi mostra várias adaptações ao seu habitat tropical. O grande número de células de vareta na [[retina]] facilita a visão noturna, e há um eficiente sistema olfatório. As grandes bolhas auditivas levam a um forte senso auditivo. A fórmula dentária do ocapi é {{Fórmuladentária|superior=0.0.3.3|inferior=3.1.3.3}}<ref name="bodmer" /> Dentes são baixos-coroado,  bem cúspide e eficiente para cortar a folhagem macia. O grande ceco e cólon ajudam na digestão microbiana, e uma taxa rápida de passagem de alimentos permite uma menor digestão da parede celular do que em outros ruminantes.<ref name="kingdon" />
 
== Ecologia e comportamento ==
[[Ficheiro:Okapi_tongue.jpg|miniaturadaimagemminiatura|A língua longa do okapi]]
[[Ficheiro:Okapi_and_calf_at_White_Oak.jpg|miniaturadaimagemminiatura|Um ocapi está ao lado do seu bezerro na White Oak Conservation.]]
Ocapis são principalmente diurnos, mas podem estar ativos por algumas horas na escuridão.<ref>{{cite journal|last1=Lusenge|first1=T.|last2=Nixon|first2=S.|title=Conservation status of okapi in Virunga National Park|journal=DRC, Zoological Society of London|date=2008}}</ref> Eles são essencialmente solitários, unindo-se apenas para se reproduzir. Eles têm intervalos domésticos sobrepostos e ocorrem tipicamente em densidades de cerca de 0,6 animais por kilômetro quadrado.<ref name=adw>{{cite web|last1=Palkovacs|first1=E.|title=Okapi ''Okapia johnstoni''|url=http://animaldiversity.org/site/accounts/information/Okapia_johnstoni.html|website=Animal Diversity Web|publisher=University of Michigan Museum of Zoology|accessdate=17 Aprilde Abril de 2015}}</ref> Machos com intervalos domésticos de {{convert|13|km2|sqmi|abbr=on}} enquato a fêmeas tem intervalos domésticos de {{convert|3|-|5|km2|sqmi|abbr=on}}. Os machos migram continuamente, enquanto as fêmeas são sedentárias.<ref name="hart" /> Machos frequentemente marcam territórios e arbustos com a sua urina, enquanto as fêmeas usam locais comuns de defecação. Higiene é uma prática comum, focada nos lóbulos das orelhas e no pescoço. Ocapis esfregam muitas vezes o pescoço contra as árvores, deixando um [[exsudato]] marrom.<ref name="bodmer" />
 
O macho protege seu território, mas permite que as fêmeas passem pelo domínio para se alimentar. Os machos visitam faixas de origem feminina no momento da reprodução.<ref name="kingdon" /> Embora geralmente tranquilo, o ocapi pode chutar e com a cabeça bater na bunda para mostrar agressividade. Como as cordas vocais são pouco desenvolvidas, a comunicação vocal é restrita principalmente a três sons - "chuff" (chamadas de contato utilizadas por ambos os sexos), "gemido" (por mulheres durante o namoro) e "bleat" (por crianças sob estresse). Os indivíduos podem se envolver na resposta de Flehmen, uma expressão visual em que o animal ondula para trás seus lábios superiores, exibe os dentes e inala pela boca por alguns segundos. O leopardo é o principal predador do ocapi.<ref name="bodmer" />
 
=== Reprodução ===
Os ocapis fêmeas tornam-se sexualmente maduros em aproximadamente um ano e meio de idade, enquanto os machos atingem a maturidade após dois anos. Rotina nos machos e [[estro]] em mulheres não depende da estação. Em cativeiro, ciclos de estro recorrem a cada 15 dias. Em cativeiro, ciclos de estro recorrem a cada 15 dias.<ref name="kingdon" /><ref name="reproduction">{{cite journal|last1=Schwarzenberger|first1=F|last2=Rietschel|first2=W|last3=Matern|first3=B|last4=Schaftenaar|first4=W|last5=Bircher|first5=P|last6=Van Puijenbroeck|first6=B|last7=Leus|first7=K|title=Noninvasive reproductive monitoring in the okapi (''Okapia johnstoni'')|journal=Journal of zoo and wildlife medicine : official publication of the American Association of Zoo Veterinarians|date=DecemberDezembro de 1999|volume=30|issue=4|pages=497–503|pmid=10749434}}</ref> O macho e a fêmea começam o namoro fazendo círculos, cheirando e lambendo uns aos outros. O macho mostra seu domínio estendendo seu pescoço, jogando sua cabeça e protrusão uma perna para frente. Isto é seguido por montagem e copulação.<ref name="grzimek" />
 
O período gestacional é de cerca de 440 a 450 dias de duração, após o que geralmente um único bezerro nasce, pesando 14-30 kg (31-66 lb). O úbere da mulher grávida começa a inchar dois meses antes do parto e podem ocorrer descargas vulvares. Parto leva 3-4 horas, e a fêmea fica durante todo este período, embora ela pode descansar durante breves intervalos. A mãe consome o pós-parto e cuida intensamente do bebê. Seu leite é muito rico em proteínas e pobre em gordura.<ref name="kingdon" />
 
== Ameaças e conservação ==
A [[União Internacional para a Conservação da Natureza|União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais]] (IUCN) classifica o ocapi como [[Ameaçada|Ameaçado]].<ref name="OCP">{{cite news|last=Hebert|first=Amanda|date=26 November 2013|title=Okapi Added to IUCN’S Endangered Species List|url=http://www.epulu-story.org/assets/endangered-press-release-11.25.docx|location=[[Jacksonville, Florida]]|publisher=[[Okapi Conservation Project]]|accessdate=3 Junede Junho de 2014}}</ref> Está totalmente protegido pela lei Congolesa. A Reserva natural dos Ocapi e o parque nacional de Maiko suportam populações significativas do ocapi, embora haja um declínio constante nos números devido a diversas ameaças. Outras áreas de ocorrência são a Reserva de Caça Rubi Tele e a Reserva Abumombanzi. As principais ameaças incluem a perda de habitat devido à exploração madeireira e ao assentamento humano. A caça extensiva para carne de animais selvagens e a pele e a mineração ilegal conduziram também aos declínios da população. Uma ameaça que surgiu recentemente é a presença de grupos armados ilegais em torno de áreas protegidas, inibindo as ações de conservação e monitoramento. Uma pequena população ocorre ao norte do Parque Nacional de Virunga, mas é privada de proteção devido à presença de grupos armados na vizinhança.<ref name="iucn" /> Em junho de 2012, uma quadrilha de caçadores atacou a sede da Reserva natural dos Ocapi, matando seis guardas e outros funcionários, bem como 13 do ocapi cativo.<ref>{{cite news|last1=Flocken|first1=J.|title=Tragic Losses in the Heart of Darkness|url=http://www.huffingtonpost.com/jeffrey-flocken/okapi-wildlife-reserve-attack_b_1634403.html?ir=India|accessdate=18 Aprilde Abril de 2015|agency=Huffington Post|date=29 Junede Junho de 2012}}</ref>
 
O Okapi Conservation Project, criado em 1987, trabalha para a conservação do ocapi, bem como o crescimento do povo indígena Mbuti.<ref name="iucn" /> Em novembro de 2011, o  [[White Oak Conservation]] center e o Zoológico e Jardins de Jacksonville organizaram uma reunião internacional do Plano de Sobrevivência de Espécies de Okapi (em inglês; SSP) e do Programa de Espécies Ameaçadas de Extinção de Ocapi (em inglês; EEP) em Jacksonville, na qual participaram representantes de zoológicos dos EUA , Europa e Japão. O objetivo foi discutir o manejo dos ocapis cativos e organizar o apoio para conservação do ocapi. Muitos zoológicos na América do Norte e Europa atualmente têm ocapis em cativeiro.<ref name="meet">{{cite web|title=Okapi SSP and EEP International Meeting|url=http://www.okapiconservation.org/ssp-eep/|website=Okapi Conservation Project|publisher=Wildlife Conservation Global|accessdate=18 Aprilde Abril de 2015}}</ref>
 
<gallery>