Diferenças entre edições de "Teoria atômica"

4 bytes adicionados ,  22h51min de 17 de março de 2017
m
Foram revertidas as edições de 200.135.19.1 para a última revisão de Alberto79, de 22h06min de 11 de março de 2017 (UTC)
m (Foram revertidas as edições de 200.135.19.1 para a última revisão de Alberto79, de 22h06min de 11 de março de 2017 (UTC))
 
== História ==
A Teoria atômica havia sido proposta por filósofos, como [[Descartes]], antes dela ter uma base experimental. Havia, desde os tempos antigos, duas hipóteses sobre a composição da matéria: ou ela seria formada por partículas que não poderiam ser mais divididas, ou não haveria nenhum limite à divisibilidade da matéria. A primeira ideia costuma ser atribuída aos [[epicurista]]s, porém suas origens podem ser ainda mais antigas. A cosmogenia de [[Demócrito]] se baseia nesta ideia, que ele derivou de [[Leucipo]]. Segundo Daubeny, [[Mosco]], um fenício que floresceu antes da [[Guerra de Troia]], teria estas ideias, assim como as [[mônadas]] de [[Pitágoras]], cuja origem seria egípcia. Segundo Mr. Colebrooke, citado por Daubeny, os [[hindus]] também tinham, no passado, uma teoria atômica.
 
Pela teoria atômica de [[Epicuro]], não havia nada além de matéria e espaço, sendo a matéria formada por formas geométricas inquebráveis, de várias formas, como redondas, quadradas, com raios, etc, porém em uma quantidade finita de formas distintas. Estes átomos possuíam duas propriedades intrínsecas de movimento, uma tendência natural para descer e o movimento causado pelas suas colisões, que faria os átomos se afastarem. Além destes dois movimentos, segundo Epicuro, alguns átomos possuiriam um terceiro movimento, que os faria descer em trajetórias oblíquas ou curvas. Os sólidos seriam produzidos por estes átomos quando eles estivessem em forma compacta, porém líquidos, ceras, madeira ou vapor quando eles estivessem menos compactos.