Diferenças entre edições de "António Mourão"

2 593 bytes adicionados ,  16h28min de 25 de março de 2017
Revisão + são precisas refs para a discografia.
(WP:CITE Desfeita a edição 48333483 de 188.80.101.129)
(Revisão + são precisas refs para a discografia.)
{{Info/Música/artista
{{multitag|mnot|wkf|infobox=cantor|rec|p1=pt|p2=musica |data=fevereiro de 2016}}
|nome = António Mourão
'''António Mourão''', nome artístico de António Manuel Dias Pequerrucho, ([[Montijo]], [[5 de junho]] de [[1935 na música|1935]] — [[Lisboa]], [[19 de outubro]] de [[2013 na música|2013]]) foi um [[fadista]] [[Portugueses|português]].
|imagem =
|imagem_tamanho =
|imagem_legenda =
|fundo = cantor_solo
|nome completo = António Manuel Dias Pequerrucho
|apelido =
|nascimento_data = {{dni|03|06|1935|lang=pt|si}}
|nascimento_cidade = [[Montijo]]
|nascimento_país = {{POR}}
|origem =
|país =
|morte_data = {{nowrap|{{morte|19|10|2013|03|06|1935}}}}
|morte_local = [[Lisboa]]
|nacionalidade =
|cônjuge =
|género = [[Fado]]
|filhos =
|nome_mãe =
|nome_pai =
|alma_mater =
|ocupação =
|instrumento =
|instrumentos notáveis =
|modelos =
|tipo vocal =
|período =
|outras ocupações =
|editora = [[RCA Records|RCA]], [[Valentim de Carvalho]], [[Movieplay]]
|afiliações =
|influências =
|influenciados =
|prémios =
|website =
|assinatura =
}}
'''António Mourão''', nome artístico de '''António Manuel Dias Pequerrucho''', ([[Montijo]], [[3 de junho]] de [[1935 na música|1935]] — [[Lisboa]], [[19 de outubro]] de [[2013 na música|2013]]) foi um [[fadista]] [[Portugueses|português]].
 
Intérprete do conhecido tema "Ó Tempo Volta para Trás" afastou-se do mundo artístico nos [[Década de 1990|anos 90]].
 
== Biografia ==
António Mourão nasceu no Montijo em 3 de junho de 1935.<ref name="IP">{{citar web |url=https://www.infopedia.pt/$antonio-mourao |título=Artigos de apoio : António Mourão |autor= |data=2013-10-19 |publicado=Infopédia |acessodata=2017-03-25 |notas=Indica dia "5" como dia de nascimento.}}}</ref><ref name="CM13"/>
Foi ao cumprir o [[serviço militar obrigatório]] que a sua voz começou a dar nas vistas. Passou a cantar, como amador, nas casas de fado de Lisboa. Em 1964, foi contratado para a "[[Parreirinha de Alfama]]", casa típica de [[Argentina Santos]] onde fez a sua estreia profissional. Depois foi contratado pelo fadista Sérgio para atuar na casa de fados Viela, em Lisboa <ref>http://www.cmjornal.xl.pt/cultura/detalhe/morreu-o-fadista-antonio-mourao.html</ref>.
 
Foi ao cumprir o [[serviço militar obrigatório]] que a sua voz começou a dar nas vistas. Passou a cantar, como amador, nas casas de fado de Lisboa. Em 1964, foi contratado para a "Parreirinha de Alfama", casa típica de [[Argentina Santos]], onde fez a sua estreia profissional.<ref name="IP"/><ref name="CM13"/> Depois foi contratado pelo fadista Sérgio para atuar na lisboeta casa de fados "Viela".<ref name="CM13"/>
A verdadeira notabilidade seria ganha em 1965 com a sua participação na revista "E Viva o Velho", no [[Teatro Maria Vitória]], onde interpretou a canção "[[Ó Tempo Volta para Trás]]", da dupla [[Eduardo Damas]]-[[Manuel Paião]], que se tornaria um dos maiores êxitos da história da música portuguesa.
 
A verdadeira notabilidade seria ganha em 1965 com a sua participação na [[Teatro de Revista|revista]] ''E Viva o Velho!'', no [[Teatro Maria Vitória]], onde interpretou a canção "Ó Tempo Volta para Trás", da dupla Eduardo Damas / Manuel Paião, que se tornaria num dos maiores êxitos da história da música portuguesa.<ref name="IP"/><ref name="CM13"/>O disco viria a ultrapassar os 200 mil exemplares vendidos.<ref name="IP"/>
Gravou discos para editoras como a [[RCA Records|RCA]], a [[Valentim de Carvalho]], a Polygram e a Orfeu.
 
António Mourão tornou-se num cantor muito popular, pelo que, de forma natural, percorreu todo o país e chegou a cantar em vários palcos no estrangeiro, em países como Estados Unidos da América, Canadá, Austrália, Venezuela, África do Sul, França e Alemanha.<ref name="IP"/>
 
Voltaria à revista várias vezes, em peças como ''Ó Zé aperta o Cinto'' ou ''Não Há Nada Para Ninguém''.<ref name="IP"/>
Também gravou outros temas marcantes, de fado e de folclore, como "Os Teus Olhos Negros, Negros", "Chiquita Morena", "Oh Vida Dá-me Outra Vida", "Fado do Cacilheiro" ou "Varina da Madragoa". Foi o primeiro nome a gravar [[Carlos Paião]] num ''[[single]]'' de 1979.
 
Gravou discos para [[Editora discográfica|editoras]] como a [[RCA Records|RCA]], a [[Valentim de Carvalho]] ou a [[Movieplay]].<ref name="CM13"/>
"Não há fado sem verdade" foi o último trabalho que gravou<ref>http://www.cmjornal.xl.pt/cultura/detalhe/morreu-o-fadista-antonio-mourao.html</ref>. Apesar de ter sido muito premiado e acarinhado pelo público, António Mourão acabou praticamente por se retirar do mundo artístico nos [[Década de 1990|anos 1990]].
 
Também gravou outros temas marcantes, de fado e de folclore, como "Os Teus Olhos Negros, Negros", "Chiquita Morena", "Oh Vida Dá-me Outra Vida", "Fado do Cacilheiro" ou "Varina da Madragoa".<ref name="IP"/> Foi o primeiro nome a gravar [[Carlos Paião]] num ''[[single]]'' de 1979.{{carece de fontes}}
O fadista António Mourão com 78 anos, faleceu a 18 Outubro de 2013, na [[Casa do Artista]], em Lisboa.
 
O António Mourão voltou a arriscar ao ser um dos primeiros portugueses a gravar êxitos de [[Amália Rodrigues]], como "Maria Lisboa".<ref name="CM13"/> Mesmo tendo seguindo um forte vertente popular, nos seus trabalhos é possível encontrar grandes poetas portugueses, como [[Fernando Pessoa]], [[Mário de Sá Carneiro]] ou [[José Carlos Ary dos Santos]].<ref name="CM13"/>
== Discografia ==
 
''Não há fado sem verdade'' foi o último álbum que gravou.<ref name="CM13"/>
===Álbuns de estúdio===
 
Centrando-se numa certa desilusão com o meio musical português, António Mourão acabou por se retirar, quase por completo, do meio artístico nos [[Década de 1990|anos 1990]], apesar de ser acarinhado pelo público e ter recebido muitos prémios.<ref name="IP"/>
* O Fadista da Nova Vaga (LP, RCA, 1967)
* É Sempre Sucesso (1968)
* Folclore das Províncias (1970)
* Meu Amor, Meu Amor (LP, Decca, 1971)
* Ouvi-Te Cantar (1971)
* Se Quiseres Ouvir Cantar (LP, Decca, 1973)
* Pregão da Liberdade (1975)
* Cantigas Que a Gente Canta (1977)
* Canta o Amor (1978)
* O Nosso Folclore (LP, Decca, 1978)
* Canto e Recanto (1980)
* Oh Razão da Minha Vida (LP, Orfeu, 1983)
* Álbum de Recordações (LP, Polygram, 1984)
* Sucessos Populares (1987)
* A Voz Que Volta (1992)
* Pensando em Ti (LP, Discossete, 1993)
* ''Não Há Fado Sem Verdade'' (CD, Movieplay, 1993)
 
O fadista António Mourão morreu em 18 Outubro de 2013, com 78 anos, na [[Casa do Artista]], em Lisboa.<ref name="CM13">{{citar web |url=http://www.cmjornal.xl.pt/cultura/detalhe/morreu-o-fadista-antonio-mourao.html |título=Morreu o fadista António Mourão |autor=Agência Lusa |data=2013-10-19 |publicado=''Correio da Manhã'' |acessodata=2016-06-23 |notas=Indica dia "3" como dia de nascimento.}}</ref>
===Compilações===
*Os Maiores Sucessos De António Mourão ‎(RCA)
*Os Maiores Sucessos De António Mourão Vol. 2 ‎(RCA)
*Os Últimos Êxitos De ‎(Decca)
* Colecção ''[[O Melhor dos Melhores]]'' (n.º 29) <small>(1994, CD, Movieplay)</small><ref>{{citar web|url=http://fonoteca.cm-lisboa.pt/cgi-bin/info3.pl?3093&CD&0 |título=Catálogo - Detalhes do registo de "António Mourão; O melhor dos melhores; 29" |autor=|data=|publicado=Fonoteca Municipal de Lisboa |acessodata=2016-02-22}}</ref>
* 25 Anos de Cantigas (1989)
* Temas de Ouro da Música Portuguesa (Polygram, 1992)
* Música de Portugal (1995)
* Clássicos da Renascença (Movieplay, 2000)
* Magia do Fado (Espacial, 2000)
* O Melhor de António Mourão (Iplay, 2008)
* Essencial (EVC, 2014)
 
== Discografia ==
; Singles e EPS
===Álbuns de estúdio===
* ''O Fadista da Nova Vaga'' (LP, RCA, 1967)
* ''É Sempre Sucesso'' (1968)<ref name="IP"/><ref name="CM13"/>
* ''Folclore das Províncias'' (1970)<ref name="IP"/><ref name="CM13"/>
* ''Ouvi-te Cantar'' (1971)
* ''Meu Amor, Meu Amor''<ref name="IP"/><ref name="CM13"/> (LP, Decca, 1971)
* ''Se Quiseres Ouvir Cantar''<ref name="IP"/><ref name="CM13"/> (LP, Decca, 1973)
* ''Pregão da Liberdade'' (1975)
* ''Cantigas Que a Gente Canta'' (1977)
* ''Canta o Amor'' (1978)
* ''O Nosso Folclore'' (LP, Decca, 1978)
* ''Canto e Recanto'' (1980)<ref name="CM13"/>
* ''Oh Razão da Minha Vida''<ref name="IP"/><ref name="CM13"/> (LP, Orfeu, 1983)
* ''Sucessos Populares'' (1987)
* ''Pensando em Ti'' (LP, Discossete, 1993)
* ''A Voz Que Volta'' (1992)
* ''Não Há Fado Sem Verdade''<ref name="IP"/> (CD, Movieplay, 1993)
 
===Compilações===
[https://www.discogs.com/artist/1193252-António-Mourão?filter_anv=0&subtype=Singles-EPs&type=Releases]
*''Álbum de Recordações'' (2xLP, Polygram, 1984)
*''Os Maiores Sucessos de António Mourão'' ‎(RCA)
*''Os Maiores Sucessos de António Mourão Vol. 2'' ‎(RCA)
*''Os Últimos Êxitos de'' ‎(Decca)
* 'Colecção ''[[O Melhor dos Melhores]]'' (n.º 29) <small>(1994, CD, Movieplay)</small><ref>{{citar web|url=http://fonoteca.cm-lisboa.pt/cgi-bin/info3.pl?3093&CD&0 |título=Catálogo - Detalhes do registo de "António Mourão; O melhor dos melhores; 29" |autor=|data=|publicado=Fonoteca Municipal de Lisboa |acessodata=2016-02-22}}</ref>
*'' 25 Anos de Cantigas'' (1989)
* ''Temas de Ouro da Música Portuguesa'' (Polygram, 1992)
* ''Música de Portugal'' (1995)
* ''Clássicos da Renascença'' (Movieplay, 2000)
* ''Magia do Fado'' (Espacial, 2000)
* ''O Melhor de António Mourão'' (Iplay, 2008)
* ''Essencial'' (EVC, 2014)
 
== Ver também ==
* [[Lista de músicos recordistas de vendas em Portugal]]
 
{{Referências}}
 
== Ligações externas==
*{{link |1=en |2=https://www.discogs.com/artist/1193252-Ant%C3%B3nioAntónio-Mour%C3%A3oMourão |3=Discografia de António Mourão |4= no Discogs}}
*[http://antonio-mourao-fado.blogspot.pt blog]
 
== Ver também ==
* [[Lista de músicos recordistas de vendas em Portugal]]
 
{{Portal3|Música portuguesa|Biografias}}
4 345

edições