Áton: diferenças entre revisões

1 byte adicionado ,  26 de março de 2017
m
Apenas corrigi um erro de digitação, substituindo logo por longo.
(Mudei o texto!)
m (Apenas corrigi um erro de digitação, substituindo logo por longo.)
'''Áton''', '''Aton''' ou '''Aten''' é um [[neter]] Egípcio da [[teosofia]] conhecida como [[Atonismo]] na cidade de [[Amarna]]. O culto a Aton se tratava de uma filosofia religiosa "pseudo-monoteísta" ([[Monolatria|Monolatrica]]/[[Henoteísmo|Henoteísta]]) que é a base central da crença [[Monoteísta]] adotada por diversas religiões como o Judaísmo, Cristianismo, Islamismo, etc.<ref name=lar />
 
Segundo a [[egiptologia]] moderna, o culto a Aton não é o resultado de uma simples reforma religiosa, ou de um individuo em determinado período, mais um processo de mentalidade que ocorreu em um logolongo espaço de tempo na Historia, onde Aton é o fruto da [[metamorfose]] do deus [[Rá|Ra]], e consequentemente alcança a supremacia entre os deuses. As primeiras menções do nome do deus Aton é encontrada por volta da XII dinastia.<ref>Wilkinson, Richard H. (2003). ''Os Deuses completos e deusas do antigo Egito''. Thames & Hudson. pp. 236-240</ref>[[Ficheiro:Akhenaten as a Sphinx (Kestner Museum).jpg|miniaturadaimagem|Akhenaton na forma de uma esfinge adorando a Aton. Cartucho esquerdo com os nomes de Aton e Akhenaton.]]O deus do sol Aton ganhou grande notoriedade no reinado de [[Amenófis III|Amenhotep III]], quando ele ainda era retratado como um homem com cabeça de falcão. Durante o reinado de seu sucessor Amenhotep IV, Aton tornou-se a principal divindade do Estado Egípcio. Depois disso, Amenhotep IV mudou seu nome para [[Aquenáton]] ( "agradável Aton"), para mostrar a sua estreita relação com esta divindade.<ref>Cyril Aldred, ''Akhenaton o Faraó do Sol,'' Newton & Compton.</ref>
 
No reino do [[faraó]] Aquenáton, o deus Áton era representado como um disco solar, fonte de energia da vida terrena, cujo símbolo dos raios terminavam como mãos que seguravam a chave do [[Ankh]].<ref>Collier, o Mark e Manley, por Bill. ''Para a leitura egípcia Como Hieróglifos: 2nd Edition é.'' Berkeley: University of California Press, 1998, p. 29</ref>
4

edições