Diferenças entre edições de "Paulicianismo"

6 bytes adicionados ,  07h04min de 6 de abril de 2017
sem resumo de edição
(Corrigir)
Durante os séculos V e VI, os [[Hunos]] formaram parte de uma confederação que avançava para o território armênio, muitos dos militares que protegiam as fronteiras armênias eram paulicianos.
 
Em 668, iniciou-se uma grande perseguição aos paulicianos que provocou, em 690, a morte de um de seus grandes líderes chamado Constantino, que foi morto apedrejado e seu sucessor queimado vivo. Durante o reinado do imperador {{Lknb|Leão|III, o IsáurioIsauro}} {{nwrap|r.|717|741}} foram favorecidos nos [[Balcãs]] ocidentais pelo édito do imperador contra as imagens, tendo proteções do próprio filho de Leão III.
 
A imperatriz [[Teodósia (esposa de Leão V)|Teodósia]] {{nwrap||842|867}} iniciou uma perseguição que matou 100.000{{fmtn|100000}} deles, pois eram acusados de [[gnósticos]] e [[Maniqueísmo|maniqueístas]], [[dualismo|dualistas]].
 
Após as perseguições os então denominados hereges paulicianos expandiram-se para os Balcãs ocidentais, dando a possível origem aos [[bogomilos]]. Segundo creem alguns historiadores {{quem}} posteriormente originaram os [[albigenses]] nos [[Alpes]] do sul da [[França]] ao se unirem com os "hereges" que lá residiam.