Diferenças entre edições de "400 metros rasos"

118 bytes adicionados ,  01h14min de 12 de abril de 2017
m
ajustando datas nas citações, traduzindo nome/parâmetro de predefinições, outros ajustes usando script
m
m (ajustando datas nas citações, traduzindo nome/parâmetro de predefinições, outros ajustes usando script)
'''400 metros rasos''' é uma modalidade olímpica de [[atletismo]] onde os atletas correm uma volta inteira em volta da pista circular padrão do estádio. É a mais longa das provas de velocidade pura.
 
Os corredores partem de blocos colocados no chão da pista, em uma linha de partida escalonada, de dentro para fora da pista, que compensa o efeito que a curva provoca e garante a mesma distância para todos. Um tempo de reação ao sinal de largada de menos de 0.1s é considerado como largada falsa e o corredor é desclassificado,um competidor também pode ser desclassificado caso pise fora de sua raia. A chegada é feita na meta oficial de acordo com as medições do atletismo.<ref name="iaaf400">{{citecitar web|url=http://www.iaaf.org/disciplines/sprints/400-metres|titletítulo=400 metres|publisherpublicado=IAAF|accessdateacessodata=5 Septemberde setembro de 2015}}</ref>
 
A prova descende de um dos eventos originais dos Jogos da [[Grécia Antiga]] chamado ''diaulos'', uma corrida realizada entre duas marcas num percurso com uma distância de aproximadamente 400 m entre elas.<ref name="iaaf400"/> Os 400 metros rasos estiveram presentes em todas as edições dos [[Jogos Olímpicos]] da [[Era Moderna]]. O primeiro campeão olímpico foi o norte-americano [[Tom Burke]], que também ganhou a primeira medalha de ouro nos [[100 metros rasos]].<ref>{{citecitar web|url=http://library.la84.org/6oic/OfficialReports/1896/1896.pdf|titletítulo=OfficialReport|publisherpublicado=library.la84.org|accessdateacessodata=5 Septemberde setembro de 2015}}</ref> O episódio mais controverso da história da modalidade ocorreu em [[Londres 1908]], na final olímpica da prova, que contou com três norte-americanos e um britânico, o que demonstrava à época a intensa rivalidade entre os dois países no atletismo olímpico. A polêmica surgiu quando um concorrente dos [[Estados Unidos]] foi desqualificado por bloquear a passagem do britânico [[Wyndham Halswelle]], numa manobra permitida pelas regras dos EUA, mas ilegal segundo o regulamento britânico. Após diversos protestos, a corrida foi anulada e os três restantes concorrentes foram chamados a correr nova final. Os dois norte-americanos que restavam recusaram-se a colaborar e boicotaram a final. Halswelle correu sozinho e recebeu a medalha de ouro num pódio vazio.<ref name="oxford">{{citecitar web|url=http://www.oxforddnb.com/view/article/65158|titletítulo=Halswelle, Wyndham (1882–1915)|publisherpublicado=Oxford Dictionary of National Biography|accessdateacessodata=5 Septemberde setembro de 2015}}</ref>
 
O evento feminino apareceu pela primeira vez em [[Tóquio 1964]], onde foi vencido pela australiana [[Betty Cuthbert]].<ref>{{citecitar web|url=http://www.olympic.org/betty-cuthbert|titletítulo=Betty Cuthbert|publisherpublicado=olympic.org|accessdateacessodata=5 Septemberde setembro de 2015}}</ref> Em [[Sydney 2000]], a prova foi vencida por [[Cathy Freeman]], a primeira [[Aborígene australiano|aborígene]] a ganhar um título olímpico.<ref>{{citecitar web|url=http://www.olympic.org/cathy-freeman|titletítulo=Cathy Freeman|publisherpublicado=olympic.org|accessdateacessodata=5 Septemberde setembro de 2015}}</ref>
 
O recordista mundial é o sul-africano [[Wayde van Niekerk]] – 43.03 – também recordista olímpico, com a marca estabelecida na [[Rio 2016]]; entre as mulheres ele pertence a [[Marita Koch]] – 47.60 – da então [[Alemanha Oriental]], desde 1985. [[Michael Johnson]] é o velocista mais condecorado nos 400 m, com um bicampeonato olímpico e um tetracampeonato mundial.<ref name="iaaf400"/>
 
A prova é amplamente dominada pelos Estados Unidos no masculino, que a venceram em vinte das 27 edições dos Jogos Olímpicos.<ref name="iaaf400"/> Até 2012 apenas velocistas norte-americanos a tinham corrido em menos de 44s, quando o granadino [[Kirani James]], de 19 anos de idade, tornou-se no primeiro atleta de outro país a corrê-la abaixo desta marca, quando venceu a final dos [[Londres 2012|Jogos Olímpicos de Londres]], em 43.94.<ref>{{citecitar web|url=http://www.olympic.org/athletics-400m-men|titletítulo=MEDALISTS - 400M MEN|publisherpublicado=olympic.org|accessdateacessodata=5 Septemberde setembro de 2015}}</ref>
 
==Recordes==
De acordo com a [[Federação Internacional de Atletismo]] – IAAF.<ref>{{citecitar web|url=http://www.iaaf.org/records/toplists/sprints/400-metres/outdoor/men/senior|titletítulo=All time best M|publisherpublicado=IAAF|accessdateacessodata=5 Septemberde setembro de 2015}}</ref><ref>{{citecitar web|url=http://www.iaaf.org/records/toplists/sprints/400-metres/outdoor/women/senior|titletítulo=All time best W|publisherpublicado=IAAF|accessdateacessodata=5 Septemberde setembro de 2015}}</ref>
;Homens
{| class="wikitable" width="90%" style="text-align:center"
 
== Melhores marcas mundiais ==
As marcas abaixo são de acordo com a [[Federação Internacional de Atletismo]] – IAAF.<ref>{{citecitar web|url=http://www.iaaf.org/records/toplists/sprints/400-metres/outdoor/men/senior|titletítulo=All time best M|publisherpublicado=IAAF|accessdateacessodata=5 Septemberde setembro de 2015}}</ref><ref>{{citecitar web|url=http://www.iaaf.org/records/toplists/sprints/400-metres/outdoor/women/senior|titletítulo=All time best W|publisherpublicado=IAAF|accessdateacessodata=5 Septemberde setembro de 2015}}</ref>
 
=== Homens ===
| 2 || 43.18 ||[[Michael Johnson]]||{{USAb}}||26 agosto 1999||[[Sevilha]]
|- bgcolor="efefef"
| 3|| 43.29||[[Butch Reynolds]] ||{{USAb}}|| 17 agosto 1988||[[Zurique]]
|- bgcolor="efefef"
|4|| 43.39||[[Michael Johnson]]||{{USAb}}|| 8 agosto 1995||[[Gotemburgo]]
! style="width: 8em"|Medalha
! style="width: 12em"|Local
|- bgcolor="efefef"
| 1 ||43.03||[[Wayde van Niekerk]]||{{RSAb}}|| bgcolor="#F0DC82" style="color:black"| ouro||[[Rio 2016]]
|- bgcolor="efefef"
| 2 ||43.49||[[Michael Johnson]]||{{USAb}}|| bgcolor="#F0DC82" style="color:black"| ouro||[[Atlanta 1996]]
|- bgcolor="efefef"
| 3||43.50||[[Quincy Watts]]||{{USAb}}|| bgcolor="#F0DC82" style="color:black"| ouro||[[Barcelona 1992]]
|- bgcolor="efefef"
|4||43.71||[[Quincy Watts]]||{{USAb}}||||[[Barcelona 1992]]
| 1 ||48.25||[[Marie-José Pérec]] ||{{FRAb}}|| bgcolor="#F0DC82" style="color:black"| ouro||[[Atlanta 1996]]
|- bgcolor="efefef"
| 2|| 48.63||[[Cathy Freeman]]||{{AUSb}}|| bgcolor="#D3D3D3" style="color:black"|prata ||[[Atlanta 1996]]
|- bgcolor="efefef"
|3||48.65|| [[Olga Bryzgina]]||{{URSb}}|| bgcolor="#F0DC82" style="color:black"| ouro||[[Seul 1988]]
|- valign="top"EUA
|-
|{{BRAb}}|| 44.29 ||[[Sanderlei Parrela]]||1999||[[Sevilha]]||50.62 ||Maria Magnólia Figueiredo||1990||[[Rovereto]]||<ref>{{citecitar web|url=http://www.cbat.org.br/estatisticas/recordes/recordes_quadro.asp?id=10|titletítulo=Recordes|publisherpublicado=CBat|accessdateacessodata=1 Septemberde setembro de 2015}}</ref>
|-
|{{PORb}}||45.74||Victor-Ricardo Santos||2014||[[Zurique]]||51.63||Cátia Azevedo||2016||[[Madri]]||<ref>{{citecitar web|url=http://www.fpatletismo.pt/pt/recordes-de-portugal|titletítulo=RECORDES DE PORTUGAL|publisherpublicado=FPA|accessdateacessodata=1 Septemberde setembro de 2015}}</ref>
|-
|{{MOZb}}||46.50||Kurt Couto||2007|| [[Windhoek]]||51.37||[[Maria Mutola]]||1994||[[Mônaco]]||<ref>{{citecitar web|url=http://www.iaaf.org/athletes/mozambique/maria-de-lurdes-mutola-64483|titletítulo=profile|publisherpublicado=IAAF|accessdateacessodata=4 Septemberde setembro de 2015}}</ref><ref>{{citecitar web|url=http://www.iaaf.org/athletes/mozambique/kurt-couto-190257|titletítulo=profile|publisherpublicado=IAAF|accessdateacessodata=6 Septemberde setembro de 2015}}</ref>
|-
|{{ANGb}}||47.20||Barceló de Carvalho||1969||[[Atenas]]||55.34||Guilhermina Cruz||1993||[[Stuttgart]]||<ref>{{citecitar web|url=http://www.atletismoangola.com/index.php/estatistica/recordes-masculinos|titletítulo=estatisticas|publisherpublicado=FAA|accessdateacessodata=1 Septemberde setembro de 2015}}</ref>
|-
|{{CPVb}}||47.96||Salvador Gonçalves||2000||[[Esch-sur-Alzette]]||57.15||Lenira Santos||2004||[[Lisboa]]||<ref>{{citecitar web|url=http://www.fcatletismo.org/pt-pt/Competicoes/Tabela-de-Records|titletítulo=Tabela de Records de Cabo Verde|publisherpublicado=FCA|accessdateacessodata=1 Septemberde setembro de 2015}}</ref>
|}
 
210 190

edições