Abrir menu principal

Alterações

1 byte removido, 14h37min de 1 de maio de 2017
 
== O estabelecimento da Dinastia Qin ==
O final do período da história chinesa conhecido como [[dinastia chou|Zhou Oriental]] (autoproclamação dos senhores como reis de suas terras) assistiu a uma crescente descentralização política. Embora o rei da dinastia [[dinastia chou|Zhou]] continuasse existindo, seus vassalos cresceram em importância econômica e política, tornando-se senhores muito mais influentes que o [[rei]]. O período entre 403 e 221 a.C., chamado de [[Período dos Reinos Combatentes|“a época dos Estados Guerreiros”]], foi marcado pelas guerras entre esses senhores, cujos objetivos eram apoderar-se de pequenos territórios visando aumentar a extensão de seus próprios domínios. Em 335 a.C., senhores regionais passaram a chamar a si mesmos de reis, rejeitando a soberania da antiga dinastia. Desta forma, os domínios desses senhores passaram a funcionar como pequenos reinos sob o nome de seus donos: Han, Wei, Song, Lu, Yue, Chu, Qin. Com o passar do tempo, os reinos mais poderosos foram absorvendo os reinos menores, consolidando sua influência política. No final da época dos Estados Guerreiros, os reinos de Chu (no sul) e Qin (no oeste) eram os mais poderosos. Chu conquistou os reinos de Yue e Lu respectivamente em 334 a.C. e 249 a.C. O reino de Qin obteve suas vitórias brilhantes graças ao sucesso militar do jovem rei Zheng, aclamado rei com apenas nove anos em 247 a.C., e seus ministros, Lü Buwei e [[Lǐ Sī|Li Si]]. Entre 230 e 221 a.C., o jovem rei conquistou muitos reinos, inclusive seu grande adversário no sul, ChinChu.
 
[[Imagem:Cin Shihhuang Shaanxi statue.jpg|thumb|left|190px|Estátua de Shi Huangdi.]]