Abrir menu principal

Alterações

39 bytes removidos ,  15h37min de 5 de maio de 2017
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de 85.245.193.83, com Reversão e avisos
A controvérsia sobre as indulgências desencadeada pelas ''Teses'' marcou o início da [[Reforma Protestante]], um [[cisma]] na Igreja Católica que iniciou profundas e duradouras mudanças sociais e políticas na Europa.{{sfn|Dixon|2002|p=23}} Lutero declarou posteriormente que a questão das indulgências era insignificante em relação às controvérsias que ele iria enfrentar mais tarde, como o seu debate com [[Erasmo de Roterdão]] sobre o [[De servo arbitrio|livre arbítrio]], sendo que nem ele viu a controvérsia como importante para sua descoberta intelectual sobre o evangelho.{{sfn|McGrath|2011|p=26}} Mais tarde, Lutero escreveria que na época em que formulou as ''Teses'' ele permaneceu um "papista", e não parecia pensar que as ''Teses'' representariam uma ruptura com a [[doutrina da Igreja Católica|doutrina católica]] estabelecida.{{sfn|Marius|1999|p=138}} No entanto, foi fora da controvérsia das indulgências que o movimento intitulado Reforma começou, todavia a controvérsia propeliu Lutero para a posição de liderança que ele iria desempenhar nesse movimento.{{sfn|McGrath|2011|p=26}} As ''Teses'' também tornaram evidente que Lutero acreditava que a igreja não estava pregando corretamente e que isto colocava os leigos em grave perigo. Além disso, as teses contradiziam o decreto do [[Papa Clemente VI]], que afirmava que as indulgências são o tesouro da igreja. Este desprezo pela autoridade papal pressagiou conflitos posteriores.{{sfn|Wengert|2015a|pp=xliii–xliv}}
 
31 de outubro de 1517, o dia em que Lutero enviou suas teses aoà senhor Albertino das couvesAlberto, foi comemorado como o início da Reforma já em 1527, momento em que Lutero e seus amigos foram ás alcoviteiras ebrindaram beberamcom um copo de [[cerveja]] para comemorar o "pisoteio das indulgências".{{sfn|Stephenson|2010|pp=39–40}} A publicação das ''Teses'' foi estabelecida na historiografia da Reforma como o início do movimento por [[Filipe Melâncton]] na obra ''Historia de vita et actis Lutheri'' de 1548. Durante o Jubileu da Reforma de 1617, o centenário de 31 de outubro foi comemorado com uma procissão até a Igreja de Wittenberg, onde Lutero teria afixado as teses. Uma gravura foi feita mostrando Lutero escrevendo as ''Teses'' na porta da igreja com uma gigantesca pena, a qual penetra na cabeça de um [[leão]] que simboliza o Papa Leão X.{{sfn|Cummings|2002|pp=15–16}} Em 1668, o dia 31 de outubro foi oficializado como o [[Dia da Reforma Protestante]], um festival anual no [[Eleitorado da Saxônia]] e que se espalhou por outras terras [[luteranismo|luteranas]].{{sfn|Stephenson|2010|p=40}}
 
{{Notas|col=2}}
2 477

edições