Abrir menu principal

Alterações

22 bytes adicionados ,  12h34min de 8 de junho de 2017
m
Foram revertidas as edições de 181.223.176.143 para a última revisão de Armagedon2000, de 12h36min de 7 de junho de 2017 (UTC)
Os críticos do sionismo o consideram como um movimento [[Colonialismo | colonialista]] ou [[racismo|racista]].<ref>Nações Unidas A/RES/3379 (XXX) 10 de novembro de 1975. [http://unispal.un.org/UNISPAL.NSF/0/761C1063530766A7052566A2005B74D1 ''Resolution adopted by the General Assembly on the report of the Third Committee (A/10320) 3379 (XXX). Elimination of all forms of racial discrimination'']. A [[Resolução 3379 da Assembleia Geral das Nações Unidas|Resolução 3379]] determina que o sionismo é uma forma de racismo e de discrimação racial. Foi anulada pela Resolução 4686 da Assembleia Geral de 16 de Dezembro de 1991.</ref> Os sionistas rebatem essas críticas, identificando o [[antissionismo]] com o [[antissemitismo|antissemitismo]].<ref>[http://www.guardian.co.uk/world/2003/nov/29/comment Anti-Zionism is anti-semitism], por Emanuele Ottolenghi. ''[[The Guardian]]'', 29 de novembro de 2003.</ref><ref>Institute for Global Jewish Affairs. ''Jewish Political Studies Review'' 16:3-4 (Fall 2004). [http://jcpa.org/phas/phas-wistrich-f04.htm Anti-Zionism and Anti-Semitism], por Robert Wistrich.</ref>
 
== Sai desse siteTerminologia ==
O termo "sionismo" é derivado da palavra "Sion" ({{lang-he-n|ציון}}), que, em hebraico, quer dizer elevado. Originalmente, Sião ou Sion era o nome de uma das colinas que cercam a [[Terra Santa]], onde existiu uma fortaleza de mesmo nome. Durante o reinado de [[David]], Sião se tornou um [[sinônimo]] de [[Jerusalém]] ou da [[Terra de Israel]]. Em muitas passagens bíblicas, os [[Judeus|israelitas]] são chamados de "filhos (ou filhas) de Sião".
 
Nos dias atuais, a oposição judaica ao sionismo está restrita a alguns membros de seitas religiosas, como os [[Haredi|haredim]] do [[Neturei Karta]], [[Satmer]] e [[Edá Hacharedit]], bem com aos adeptos de ideologias internacionalistas de esquerda.
 
=== estuproA Palestina e a Terra de Israel ===
A região da Palestina, onde historicamente existiu uma pátria judaica, encontrava-se desde o ano de [[638]] sob o controle [[Árabes|árabe]] [[muçulmano]]. A partir de [[1517]], o [[Império Turco-Otomano]] incorpora aquelas terras, tornando-se a Palestina uma [[província]] turca, ''status'' que duraria até o início do século XX. A presença dos judeus na região permaneceu ininterrupta por todo este período, embora em condição de minoria. Em algumas cidades, como [[Hebron]] e [[Safed]], a presença das comunidades judaicas se fazia mais numerosa e importante, convivendo em relativa paz com a maioria muçulmana.