Abrir menu principal

Alterações

3 bytes removidos ,  02h30min de 17 de junho de 2017
m
ajustando datas nas citações, outros ajustes usando script
O [[cristianismo]] é a maior '''religião na [[Alemanha]]''', com 53.240.000(66,8%) de aderentes em 9 de maio de 2011, data do primeiro censo desde a [[reunificação alemã]]. Em 2009, existiam 4,3 milhões Muçulmanos (5,4% da população), seguido pelo budismo e judaísmo.<ref>[https://www.destatis.de/DE/PresseService/Presse/Pressekonferenzen/2013/Zensus2011/Pressebroschuere_zensus2011.pdf;jsessionid=EF9FF97364AA4164E10AEAE2672756BE.cae3?__blob=publicationFile - Sobre migração nas regiões alemãs e religião, página 32] (em [[alemão]])</ref>
 
[[File:Konfessionen-in-Deutschland.svg|thumb|Mapa de 2008 sobre as [[Denominação cristã|denominações cristãs]] nos [[estados da Alemanha]] <ref>[http://www.ekir.de/ekir/dokumente/Tab01.pdf População e membro da Igreja por provínciaTable 1.1 mostrar 63.4 % da população alemã ser cristãos dos quais 2.2% fora da Igreja Evangélica (EKD) e da Igreja Católica Romana. Table 1.3 Mostra visão geral por estado alemão de adesão à Igreja Evangélica Luterana (EKD) e da Igreja Católica Romana]</ref><ref>[http://fowid.de/fileadmin/datenarchiv/Religionszugehoerigkeit_Bevoelkerung__1950-2008.pdf FOWID mostra que da população alemã 34%não é religiosa]</ref><ref>[http://www.sachsen-anhalt-wahl.de/das-land-sachsen-anhalt/religion-in-sachsen-anhalt.htm 80% da população na Saxónia-Anhalt é sem religião]</ref><ref>[http://fowid.de/fileadmin/datenarchiv/Religionszugehoerigkeit_Bundesl%E4nder,%202002,2004.pdf religion Estado, mostrando religiosa não sendo a maioria na Alemanha Oriental]</ref>:As maiores confissões religiosas na Alemanha são o [[Luteranismo]] e o [[Catolicismo]], respectivamente, com 32,9% e 32,3% de fiéis. Cerca de 24,9% de alemães se declararam não religiosos ou [[Ateísmo|ateus]]. Seguem como minorias, o [[islamismo]] (4%), seguido pelo [[judaísmo]] e o [[budismo]] (ambos com 0,25%). O Hinduísmo tem apenas 90.000 seguidores (0,1%), enquanto outras religiões correspondem a 50 mil pessoas ou 0,05% da população alemã.<ref name="religião">{{citar web|url=http://www.remid.de/remid_info_zahlen.htm|titulo=Religionen in Deutschland: Mitgliederzahlen|data=[[4 de novembro]] de [[2006]]|acessodata=[[13 de maio]] de [[2007]]|publicado=Religiosenwissenschaftlicher Medien- und Informationsdienst|lingua=[[Língua alemã|alemão]]}}</ref>
''Majority of population is:''
{{legend|#445016|membros da Igreja Católica}}
 
=== [[Islão]] ===
A partir de 2006, de acordo com o Departamento de Estado dos EUA, mais de 3 milhões de muçulmanos (a maioria de origem turca) vivem na Alemanha.{{carece de fontes|data=Fevereiro de 2013}} Este valor inclui as diferentes denominações do Islão, como os [[Alevitas]].{{carece de fontes|data=Fevereiro de 2013}} Ultimamente tem havido discussões acaloradas sobre a questão de haver ou não mulheres muçulmanas no serviço público, como professores, autorizados a usar o véu para o trabalho.{{carece de fontes|data=Fevereiro de 2013}}
 
===Cultos, seitas e novos movimentos religiosos===
 
==A liberdade religiosa na Alemanha==
A Constituição alemão garante a liberdade de fé e religião. Ele também afirma que ninguém pode ser discriminado devido à sua fé ou opiniões religiosas. Ao contrário de alguns outros países, a cooperação entre o Estado e as comunidades religiosas é inteiramente de acordo com a Constituição alemã. As comunidades religiosas que são de tamanho considerável e estabilidade e são leais à Constituição podem ser reconhecidas como "empresas legais". Isto dá-lhes certos privilégios, por exemplo, ser capaz de dar instrução religiosa nas escolas públicas (na maioria dos estados, exceto de [[Berlim]] e [[Bremen]]).
Para qualquer Igreja é cobrado imposto, se uma pessoa apresenta uma religião em seu formulário de imposto ou está listado como membro no registro da população. É uma sobretaxa no valor de 8 ou 9% do imposto de renda. O estatuto aplica-se principalmente à [[Igreja Católica Romana]], a Igreja Protestante Evangélica na Alemanha, e as comunidades judaicas. Houve inúmeras discussões de permitir que outros grupos religiosos como Testemunhas de Jeová e os muçulmanos neste sistema também. Os esforços muçulmanos foram dificultadas pelos muçulmanos 'próprio estado desorganizado na Alemanha, com muitas pequenas organizações rivais e nenhuma liderança central, que não se encaixam bem em um quadro jurídico que foi originalmente criado com o bem-organizado, grandes igrejas cristãs em mente.
 
210 092

edições