Abrir menu principal

Alterações

Vincent van Gogh

21 bytes adicionados, 23h04min de 8 de julho de 2017
sem resumo de edição
Theo guardou todas as correspondências que Van Gogh lhe enviou.<ref> {{harvnb|Pomerans|1997|p=xv}} </ref> Este, por outro lado, manteve apenas algumas das cartas que recebeu. [[Johanna van Gogh-Bonger]], a viúva de Theo, providenciou a publicação de algumas dessas cartas após as mortes dos dois irmãos. Outras apareceram em 1906 e 1913, com a maioria sendo publicada em 1914.<ref> {{harvnb|Pomerans|1997|pp=ix, xv}}; {{harvnb|Rewald|1986|p=248}} </ref> As cartas de Van Gogh eram eloquentes e expressivas, tendo sido descritas também como carregadas de uma "intimidade quase diária" e semelhantes a uma autobiografia.<ref name=mcquillan19 /> Segundo o tradutor Arnold Pomerans, a publicação da correspondência acrescenta uma "nova dimensão para o entendimento da realização artística de Van Gogh, uma compreensão concedida por praticamente nenhum outro pintor".<ref> {{harvnb|Pomerans|1997|p=ix}} </ref>
 
Existem aproximadamente seiscentas cartas de Van Gogh para Theo e por volta de quarenta de Theo para Van Gogh. Há também 22 cartas para sua irmã mais nova [[Wil van Gogh]], 58 para o pintor [[Anthon van Rappard]], 22 para o pintor [[Émile Bernard]] e cartas individuais para os pintores [[Paul Signac]] e [[Paul Gauguin]] e ao crítico [[Albert Aurier]]. Algumas são ilustradas por [[esboço]]s.<ref name=mcquillan19 /> Muitas não estão datadas, porém historiadores foram capazes de colocar a maioria em ordem cronológica. Ainda existem problemas de transcrição e datação, principalmente daquelas enviadas de [[Arles]]. Lá Van Gogh escreveu em torno de duzentas cartas em [[Língua neerlandesa|holandês]], [[Língua francesa|francês]] e [[Língua inglesa|inglês]].<ref name=hughes143 > {{harvnb|Hughes|1990|p=143}} </ref> Há uma lacuna nos registros quando ele viveu em [[Paris]], já que os irmãos moravam juntos.<ref> {{harvnb|Pomerans|1997|pp=i–xxvi}} </ref>
 
== Biografia ==
Vincent Willem van Gogh nasceu no dia {{dtlink|30|3|1853}} em [[Zundert]] na província predominantemente católica de [[Brabante do Norte]] no sul dos [[Países Baixos]].<ref> {{harvnb|Pomerans|1997|p=1}} </ref> Era o filho mais velho sobrevivente de Anna Cornelia Carbentus e Theodorus van Gogh, um pastor da [[Igreja Reformada Neerlandesa]]. Van Gogh foi nomeado em homenagem a seu avô e a um irmão natimorto que nascera exatamente um ano antes.{{nota de rodapé|Foi sugerido que receber o mesmo nome de seu falecido irmão mais velho talvez tenha deixado um profundo impacto psicológico no jovem Van Gogh, com elementos de sua arte, como por exemplo a representação de duplas de figuras masculinas, possivelmente podendo ser traçadas de volta para isso.<ref> {{harvnb|Lubin|1972|pp=82–84}} </ref> }} Vincent era um nome comum na família Van Gogh: seu avô Vincent teve seis filhos, três dois quais tornaram-se comerciantes de arte. Este Vincent talvez tenha sido nomeado em homenagem a seu tio-avô, um escultor.<ref> {{harvnb|Erickson|1998|p=9}} </ref>
 
A mãe de Van Gogh vinha de uma família próspera de [[Haia]],<ref> {{harvnb|Naifeh|Smith|2011|pp=14–16}} </ref> enquanto seu pai era o filho mais novo de um pastor.<ref> {{harvnb|Naifeh|Smith|2011|p=59}} </ref> Os dois se conheceram quando Cornelia, a irmã mais nova de Anna, casou-se com Vincent (apelidado de Cent), o irmão mais velho de Theodorus. Os pais de Van Gogh casaram-se em maio de 1851 e mudaram-se para Zundert.<ref> {{harvnb|Naifeh|Smith|2011|p=18}} </ref> Seu irmão mais novo [[Theo van Gogh (comerciante de arte)|Theodorus]] (apelidado de Theo) nasceu em 1 de maio de 1857. Existiam também um irmão chamado Cor e três irmãs: Elisabeth, Anna e [[Wil van Gogh|Willemina]] (apelidada de Wil). Van Gogh permaneceu em contato mais adiante na sua vida apenas com Theo e Wil.<ref> {{harvnb|Walther|Metzger|1994|p=16}} </ref> Sua mãe era uma mulher rígida e religiosa que enfatizava a importância da família ao ponto da claustrofobia daqueles ao seu redor.<ref> {{harvnb|Naifeh|Smith|2011|pp=23–25}} </ref> O salário de seu pai era modesto, porém a igreja fornecia aos Van Gogh uma casa, uma criada, dois cozinheiros, um jardineiro, uma carruagem e um cavalo, com Anna instilando nos filhos um dever de manter a alta posição social da família.<ref> {{harvnb|Naifeh|Smith|2011|pp=31–32}} </ref>
 
[[Ficheiro:Vincent van Gogh at circa 13 years of age cropped.jpeg|thumb|upright|Van Gogh c. 1866, aos treze anos de idade.]]