Diferenças entre edições de "João Apocauco"

251 bytes removidos ,  21h02min de 12 de julho de 2017
sem resumo de edição
m (Renato de carvalho ferreira moveu João Apocaucos para João Apocauco)
{{Info/Biografia
|nome = João ApocaucosApocauco
|nascimento_data =
|nascimento_local=
|imagem =
|imagem_tamanho =
|imagem_legenda =
|nome_pai =
|nome_mãe =
|nacionalidade = [[Despotado do Épiro]]
|morte_data =
|morte_local =
|cônjuge =
|filhos =
|religião = [[Igreja Ortodoxa|Ortodoxia Oriental]]
|ocupação = Governador e general
*[[Metropolita]]
}}
'''João ApocaucosApocauco''' ({{langx|el|Ἱωάννης Ἀπόκαυκος}}; ca. {{dni|||1155|sem idade}} - {{morte|||1233}}) foi um teólogo e clérigo bizantino. Tendo estudado em [[Constantinopla]], tornou-se bispo de [[Naupacto]] e desempenhou um papel importante na rivalidade entre a Igreja [[Despotado do Épiro|Epirota]] e o [[Patriarcado Ecumênico de Constantinopla|Patriarcado Ecumênico]], sendo exilado no [[Império de Niceia]].
 
== Biografia ==
 
João ApocaucosApocauco nasceu em ca. 1155. Estudou na capital bizantina, Constantinopla, onde foi um colega de [[Manuel Saranteno]], mais tarde [[patriarca de Constantinopla]]. Nomeado como [[diácono]], serviu sob seu tio, [[Constantino Manasses]], [[bispo metropolitano]] de Naupacto, na [[Grécia]]. Por 1186, retornou para Constantinopla, onde serviu como um notário no patriarcado, um posto no qual é novamente atestado em 1193. Em 1199 ou 1200, foi nomeado como metropolita de Naupacto, um posto que continuou a manter até 1232, quando retirou-se para um mosteiro em Cozíle, próximo de [[Arta (Grécia)|Arta]], onde morreu no ano seguinte.{{harvrefsfn|name=Kazh135|Kazhdan|1991|p=135}}
 
Durante seu mandato, ele inicialmente entrou em conflito com o governante local [[Constantino Comneno Ducas]], o irmão mais jovem do governante do [[Despotado do Épiro]], [[Teodoro Comneno Ducas]] {{nwrap|r.|1216|1230}}. ApocaucosApocauco protestou o governo autoritário de Constantino e a exigência de tributos extorsivos à população. O conflito levou à deposição forçada e exílio de ApocaucosApocauco em 1220, sendo resolvido apenas em maio de 1221, após um [[sínodo]] incluindo representantes de sés seniores na Grécia e domínios epirotas.{{harvrefsfn|Varzos|1984|p=658–661}} Na verdade, as relações entre Constantino e ApocaucosApocauco tornaram-se cordiais depois, e o bispo até mesmo compôs um [[encômio]] em sua honra.{{harvrefsfn|Varzos|1984|p=661–662}}
 
Durante o mesmo período, ApocaucosApocauco também emergiu, junto de [[Demétrio Comateno]] e [[Jorge Bardanes]], como um dos principais apoiantes da independência política e eclesiástica epirota do [[Império de Niceia]], quando o exilado patriarca de Constantinopla residiu após a cidade cair para os cruzados. Este conflito inclusive levou a um cisma entre a Igreja Epirota e o Patriarcado.<ref name=Kazh135 />
 
== Escritos ==
 
Um considerável corpo de correspondências e documentos de ApocaucosApocauco sobreviveram. De acordo com [[Ruth Macrides]], "[suas] cartas e decisões, como aquelas de Comateno, são de importância central para a história social e legal do período. Seus escritos, que mostram-o ser menos conhecido no direito e menos exigente na sua aplicação que seu colega, são notáveis por seus retratos claros e bem-humorado da vida diária e cultura popular".<ref name=Kazh135 />
 
{{referências|col=2}}