Batalha do Bétis Superior: diferenças entre revisões

Sem alteração do tamanho ,  02h11min de 14 de julho de 2017
m
Ver Discussão:Península Ibérica#Península com maiúscula, replaced: península → Península (3) utilizando AWB
m (Ver Discussão:Península Ibérica#Península com maiúscula, replaced: península Ibérica → Península Ibérica (2) utilizando AWB)
m (Ver Discussão:Península Ibérica#Península com maiúscula, replaced: península → Península (3) utilizando AWB)
 
Os romanos que conseguiram fugir foram para o norte do Ebro, onde reuniram um exército composto por cerca de {{fmtn|8000}} soldados. Os comandantes cartagineses, por sua vez, não realizaram nenhuma ação coordenada para eliminar a ameaça representada por estes sobreviventes e nem para enviar ajuda a Aníbal na Itália.
 
Roma enviou cerca de {{fmtn|10000}} soldados sob o comando do [[propretor]] [[Caio Cláudio Nero]] no final de {{AC|211|x}} com o objetivo de reforçar o exército na Hispânia. Nero, por sua vez, não conseguiu vitória decisiva alguma e os cartagineses também não realizaram nenhum ataque coordenado sobre os romanos na penínsulaPenínsula. Os cartagineses lamentariam mais tarde terem desperdiçado esta ocasião, pois, com a chegada de [[Cipião Africano|Públio Cornélio Cipião]] (o futuro "Africano"), filho de Públio Cipião, à frente de mais {{fmtn|10000}} soldados em {{AC|210|x}}, os cartagineses seriam derrotados na [[Batalha de Nova Cartago (209 a.C.)|Batalha de Nova Cartago]] em {{AC|209|x}}.
 
O fracasso do exércitos cartagineses da Hispânia em eliminar os romanos impediu que Aníbal recebesse reforços no crucial ano de {{AC|211|x}}, quando os romanos estavam [[Cerco de Cápua (211 a.C.)|cercando Cápua]], a segunda maior cidade da [[península Itálica]] e principal base de Aníbal.
221 144

edições