Abrir menu principal

Alterações

112 bytes removidos, 02h43min de 16 de julho de 2017
m
traduzindo nome/parâmetro nas citações, outros ajustes usando script
O '''urânio''' (homenagem ao planeta [[Urano (planeta)|Urano]]), é um [[tabela periódica|elemento químico]] de símbolo '''U''' e de [[massa atômica]] igual a 238 [[unidade de massa atómica|u]], apresenta [[número atômico]] 92 (92 [[próton]]s e 92 [[elétron]]s), é um elemento natural e comum, muito mais abundante que a prata, abundância comparável à do [[molibdênio]] e [[arsênio]], porém, quatro vezes menos abundante que o [[tório]].
 
À temperatura ambiente, o urânio encontra-se no [[Sólido|estado sólido]]. É um elemento metálico radioativo pertencente à família dos actinídeos.<ref>{{citar web|url=http://www.afrri.usuhs.mil/www/outreach/pdf/mcclain_NATO_2005.pdf|título=Health Concerns about Military Use of Depleted Uranium}}</ref>.
 
Foi descoberto em [[1789]] pelo alemão [[Martin Klaproth]] na Alemanha. Foi o primeiro elemento onde se descobriu a propriedade da [[radioatividade]]. Seus isótopos mais comuns têm uma meia-vida longa(~4,5 bilhões de anos para o urânio-238 e ~700 milhões de anos para o urânio-235).
 
=== Uso durante a sua pré-descoberta ===
Antes de sua descoberta, o urânio natural, sob a forma de dióxido de urânio, era usado como corante em tintas e esmaltes dando uma cor amarelada, se adicionado ao vidro, o deixava verde e luminescente. Este uso remonta até ao ano de 79 antes de Cristo.<ref>{{citar web|url=http://periodic.lanl.gov/elements/92.html | titletítulo=Uranium | publisherpublicado=Los Alamos National Laboratory | accessdateacessodata=2007-01-14}}</ref>
 
=== Descoberta ===
[[Ficheiro:Becquerel plate.jpg|left|thumb|Imagem criada pelo uranio sobre a chapa fotográfica, que fez Henri supor a existência da radiação.]]
A descoberta do urânio é creditada ao cientista alemão [[Martin Heinrich Klaproth]] em [[1789]]. Quando estava em seu laboratório experimental em [[Berlim]], Klaproth foi capaz de precipitar um composto amarelo (provavelmente diuranato de sódio ) através da dissolução da uraninita em ácido nítrico e neutralizar a solução com hidróxido de sódio. Klaproth achou que a substância amarela era o óxido de um elemento ainda não descoberto, e aquecido com carvão vegetal para a obtenção de um pó preto, que ele pensou ser o metal descoberto recentemente em si (na verdade, o pó era um óxido de urânio). Ele nomeou o novo elemento descoberto em honra ao planeta Urano, que tinha sido descoberto havia oito anos por [[William Herschel]] (que tinha chamado o planeta após o primordial deus grego do céu [[Urano (mitologia)|Urano]]).<ref>{{citecitar journalperiódico
| title título= Chemische Untersuchung des Uranits, einer neuentdeckten metallischen Substanz
| authorautor = Klaproth, M. H.
| journal periódico= Chemische Annalen
| volume = 2
| year ano= 1789
| pages páginas= 387–403
| authorlinkautorlink = Martin Heinrich Klaproth}}</ref>.
 
Em 1841, Eugène-Melchior Peligot , Professor de Química Analítica no Conservatoire National des Arts et Métiers (Central School of Arts and Manufactures), em Paris, isolou a primeira amostra de urânio metálico por aquecimento de tetracloreto de urânio com potássio. O urânio não era visto como particularmente perigoso durante a maior parte do século XIX, levando ao desenvolvimento de várias utilizações para o elemento.<ref>{{en}}{{citecitar journalperiódico| title título= Recherches Sur L'Uranium
| authorautor = Péligot, E.-M. |journal periódico= [[Annales de chimie et de physique]]
| volume = 5 |issue número= 5 |year ano= 1842
| pages páginas= 5–47 |url = http://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k34746s/f4.table}}</ref>. Um tal uso para o óxido foi citado, mas já não era secreta a coloração da cerâmica e do vidro.<ref>{{en}}{{citecitar encyclopediaenciclopédia|edition edição= 4th|title título=Uranium|encyclopedia enciclopédia=The American Heritage Dictionary of the English Language|publisher publicado=Houghton Mifflin Company|url=http://www.answers.com/uranium}}</ref>.
 
[[Henri Becquerel]] descobriu a radioatividade usando urânio em 1896. Becquerel fez a descoberta, em [[Paris]], deixando uma amostra de um sal de urânio, K<sub>2</sub> UO<sub>2</sub> (SO<sub>4</sub> )<sub>2</sub> , em cima de uma chapa fotográfica não exposta numa gaveta e observando que a placa havia se tornado "enevoada". Ele determinou que uma forma de luz invisível ou raios emitidos pelo urânio tinha exposto a chapa criando acidentalmente a imagem.
É maleável, ductil e levemente [[paramagnético]], fica muito denso, sendo 70% mais denso que o [[chumbo]] e pouco menos denso que o [[ouro]].
O urânio metalico reage com todos os elementos não metálicos e seus respectivos compostos, a reatividade aumenta com a temperatura. [[Ácido clorídrico]] e [[ácido nítrico]] corroem o urânio, mas o acidos não oxidantes o dissolvem muito lentamente, quando dissolvido pode reagir com água fria, se exposto ao ar ele forma uma escura camada de dióxido de urânio.
 
O urânio é o último elemento químico natural da [[tabela periódica]]. É o átomo com o núcleo mais pesado que existe naturalmente na [[Terra]]: contem 92 [[próton]]s e 135 a 148 [[nêutron]]s. Quando puro, é um sólido, metálico e [[radioatividade|radioativo]], muito [[dureza|duro]] e [[densidade|denso]], de aspecto cinza a branco prateado, muito semelhante à coloração do [[níquel]].
 
A exploração do urânio começou nos [[Estados Unidos]], no início do século XX, embora a primeira extração de urânio para fins econômicos tenha ocorrido na [[República Checa]], no fim do século XIX, o urânio era extraído, para depois poder extrair do urânio, o elemento altamente radioativo, rádio, o rádio era então impregnado em tintas fluorescentes para ponteiros de relógios e outros instrumentos, como também para ser utilizado na medicina.
 
O aumento da demanda do urânio ocorreu depois da Segunda Guerra Mundial, onde os [[Estados Unidos]] compravam urânio do [[Congo]] (até então colônia da [[Bélgica]]) e do Canadá para poder aumentar o número de suas armas nucleares, as minas do Congo tinham bem mais uranio que as minas dentro do próprio território dos E.U.A.
A [[União Soviética]] explorava a largos passos as suas minas de urânio que se encontravam principalmente onde hoje é o Cazaquistão, para seu programa nuclear emergente, como as minas dos E.U.A, elas não tinham tanto urânio, mas conseguiram criar uma auto-suficiência ao suprir a demanda do país. Em muitas usinas nucleares na [[Europa]] e [[Rússia]] está ocorrendo um re-enriquecimento do urânio, no qual o urânio empobrecido será enriquecido novamente retirando mais U-235.
 
|acessodata=12 de setembro de 2010
|autor =LOSS, Robert
|data=
|data=
|publicado=Curtin University
|língua=inglês
|-
|[[Caixão]]
|U(SiO<sub>4</sub>)(OH)<sub>4</sub>
|~50%
|-
=== Dentro das águas naturais e do mar ===
 
As concentrações de urânio nas águas ″naturais″ são as seguintes:
* A água do mar: 3,3&nbsp;µg/L<ref>{{lien brisé|acessodata=2013-03-25|url=http://www.uris-lr.org/main0.html_data/Tricastin.html|titulo=Mentionné par comparaison dans un document portant sur l'incident du Tricastin}}</ref>
* O [[Rio Ródano]] : 0,56&nbsp;µg/L (total anual = 29 toneladas)
* Água de [[Vichy]] : 20&nbsp;µg/L
 
O limite estabelecido pela [[OMS]] para a presença de urânio em água potável foi fixado em 2011 em até 15&nbsp;µg/L,<ref>{{en}} [http://www.who.int/water_sanitation_health/dwq/gdwq3rev/en/ Directives pour la qualité de l'eau de boisson, troisième édition]</ref>, Em seguida em 2011 a quarta edição de "Directives pour la qualité de l'eau de boisson" a fixou em à 30&nbsp;µg/l.<ref>{{en}} [http://www.who.int/water_sanitation_health/publications/2011/dwq_guidelines/en/index.html Directives pour la qualité de l'eau de boisson, quatrième édition]</ref>.
 
== Síntese química dos fluoretos de urânio ==
Duas etapas são necessárias à síntese:
* O refinamento :
*# O mineral de urânio pulverizado, [[Yellowcake]] é dissolvido no [[ácido nítrico]], formando uma solução de [[nitrato de uranilo]] UO<sub>2</sub>(NO<sub>3</sub>)<sub>2</sub>.
*# Eventualmente ela é [[filtrada]].
*# O nitrato de uranilo puro é obtido pela [[extração]] por solvente, com uma solução de TBP.
Antes do advento da energia nuclear, o urânio tinha um leque de aplicações muito reduzido. Era utilizado em [[fotografia]] e nas indústrias de cabedal (fabricação de peças de couro e sola) e de madeira. Os seus compostos usavam-se como corantes e [[mordente]]s (fixadores de cor) para a seda e a lã.
 
No entanto, a aplicação mais importante do urânio é a energética. Com este fim, utilizam-se apenas três [[isótopo]]s do elemento (U-234, U-235 e U-238), com mecanismos de reação ligeiramente diferentes, embora o mais utilizado seja o U-235. Na produção de [[energia nuclear]] há uma reação de fissão auto-sustentada, que ocorre em um [[reator nuclear|reator]], normalmente imerso num tanque com uma substância moderadora e refrigerante - água. A água é aquecida e vaporizada pelo reator, passando em seguida por [[turbina]]s que acionam [[gerador]]es, para assim produzir [[energia elétrica]].<ref>[http://www.nea.fr/html/general/press/2006/2006-02.html Uranium resources: plenty to sustain growth of nuclear power]</ref>.
 
O U-238 quando bombardeado por um deuterio se torna [[Pu-238]] através de uma série de decaimentos betas, emissões de [[nêutron]]s tendo vários átomos intermediários como o U-239 e Np-239.
Estes reatores nucleares de fissão e decaimento radioativo podem ser bastante compactos, sendo utilizados na [[propulsão naval|propulsão de submarinos]], navios de guerra e em algumas [[sonda espacial|sondas espaciais]] como as dos programas das sondas [[Cassini-Huygens]], [[Programa Voyager#Fonte de Energia|Voyager]] e [[Programa Pioneer|Pioneer]].
 
Outros usos do urânio incluem:
* Isótopos de urânio podem ser empregados na radioterapia, dentro da medicina nuclear, apesar de dar preferência a radioisótopos de outros elementos.
* A datação de rochas ígneas, e outras formas de datação, através da quantidade de uranio-238 que estas contem, sendo que a meia-vida do U-238 é de 4,5 bilhões de anos, uma rocha que tem menos urânio que outra é mais antiga que outra com maior quantidade deste elemento.
O [[urânio enriquecido]] é utilizado como material fissil em armas nucleares, podendo tanto ser utilizado no secundário como no primário de bombas termonucleares, o [[urânio empobrecido]] por vezes é colocado nos secundários para que possa sofrer fissão por nêutrons energéticos aumentando o rendimento da arma, a primeira [[bomba atômica]] utilizado em guerra foi o [[Little Boy]] usada durante a [[Segunda Guerra Mundial]], a outra bomba: o [[Fat Man]] utilizava [[plutônio-239]] como o material fissil.
 
Por suas combinações de alta [[dureza]], alta [[Densidade|massa específica]] (17,3 [[grama]]s por [[centímetro cúbico]]) e alto [[ponto de fusão]] (1132 [[°C]]), o urânio também é utilizado na fabricação de projéteis de [[armas de fogo]] em substituição ao [[chumbo]], cujas características são: densidade específica de 11,3 g/cm³, baixa [[temperatura]] de [[Fusão (física)|fusão]] (327&nbsp;°C) e baixa dureza (1,5 na [[escala de Mohs]]).<ref name="BuildingBlocks479">Emsley, ''Nature's Building Blocks'' (2001), page 479</ref>. A utilização do urânio em projéteis de armas de fogo apresenta grandes vantagens técnicas em relação ao chumbo, mas expõe os soldados a um nível elevado de [[radiação]], projeteis de uranio empobrecido foram utilizados durante as guerras do Golfo Persico e das balcãs.
 
O urânio-238 entra novamente como fonte de isótopos de plutônio, se o U-238 é bombardeado por um nêutron e se torna urânio-239, este sofre um decaimento beta negativo para se tornar netunio-239 (intermediário) que sofre outro [[decaimento beta]], também negativo, para finalmente termos o Pu-239 como produto final, sendo largamente produzido dessa forma em reatores nucleares.
A seguir a equação que expressa a produção do Pu-239 a partir de U-238:
:<math>\mathrm{^{238}_{\ 92}U\ +\ ^{1}_{0}n\ \longrightarrow \ ^{239}_{\ 92}U\ \xrightarrow[23.5 \ min]{\beta^-} \ ^{239}_{\ 93}Np\ \xrightarrow[2.3565 \ d]{\beta^-} \ ^{239}_{\ 94}Pu}</math>
O yellowcake ou octóxido de urânio é o principal óxido do urânio, seu uso remonta ao [[Projeto Manhattan]], até os dias de hoje, onde é quebrado para gerar urânio metálico em grandes fábricas, com a formula química U<sub>3</sub>O<sub>8</sub>, no qual dois átomos de urânio apresentam [[estado de oxidação|nox]] +6 enquanto que o outro apresenta nox +4, podendo ser representado também por [[dióxido de urânio|UO<sub>2</sub>]].2[[trióxido de urânio|UO<sub>3</sub>]]. O dióxido de urânio (UO<sub>2</sub>) é encontrado naturalmente em minerais de urânio como a [[pechblenda]], [[carnotita]], Tseynerit, [[Autunita]], Uranofan e Thorbun, artificialmente o [[dióxido de urânio]] é obtido ao aquecer trióxido de urânio a 700 graus celsius junto a [[hidrogênio,]] fazendo um átomo de [[oxigênio]] se desprender do composto e se ligar a dois hidrogênios para formar água.
 
O [[trióxido de urânio]] (UO<sub>3</sub>) é outro composto do [[elemento químico|elemento]] encontrado de forma abundante naturalmente entra os minerais de urânio como a pechblenda, Kasolite, e Tyuyamunit.<ref name="EncyChem779">{{Harvnb|Seaborg|1968|p=779}}.</ref>.
vários outros óxidos de menor importância do urânio como o pentóxido de urânio (UO<sub>5</sub>), óxido de uranio (U<sub>2</sub>O<sub>3</sub>), tetróxido de urânio (UO<sub>4</sub>) e [[hexóxido de urânio]] (UO<sub>6</sub>).<ref>{{citar web|url=http://web.ead.anl.gov/uranium/guide/ucompound/forms/index.cfm |titletítulo=Chemical Forms of Uranium|accessdateacessodata=2007-02-18|publisherpublicado=Argonne National Laboratory}}</ref> .(alguns desses compostos, como o UO<sub>6</sub>, o UO<sub>4</sub> e o UO<sub>5</sub> são [[peróxido]]s do elemento).
 
=== Hidretos, carbonetos e nitretos ===
O urânio metálico se aquecido a 250-300 graus junto ao hidrogênio ira se ligar a ele formando [[hidreto de urânio]](UH<sub>3</sub>).
Carbonetos do urânio incluem mono[[carbeto]] de urânio (UC), dicarbeto de urânio ( UC<sub>2</sub> ), e tricarbeto de diurânio ( U<sub>2</sub>C<sub>3</sub>), carbonetos são obtidos aquecendo urânio puro ou monocarbeto de urânio com carbono.
Os [[nitreto]]s de urânio são obtidos aquecendo o metal com [[nitrogênio]], exemplos incluem: mononitreto de urânio (UN), dinitreto de urânio (UN<sub>2</sub>), e trinitreto de diurânio (U<sub>2</sub>N<sub>3</sub>).<ref name="medusa">Puigdomenech, Ignasi ''Hydra/Medusa Chemical Equilibrium Database and Plotting Software'' (2004) KTH Royal Institute of Technology, freely downloadable software at [http://www.kemi.kth.se/medusa/]</ref><ref>Two crystal modifications of uranium hydride exist: an α form that is obtained at low temperatures and a β form that is created when the formation temperature is above 250;°C.&nbsp;</ref><ref name="EncyChem782">{{Harvnb|Seaborg|1968|p=782}}.</ref>.
 
=== Halogenetos ===
== Toxicidade a organismos ==
[[Ficheiro:Skull and crossbones.svg|left|80px]]
O urânio produz [[envenenamento]] de baixa intensidade (por inalação ou absorção pela pele), com [[efeitos colaterais]], tais como: [[náusea]], dor de cabeça, [[vômito]], [[diarreia]] e [[queimadura]]s. Atinge o [[sistema linfático]], [[sangue]], [[ossos]], [[rins]] e [[fígado]].<ref>{{citar periódico|pmid=18313802|ano=2008|last1último1 =Sawicki|first1primeiro1 =M|last2último2 =Lecerclé|first2primeiro2 =D|last3último3 =Grillon|first3primeiro3 =G|last4último4 =Le Gall|first4primeiro4 =B|last5último5 =Sérandour|first5primeiro5 =AL|last6último6 =Poncy|first6primeiro6 =JL|last7último7 =Bailly|first7primeiro7 =T|last8último8 =Burgada|first8primeiro8 =R|last9último9 =Lecouvey|first9primeiro9 =M|título=Bisphosphonate sequestering agents. Synthesis and preliminary evaluation for in vitro and in vivo uranium(VI) chelation.|volume=43|número=12|páginas=2768–77|doi=10.1016/j.ejmech.2008.01.018|publicación=European journal of medicinal chemistry}}</ref>.
 
Seu efeito no organismo é cumulativo, o que significa que o mineral, por não ser ''reconhecido'' pelo ser vivo, não é eliminado, sendo paulatinamente depositado, sobretudo nos ossos, o mesmo ocorre com o [[plutônio]] que se deposita na medula espinhal. A exposição à radiação pode provocar o desenvolvimento de [[cancro|cânceres]]. Entre os trabalhadores das [[Mina (mineração)|minas]], são frequentes os casos de [[câncer de pulmão]].
 
O urânio não é absorvível pela pele, porém ele emite partículas alfa, beta e gama (quando crítico) que penetram na pele; o que torna o urânio, fora do corpo, muito menos perigoso do que quando inalado ou ingerido. Uma pessoa fica exposta naturalmente ao urânio, diariamente, pela inalação ou ingestão de poeiras, alimentos e água. Estima-se que a ingestão diária não passa de 0,7 a 1,1 microgramas de urânio por dia.
 
{|class=wikitable
!colspan=4|Estudo de 2004 sobre a intoxicação e efeitos do urânio via ingestão<ref name=Craft04>{{citecitar journalperiódico
| title título= Depleted and natural uranium: chemistry and toxicological effects
| authorautor = Craft, E. S.; Abu-Qare, A. W.; Flaherty, M. M.; Garofolo, M. C.; Rincavage, H. L. and Abou-Donia, M. B.
| journal periódico= Journal of Toxicology and Environmental Health Part B: Critical Reviews
| year ano= 2004
| volume = 7
| issue número= 4
| pmid = 15205046
| pages páginas= 297–317
| doi = 10.1080/10937400490452714}}</ref>
|-
| Não há estudos
|-
| Sistema Imunológico
| Fadiga crônica, erupções cutâneas, infecções de ouvido e de olho, perda de cabelo e peso. Efeitos similares podem ser obtidos com produtos químicos
| Não há estudos
====Familia de decaimento do urânio-238====
O urânio-238 forma uma das três únicas famílias de decaimento natural juntamente com o torio e actínio.
A família começa quando o urânio-238 atinge sua meia vida e sofre um decaimento alfa, este torna-se tório-234, o tório-234 tem uma meia vida de apenas 24,6 dias e então sofre um decaimento beta se tornando protactínio-234, este tem a meia vida de 1,4 minutos, apos este período sofre outro decaimento beta se tornando Pa-234m, este decai em Pa-234, e este em U-234, com uma meia vida de 270 000 anos permanece um bom tempo na natureza a ponto de ter alguns traços deste em meio a o urânio natural, sofrendo uma emissão alfa, ele se torna tório-230(MV: 83 000 anos), que decai para rádio-226(MV: 1 600 anos) e este para radônio-222(MV:3,8 dias), polônio-218, astato-218, radônio-218, chumbo-214, bismuto-214, polônio-214, tálio-210, polônio-210 (MV: 140 dias), tálio-206 e finalmente em chumbo-206, que é produto final da extensa família de decaimento natural do urânio, encerrando o processo que dura bilhões de anos.<ref>http://www.cnen.gov.br/ensino/apostilas/radio.pdf</ref><ref>http://www.if.ufrj.br/teaching/radioatividade/familias.html</ref>.
{| class="wikitable" style="text-align:center"
|-
!Produto do decaimento
|-
| <sup>238</sup>U
| [[decaimento alfa|α]]
| 4,5 bilhões [[ano|a]]
| Urânio-234<br /> Protactinio-234
|-
| Protactínio-234
| β<sup>-</sup>
| 6.70 [[hora|h]]
| 5.590
| <sup>218</sup>Po
|-
| Polônio-218
| α 99.98 % <br /> β<sup>-</sup> 0.02 %
|-
| Bismuto-214
| β<sup>-</sup> 99.98 % <br /> α 0.02 %
| 19.9 min
| 3.272 <br /> 5.617
| <sup>214</sup>Po <br /> <sup>210</sup>Tl
|-
| Polonio-214
| [[decaimento alfa|α]]
| 0.1643 ms
| 7.883
| <sup>210</sup>Pb
| 0.064
| <sup>210</sup>Bi
|-
| Bismuto-210
| β<sup>-</sup> 99.99987% <br /> α 0.00013%
| 5.013 d
| 1.426 <br /> 5.982
| estável
| –
| –
|}
* Nota: não considere Pa-234m e Pa-234 o mesmo isotopo, pois como é indicado o Pa-234m esta em um meta-estado, sendo portanto mais instável e diferente do Pa-234.
 
=== Enriquecimento ===
{{Artigo principal|[[Urânio enriquecido]]}}
'''Urânio enriquecido''' é o urânio cujo teor de '''[[Urânio-235|<sup>235</sup>U]]''' (urânio-235) foi aumentado, através de um processo de [[separação de isótopos]]. O urânio encontrado na natureza, sob a forma de [[dióxido de urânio]] ('''UO<sub>2</Sub>'''), contém 99,284% do [[isótopo]] [[Urânio-238|<sup>238</sup>U]] ; apenas 0,711% do seu [[peso atômico|peso]] é representado pelo isótopo [[Urânio-235|<sup>235</sup>U]]. Porém o <sup>235</sup>U é o único isótopo existente [[fissão nuclear|físsil]] na natureza em proporções significativas.<ref>{{citar web|url=http://docs.nrdc.org/nuclear/nuc_06129701a_185.pdf | titletítulo=Safeguarding Nuclear Weapon-Usable Materials in Rússia |autor author=Thomas B. Cochran. Natural Resources Defense Council.| publisherpublicado=Proceedings of International Forum Illegal Nuclear Traffic: Risks, Safeguards and Countermeasures| date data= 1997-06-12}}</ref>.
 
Para provocar uma reação de fissão nuclear nos [[reator de água pressurizada|reatores de água pressurizada]], é preciso dispor de um urânio que contenha entre 3% e 5% do isótopo 235 e em armas nucleares pelo menos 80% de enriquecimento, o aconselhável para armas nucleares porem é 90%. Ambos os isótopos, {{exp|235}}U e {{exp|238}}U , têm as mesmas [[propriedade química|propriedades químicas]]. A única diferença [[propriedade física|física]] entre eles são os três [[nêutron]]s que explicam uma pequena diferença de [[massa atômica]].
== Preço ==
 
[[Image:MonthlyUraniumSpot.png|thumb|right|350px|Preço mensal da libra do urânio em US$.<ref>[http://www.uranium.info/prices/monthly.html NUEXCO Exchange Value (Monthly Uranium Spot)]</ref>.]]
 
O preço do urânio abaixou nos anos 1980 e 1990 por várias razões:
* Os estoques de urânio militar constituídos durante o contexto da [[Guerra Fria]] form convertidos em estoques civis e usados nos reatores nucleares devido a diminuição das tensões entre os soviéticos e estadounidenses.
 
O preço do urânio alcançou um mínimo em janeiro de 2001 á US$ 6,40 por libra de U U<sub>3</sub>O<sub>8</sub>.<ref>[http://energie.sia-conseil.com/20080718-l%E2%80%99impact-de-la-flambee-des-cours-de-l%E2%80%99uranium-sur-les-prix-de-l%E2%80%99electricite/ Impact des cours de l'uranium sur les prix de l'électricité]</ref>.
 
Desde então o preço progressivamente aumentou até atingir um pico em julho de 2007 de US$ 135. Esse pico se explica pela diminuição dos estoques, o pequeno aumento da produção, e eventos como a inundação da mina de Cigar Lake no [[Canadá]] e o incêndio da mina [[Olympic Dam]] na [[Austrália]].<ref>[http://energie.sia-conseil.com/20080718-l%E2%80%99impact-de-la-flambee-des-cours-de-l%E2%80%99uranium-sur-les-prix-de-l%E2%80%99electricite/ L'impact des cours de l'uranium sur les prix de l'électricité]</ref>.
 
O urânio então desceu para US$ 46,50 em agosto de 2010. Em janeiro de 2011, o seu preço situava-se em US$ 63. É prevista uma tendência ao seu preço aumentar novamente em razão do esgotamento dos estoques militares previsto para 2015.<ref>{{citar web |url=http://www.natura-sciences.com/energie/nucleaire/uranium-nucleaire-reserves-consommation-production.html|titulo=Production et consommation d'uranium dans le monde|website=www.natura-sciences.com |acessodata=23 de março de 2012}}</ref>.
 
O preço de revenda do KWh é muito sensível ao preço do urânio. É certo que o custo do ciclo do combustível representa cerca de 20 % do preço de retorno do KWh, mas o esse ciclo compreende todas as transformações físicas e químicas que o urânio natural sofre para transformar-se em urânio utilizável como combustível. Em consequência, o preço do mineral de urânio não passa de 7 % do custo total do KWh.<ref>[http://www.observatoire-energies-entreprises.fr/wp-content/uploads/2009/05/percebois-cahiers-creden.pdf Prix internationaux du pétrole, du gaz naturel, de l'uranium et du charbon, 17 février 2009]</ref> Contudo, os estudos econômicos mostram que
o preço do urânio começa a ter um efeito significativo sobre o custo do KWh da eletricidade nuclear a partir de 50 ou 100 € por libra de U<sub>3</sub>O<sub>8</sub>.<ref>[http://futura24.voila.net/nucle/prix_cout.htm Prix de l'uranium et coût de l'électricité nucléaire]</ref>.
 
== Ver também ==
 
== Bibliografia ==
*{{Cite bookcitar livro|titletítulo=The Encyclopedia of the Chemical Elements |chaptercapítulo=Uranium |yearano=1968 |authorlinkautorlink =Glenn T. Seaborg |firstprimeiro =Glenn T. |lastúltimo =Seaborg |publisherpublicado=Reinhold Book Corporation |locationlocal=[[Skokie, Illinois]] |pagespáginas=773–786 |id=LCCCN 68-29938|ref = harv}}
 
{{Tabela Periódica Compacta}}
210 071

edições