Diferenças entre edições de "Trindade (cristianismo)"

112 bytes adicionados ,  04h16min de 18 de julho de 2017
m
ajustando datas, traduzindo nome/parâmetro nas citações usando script, Formatando 1 referência(s) com reFill ()
(Ajustes)
m (ajustando datas, traduzindo nome/parâmetro nas citações usando script, Formatando 1 referência(s) com reFill ())
Enquanto os [[Padres da Igreja]] viram até mesmo elementos no [[Antigo Testamento]], como o aparecimento de três homens a [[Abraão]] no capítulo 18 do [[Gênesis|Livro de Gênesis]], como prenúncios da Trindade, foi no [[Novo Testamento]] que eles viram uma base para desenvolver o conceito da Trindade. O mais influente dos textos do Novo Testamento, visto como implicador do ensino da doutrina da Trindade foi Mateus 28:19, que manda batizar "em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo". Reflexão, proclamação e diálogo levaram à formulação de uma doutrina adaptada para corresponder aos dados da [[Bíblia]]. O esquema mais simples da doutrina foi elaborado em grande parte no [[século IV]], rejeitando o que foi considerado não ser consonante com a crença cristã em geral. Além disso, essa elaboração continuou nos séculos seguintes.<ref>"Trinity, doctrine of" in ''The Oxford Dictionary of the Christian Church'' (Oxford University Press, 2005. ISBN 978-0-19-280290-3) {{En}}</ref>
 
A palavra Trindade não está contida na [[Escrituras Sagradas|escritura]],<ref>[{{citar web|url=http://carm.org/christianity/christian-doctrine/word-trinity-not-bible Matt Slick, "|título=The word Trinity is not found in the Bible"] - Trinity word not in Scripture|primeiro =|último =b777|data=24 de novembro de 2008|website=carm.org}}</ref> nem há uma doutrina expressamente formulada da Trindade. Pelo contrário, de acordo com a teologia cristã, as escrituras "testemunham" a atividade de um Deus que pode ser entendido apenas em termos trinitários.<ref name="chr-theol-intro1">McGrath Alister E. ''Christian Theology: An Introduction'' Blackwell, Oxford (2001) p.321. {{en}}</ref> A doutrina não atingiu sua forma definitiva até o final do quarto século.<ref name="chr-theol-intro2">McGrath, Alister E. ''Christian Theology: An Introduction'' Blackwell, Oxford (2001) p.324. {{en}}</ref> Durante o período várias soluções tentativas foram propostas, algumas mais e outras menos satisfatórias.<ref name="early-doctrines">Kelly, J.N.D. ''Early Christian Doctrines'' A & G Black (1965) p. 88. {{en}}</ref> O Trinitarianismo contrasta com as posições [[Antitrinitarismo|antitrinitárias]], que incluem o [[Binitarismo|binitarianismo]] (uma deidade em duas pessoas, ou duas deidades), com o [[unitarismo]] (uma deidade em uma pessoa, análogo à interpretação [[Judaísmo|Judia]] da ''[[Shemá Israel|Shema]]'' e à crença [[Islão|muçulmana]] no ''[[Tawhid]]'') e com o [[pentecostalismo]] unitarista ou [[sabelianismo]] (uma deidade manifestada em três aspectos separados).<ref name="oxfdhdbk">{{citar livro|título=The Oxford Handbook of the Trinity|editor-sobrenome1 =Emery|editor-nome1 =Gilles, O.P.|editor-sobrenome2 =Levering|editor-nome2 =Matthew|isbn=978-0199557813|ano=2012|língua=inglês}}</ref><ref name="holmes">{{citar livro |título=The Quest for the Trinity: The Doctrine of God in Scripture, History and Modernity|último =Holmes|primeiro =Stephen R.|isbn=9780830839865|ano=2012|língua=inglês}}</ref><ref name="historia">{{citation |último = Tuggy |primeiro = Dale |título= Trinity (History of Trinitarian Doctrines) |url= http://plato.stanford.edu/entries/trinity/trinity-history.html |obra= [[Stanford Encyclopedia of Philosophy]] |data=verão de 2014|língua=inglês}}</ref>
 
== Fundamentos bíblicos ==
210 105

edições