Diferenças entre edições de "Caio Avídio Cássio"

106 bytes removidos ,  02h01min de 26 de julho de 2017
m
traduzindo nome/parâmetro nas citações, outros ajustes usando script
m (traduzindo nome/parâmetro nas citações, outros ajustes usando script)
 
== Contexto ==
Um descendente do [[selêucidas|rei selêucida]] [[Antíoco IV Epifânio]]{{sfn|Birley|2001|p=130}}{{sfn|Astarita|1983|p=18}}, Avídio era filho de [[Caio Avídio Heliodoro]], um importante [[orador]] que havia sido [[prefeito do Egito]] (''praefectus Aegypti'') da [[província do Egito]] entre 137 e 142 no reinado de [[Adriano]], e sua esposa Júnia Cássia Alexandria{{sfn|Smith|1870|p=626}}{{sfn|Astarita|1983|p=27}}. Ele nasceu na cidade de [[Cirro (Síria)|Cirro]], na [[província da Síria|Síria]]{{sfn|Birley|2001|p=130}}, embora ele tenha certa vez chamado [[Alexandria]] de sua sua "cidade paterna".<ref>{{citecitar booklivro|lastúltimo =Millar|firstprimeiro =Fergus|titletítulo=The Roman Near East, 31 B.C.-A.D. 337|yearano=1995|publisherpublicado=Harvard University Press|isbn=978-0-674-77886-3|pagepágina=116}}</ref>.
 
== Primeiros anos ==
A princípio, segundo [[Dião Cássio]], Marco Aurélio, que estava em [[Guerras Marcomanas|campanha contra os marcomanos]] no norte, tentou esconder a revolta de seus soldados{{sfn|Birley|2001|p=187}}, mas, depois que todos descobriram, ele fez um discurso. Nele, um texto que Dião Cássio atribui ao imperador, ele lamenta a deslealdade de ''"um querido amigo"'' e, ao mesmo tempo, expressa sua esperança de que Cássio não seja morto ou cometa o suicídio para que ele próprio possa mostra-lhe sua misericórdia{{sfn|Smith|1870|p=441}}. Em paralelo, o senado romano declarou Cássio [[inimigo público]]{{sfn|Birley|2001|p=185}}{{sfn|Canduci|2010|p=44}}.
 
No início da revolta, Cássio estava numa posição razoável. Em sua terra natal, a [[Síria romana|Síria]], e, de forma mais ampla, em todas as províncias orientais, Cássio tinha um bom número de seguidores. Eles eram inspirados por uma combinação da ascendência real de Avídio e suas vitórias sobre os partas, além da supressão da revolta dos ''bucoli''{{sfn|Birley|2001|p=185}}. Ele também tinha laços matrimoniais com um importante grupo de nobres da [[Lícia]].
 
Em relação aos recursos militares, Avídio tinha sete legiões - suas três legiões sírias, mais duas na [[Síria Palestina]], uma na [[Arábia Pétrea]] e outra no Egito. O prefeito desta última, Calvísio Estaciano, juntou-se à revolta{{sfn|Birley|2001|p=186}}. Foi no Egito que Cássio construiu sua base de operações e sabe-se que ele foi eleito imperador lá em 3 de maio, uma vez que um único documento desta data aparece sendo do último ano do reinado de Cássio{{sfn|Birley|2001|p=186}}. Embora ele tenha passado a controlar a maior parte de uma das partes mais importantes do Império Romano - o Egito -, Avídio Cássio não conseguiu entrar apoio amplo para sua revolta{{sfn|Birley|2001|p=186}}.
 
O governador da [[Capadócia romana|Capadócia]], [[Márcio Vero]], permaneceu leal ao imperador enquanto [[Herodes Ático]] teria enviado-lhe uma carta contendo a [[alfabeto grego|palavra grega]] ''"emanes"'' ("Você é louco"){{sfn|Birley|2001|p=187}}. Naturalmente, os habitantes de Roma entraram em pânico, o que forçou o imperador a enviar [[Caio Vécio Sabiniano Júlio Hospes]], governador da [[Panônia Inferior]], com ordens de tomar a cidade{{sfn|Birley|2001|p=187}}. Porém, rapidamente ficou claro que Marco Aurélio estava em vantagem, com mais legiões sob seu comando do que Avídio jamais conseguiria levantar{{sfn|Birley|2001|p=188}}. ''"Depois de um sonho de império durando três meses e cinco dias"'', Avídio Cássio foi assassinado por um [[centurião]]{{sfn|Birley|2001|p=189}} e sua cabeça foi enviada ao imperador, que se recusou a vê-la e ordenou que ela fosse enterrada.
=== Fontes primárias ===
{{Refbegin|2}}
* {{citecitar booklivro|ref = {{sfnRef|Historia Augusta|395 AD}}|last último = Anônimo|authorlink autorlink = Historia Augusta|title título= Historia Augusta|trans_title = |url = http://penelope.uchicago.edu/Thayer/E/Roman/Texts/Historia_Augusta/home.html|year ano= ca. 395 AD|language língua= Latim}}
* {{citecitar booklivro|ref= {{sfnRef|Cassius Dio|200 AD}}|lastúltimo = Dião Cássio|authorlinkautorlink = Dião Cássio|titletítulo= [[História romana (Dião Cássio)|História romana]]|trans_title=|url= http://penelope.uchicago.edu/Thayer/E/Roman/Texts/Cassius_Dio/home.html|yearano= ca. 200|languagelíngua= Grego antigo}}
{{Refend}}
 
=== Fontes secundárias ===
{{Refbegin|2}}
* {{citecitar booklivro|ref = harv|last último = Astarita|first primeiro = Maria Laura|title título= Avidio Cassio|url = http://books.google.com.au/books?id=uCUBbMOCJ74C|publisher publicado= Ed. di Storia e Letteratura| language língua= Italian|year ano= 1983}}
* {{citecitar booklivro|ref = harv|last último = Birley|first primeiro = Anthony|authorlinkautorlink = Anthony Birley|title título= Marcus Aurelius: A Biography|url = http://books.google.com.au/books?id=DrIMlfGg2uoC|publisher publicado= Taylor & Francis e-Library|location local= London and New York|year ano= 2001|series = Roman imperial biographies|isbn = 978-0-415-17125-0}}
* {{citecitar booklivro|ref = harv|last último = Canduci|first primeiro = Alexander|title título= Triumph & Tragedy: The Rise and Fall of Rome’s Immortal Emperors|url = http://books.google.com.au/books?id=-ssESQAACAAJ|publisher publicado= Pier 9|location local= Sydney|year ano= 2010|series = Roman imperial biographies|isbn = 978-1-74196-598-8}}
* {{citecitar booklivro|ref = harv|last último = Smith|first primeiro = William|title título= Dictionary of Greek and Roman Biography and Mythology Vol I|url = http://books.google.com.au/books?id=-ssESQAACAAJ|year ano= 1880|isbn = 978-1-74196-598-8}}
{{Refend}}
 
210 151

edições