Diferenças entre edições de "Amélio da Toscana"

1 byte removido ,  20h14min de 28 de julho de 2017
m
traduzindo nome/parâmetro nas citações, outros ajustes usando script
m (Removing Link GA template (handled by wikidata))
m (traduzindo nome/parâmetro nas citações, outros ajustes usando script)
'''Amélio da Toscana''' ({{lang-grc|Ἀμέλιος}}), cujo nome de família era Gentilianus, foi um filósofo [[neoplatonismo|neoplatónico]] e escritor da segunda parte do século III. Era nativo da [[Toscana]].<ref name="Porfírio, Vit. Plotin. 7">Porfírio, ''Vit. Plotin.'' 7</ref>
 
Originalmente um estudante das obras de [[Numênio de Apameia]], ele começou a assistir as lições de [[Plotino]], no terceiro ano da estadia de Plótino na cidade de [[Roma]],<ref>Porfírio, ''Vit. Plotin.'' 3</ref> não o tendo deixado até ao fim da sua vida, quando se retirou para [[Apameia]], na [[Síria]], o lugar nativo de Numénio.<ref>Porfírio, ''Vit. Plotin.'' 2.</ref><ref name="DGRBM">{{cite encyclopediacitar enciclopédia| lastúltimo = Smith | firstprimeiro = William | authorlinkautorlink = William Smith (lexicographer) | title título= Amelius | editor = William Smith | encyclopedia enciclopédia= [[Dictionary of Greek and Roman Biography and Mythology]] | volume = 1 | pages páginas= 142 | publisher publicado= Little, Brown and Company | location local= Boston | year ano= 1867 | url = http://www.ancientlibrary.com/smith-bio/0151.html}}</ref> Ele é erroneamente chamado de Apameos pela ''[[Suda]]''.
 
Amélio (Amelius) não era o seu nome original; parece tê-lo escolhido para expressar desprezo para com as coisas mundanas. A palavra{{lang|grc|ἀμέλεια}} (''ameleia'') signigica negligência em grego. Porfírio relatou na ''Vida de Plótino'' que Amélio preferia chamar a si próprio Amerius, trocando o L pelo R, porque, como explicava, se servia melhor o nome de Amereia (unificação) que o Ameleia (indiferença).<ref name="Porfírio, Vit. Plotin. 7"/> Seus trabalhos incluem registros do ensinamento de Plotino: Até 263 Amelio não escreveu exceto em uma compilação de notas das aulas de Plotino. Esta coleção cresceu ao longo do tempo - provavelmente foi estendido durante 268/269 - para cerca de uma centena de livros.<ref name="Blanck1992">{{citecitar booklivro|authorautor =Horst Blanck|titletítulo=Das Buch in der Antike|url=http://books.google.com/books?id=kPsUAQAAIAAJ|yearano=1992|publisherpublicado=C.H. Beck|isbn=978-3-406-36686-4|pagespáginas=46 – 48}} {{de}}</ref>.
 
Amélio lia e escrevia de maneira voraz, memorizando praticamente todos os ensinamentos de Numénio, e de acordo com Porfírio, escreveu mais de 100 volumes de dizeres e comentários. Plótino considerava Amélio um dos seus mais distintos discípulos. Foi Amélio que convenceu Porfírio sobre a verdade da doutrina de Plótino,<ref>Porfírio, ''Vit. Plotin.'' 18</ref> tendo-se juntado a ele nos esforços para induzir Plótino a passar as suas doutrinas para a escrita, esforços esses com sucesso.<ref>Porfírio, ''Vit. Plotin.'' 5</ref>
210 189

edições