Abrir menu principal

Alterações

273 bytes removidos, 06h17min de 4 de agosto de 2017
m
ajuste(s), typos fixed: século 16 → século XVI, século 18 → século XVIII utilizando AWB
 
[[Ficheiro:Pedro Américo - A carioca - 1882.jpg|thumb|"A Carioca", pintura de 1882 de [[Pedro Américo]]|358x358px]]
Oficialmente, '''Carioca''' é o [[gentílico]] do [[Municípios do Brasil|município]] do [[Rio de Janeiro (cidade)|Rio de Janeiro]], no [[Unidades federativas do Brasil|estado]] do [[Rio de Janeiro]], no [[Brasil]]. Popularmente, no entanto, é também aceito como gentílico do Estado do Rio de Janeiro. Atualmente, busca-se o reconhecimento de "carioca" como gentílico co-oficial de todo o Estado do Rio de Janeiro, junto com "fluminense" <ref name="portaldeperiodicos.unisul.br">{{Citar periódico|ultimo=Lucas|primeiro=Jorge Alexandre|data=2014-01-01|titulo=Somos todos cariocas: identidade e pertencimentos no mundo globalizado|jornal=Revista Científica Ciência em Curso|volume=3|numero=2|paginas=111–123|issn=2317-0077|url=http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/ciencia_curso/article/view/2659|idioma=fr}}</ref>.
== Histórico do gentílico ==
No [[Brasil Colônia|período colonial]] (século 16XVI - século 18XVIII), os nascidos na [[capitania do Rio de Janeiro]] <ref>COMELLI, P. ''As ruas do Rio de Janeiro imperial''. Disponível em http://www.comelliphilatelist.com/artigos3.asp?id=262. Acesso em 14 de setembro de 2012.</ref> eram conhecidos por "carioca", devido ao [[Rio Carioca]] <ref>NAVARRO, E. A. ''Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. ''São Paulo. Global. 2013. p. 555.<br>
</ref>, que era o rio que fornecia água potável à população (aqueles que "bebiam das águas do Carioca"). A partir de 1783, por decreto de D. Luiz de Vasconcelos, então vice-rei do Brasil, foi criado um novo gentílico "mais civilizado" para o Rio de Janeiro, o "fluminense", a partir do termo [[Latim|latino]] ''flumen''s, que significa "rio", em alusão ao "Rio".
 
Em 1834, através do [[Ato Adicional|Ato Adicional à Constituição de 1824]], o município do Rio de Janeiro se separou da [[Província do Rio de Janeiro]] para constituir o [[Município Neutro]], com administração vinculada diretamente à [[Império do Brasil|corte imperial brasileira]]. Como "carioca" é um termo indígena, os membros da Corte optaram por intitularem-se "fluminenses", tendo "carioca" sobrevivido pelo uso popular, principalmente nas demais províncias do Império do Brasil.
 
Em 1891, após a [[Proclamação da República do Brasil]] em 1889, o Município Neutro transformou-se no [[Distrito Federal do Brasil (1891-1960)|Distrito Federal]] e a província do Rio de Janeiro transformou-se no [[Rio de Janeiro|Estado do Rio de Janeiro]]. Em 1960, com a mudança da capital do país para [[Brasília]], o antigo [[Distrito Federal do Brasil (1891-1960)|Distrito Federal]] tornou-se o [[Guanabara|Estado da Guanabara]], que adotou então oficialmente a designação "carioca" pela primeira vez para os habitantes do novo Estado. Com a fusão do Estado da Guanabara com o Estado do Rio de Janeiro, em 1975, a então cidade-Estado passou a integrar o atual Estado do Rio de Janeiro. Oficialmente, optou-se (sem consulta a população pois tratava-se do período do Regime Militar) por "fluminense" como gentílico oficial do novo Estado, reduzindo-se o gentílico "carioca" a gentílico municipal. Contudo, a maioria dos habitantes do Estado do Rio de Janeiro preferem a designação "carioca" a "fluminense" (especialmente na Região Metropolitana, Costa Verde e Região dos Lagos) e desde os anos 2000 o movimento "Somos Todos Cariocas" busca o reconhecimento de carioca como gentílico co-oficial do Estado do Rio de Janeiro <ref>{{Citar periódico|ultimoname=Lucas|primeiro=Jorge Alexandre|data=2014-01-01|titulo=Somos todos cariocas: identidade e pertencimentos no mundo globalizado|jornal=Revista Científica Ciência em Curso|volume=3|numero=2|paginas=111–123|issn=2317-0077|url=http://www."portaldeperiodicos.unisul.br"/index.php/ciencia_curso/article/view/2659|idioma=fr}}</ref>.
 
== Etimologia ==