Diferenças entre edições de "Rosa-cruz"

2 558 bytes adicionados ,  16h50min de 16 de agosto de 2017
sem resumo de edição
 
 
O "Rosicrucianismo" foié um [[movimento cultural|movimento]] filosófico que surgiuse popularizou na Europa no início do século XVII após a publicação de vários textos que pretendiam anunciar a existência de uma ordem esotérica até então desconhecida para o mundo. <ref>”Yates, Frances A 1972”. '' The Rosicrucian Enlightenment '', Londres </ref> Rosacruzes, anteriormente Rose Kreutzer, é um nome atribuído com base no lendário personagem de ficção literária Christian Rosencreutz, que é o ponto de partida ideal para várias organizações Rosacruzes <ref>https://de.wikipedia.org/wiki/Rosenkreuzer#Gold-_und_Rosenkreuzer</ref><ref> A misteriosa doutrina da ordem é supostamente "construída sobre verdades esotéricas do passado antigo", que "oculta ao homem comum, fornece uma visão da natureza, do universo físico e do domínio espiritual". <Ref> Lindgren, Carl Edwin, '' {{citation | url = http: //users.panola.com/lindgren/rosecross.html | title = O caminho da Rosa-cruz; Uma percepção histórica, 1614-1620}} ''. Jornal de Religião e Pesquisa Psíquica, Volume 18, Número 3: 141-48. 1995. </ref> Os manifestos não falavam extensivamente sobre o assunto, mas mencionavam a [[Kabbalah]], o [[Hermetismo]] e o [[Cristianismo|Cristianismo]]. O movimento era então tido em conta como um ”Colégio de Invisíveis" nos [[plano de existência|mundos internos]], formado por grandes adeptos, com o intuito de prestar auxílio à evolução [[espiritual]] da humanidade. Alguns [[metafísico]]s consideram que o rosa-cruzismo possa ser compreendido, de um ponto de vista mais amplo, como parte, ou mesmo como fonte, do [[hermetismo]] [[cristão]], patente no período dos tratados ocidentais de [[alquimia]] que se segue à publicação da ''[[Divina Comédia]]'' de [[Dante]]. Alguns historiadores, no entanto, sugerem a sua origem num grupo de [[protestantes]] [[alemães]], entre os anos de [[1607]] e [[1616]], quando três textos anónimos foram elaborados e lançados na Europa: ''[[Fama Fraternitatis]] R.C.'', ''[[Confessio Fraternitatis]] Rosae Crucis'' e ''[[Núpcias Alquímicas de Christian Rozenkreuz]] Ano 1459''. A influência desses textos foi tão grande que a historiadora Frances Yates denominou este período do século XVII de ''Iluminismo Rosacruz''. O Rosicrucianismo apareceu pela primeira vez no século 17 como um movimento de reforma em Tübingen dentro do protestantismo alemão com dois manifestos anônimos (Fama e Confessio Fraternitatis Fraternitatis) e uma alegoria as bodas alquímicas, ao público. Os manifestos foram publicados num momento em que o domínio científico e tecnológico da natureza levou a um distanciamento entre ciência e da cultura cristã. O principal objetivo e meta dos três escritos era para contrariar esta tendência, cultivando a terra por meio de uma contínua reforma da ciência, ética e religião. No Fama Fraternitas também não são chamados Irmandade, que devem prestar segredo. Sua auto-imagem é baseada em uma difusão livre de preconceito e uso do conhecimento e ainda desconhecido, o conhecimento não descoberto de outras culturas por diante. não foi ainda grupos de Rosacruzes organizado naquela época. <ref>https://de.wikipedia.org/wiki/Rosenkreuzer#Gold-_und_Rosenkreuzer</ref>Não foi até mais de 140 anos após a publicação do manifesto, a primeira organização Rosacruz foi fundada como ordem Para-Maçonica em 1760, a Ordem do Ouro dos rosacruzes. Este fim foi formado com a sua forma do Illuminismo místico Irrationalismus e um pólo oposto às forças racionais e modernistas de explicação. [1] Viriam mais tarde a ser perseguidos na Prússia sob os auspício do reinado de Guilherme II. <ref>https://de.wikipedia.org/wiki/Rosenkreuzer#Gold-_und_Rosenkreuzer</ref>Após o fim da Ordem de ouro e Rosenkreuzer 1787 o rosacrucianismo manteve vivo graças a Societas Rosicruciana in Anglia (S. R. i. A.) 1865. Além disso, a entrada de mito no ambiente encontrado grupos theosophical e herméticos de 1875, também referidos como "Novos rosacrucianistas". <ref>https://de.wikipedia.org/wiki/Rosenkreuzer#Gold-_und_Rosenkreuzer</ref>
 
 
[[Ficheiro:DeeHieroglyph.gif|frame|a [[Mona Hieroglífica]] de John dee, representando, do topo, para baixo, a lua o sol; os elementos; e o fogo.]]
 
É uma galeria subterrânea com uma escadaria em espiral, sustentada por [[coluna (arquitectura)|colunas]] esculpidas, por onde se desce até ao fundo do poço. A escadaria é constituída por nove patamares separados por lanços de 15 degraus cada um, invocando referências à [[A Divina Comédia|Divina Comédia]] de [[Dante Alighieri|Dante]] e que podem representar os 9 círculos do [[Inferno]], do [[céu (religião)|Paraíso]], ou do [[Purgatório]]. Segundo os conceituados [[ocultismo|ocultistas]] Albert Pike, [[René Guénon]] e Manly Palmer Hall é na obra ''A Divina Comédia'' que se encontra pela primeira vez exposta a Ordem Rosacruz. No fundo do poço está embutida, em [[mármore]], uma [[rosa dos ventos]] (estrela de oito pontas: 4 maiores ou cardeais, 4 menores ou colaterais) sobre uma [[Ordem dos Templários|cruz templária]], que é o emblema [[heráldica|heráldico]] de Carvalho Monteiro]] e, simultaneamente, indicativo da Ordem [[Rosa-cruz]].#cite note-16|<refspan nameclass="SIPAmw-reflink-text">[16]</span>]] John Wilkins e John Wallis, que descreveu essas reuniões nos seguintes termos: "Sobre o ano de 1645, enquanto eu vivia Em Londres (numa época em que, por nossas guerras civis, estudos acadêmicos foram muito interrompidos em nossas duas Universidades), ... eu tenho
=== Poço Iniciático da quinta da regaleira===
[[null|thumb|right|NaNxNaNpx|Foto do poço.|ligação=]]
[[null|thumb|right|NaNxNaNpx|Foto da abertura do poço.|ligação=]]
[[Ficheiro:DeeHieroglyph.gif|frame|[[método científico | investigação experimental] ]. Entre estes foram [[Robert Boyle]], que escreveu: "as pedras angulares do Colégio Invisível (ou como se denominam o Filosófico), de vez em quando me honram com a companhia deles ..."; <ref> Citado por R Lomas (2002) em "The Invisible College", Londres </ref> [[John Wilkins]] e [[John Wallis]], que descreveu essas reuniões nos seguintes termos: "Sobre o ano de 1645, enquanto eu vivia Em Londres (numa época em que, por nossas guerras civis, estudos acadêmicos foram muito interrompidos em nossas duas Universidades), ... eu tenho
 
=== Poço Iniciático da quinta da regaleira===
[[Ficheiro:Palacio da Regaleira, Sintra, Portugal.JPG|thumb|right|250 px|Foto do poço.]]
[[Ficheiro:Regaleira.JPG|thumb|right|250 px|Foto da abertura do poço.]]
[[Ficheiro:DeeHieroglyph.gif|frame|a [[Mona Hieroglífica]] de John dee, representando, do topo, para baixo, a lua o sol; os elementos; e o fogo.]]
 
É uma galeria subterrânea com uma escadaria em espiral, sustentada por [[coluna (arquitectura)|colunas]] esculpidas, por onde se desce até ao fundo do poço. A escadaria é constituída por nove patamares separados por lanços de 15 degraus cada um, invocando referências à [[A Divina Comédia|Divina Comédia]] de [[Dante Alighieri|Dante]] e que podem representar os 9 círculos do [[Inferno]], do [[céu (religião)|Paraíso]], ou do [[Purgatório]]. Segundo os conceituados [[ocultismo|ocultistas]] Albert Pike, [[René Guénon]] e Manly Palmer Hall é na obra ''A Divina Comédia'' que se encontra pela primeira vez exposta a Ordem Rosacruz. No fundo do poço está embutida, em [[mármore]], uma [[rosa dos ventos]] (estrela de oito pontas: 4 maiores ou cardeais, 4 menores ou colaterais) sobre uma [[Ordem dos Templários|cruz templária]], que é o emblema [[heráldica|heráldico]] de Carvalho Monteiro]] de John dee, representando, do topo, para baixo, a lua o sol; os elementos; e o fogo.|método científico ]] e, simultaneamente, indicativo da Ordem [[Rosa-cruz]].<ref name="SIPA"/>
 
O poço diz-se iniciático porque se acredita que era usado em rituais de iniciação à [[maçonaria]] e a explicação do simbolismo dos mesmos nove patamares diz-se que poderá ser encontrada na obra ''[[Conceito Rosacruz do Cosmos]]'', em particular do simbolismo da [[monas hieroglífica]], como símbolo de unidade entre os planos superiores e inferiores, tal como latente na máxima, "as above, so below, as within, so without, as the universe, so the soul" ([[Hermes Trimegisto]]).
Utilizador anónimo