Abrir menu principal

Alterações

Sem alteração do tamanho, 12h29min de 17 de agosto de 2017
Algumas correções formais. O texto tem MUITOS erros, precisaria ser muito bem revisto...
Vários aspectos do [[marxismo]] são alvos de críticas. Diversos autores levantaram objeções ao pensamento político e filosófico de Karl Marx.
 
A principal crítica feita ao Marxismo na atualidade alega que o mesmoeste possui um caráter simplista, seja na organização da sociedade em classes (capitalista e proletariado)<ref>{{Citar livro|sobrenome=Lawrence H.|nome=Simon|título=Selected Writings/Karl Marx|editor=Hackett Publishing Company, Inc|local=Indianapolis|publicação=1994|páginas=xxxiv|isbn=0-84220-218-6}}</ref>, eseja nas diversas interpretações da abordagem que Marx faz da inter-relação direta entre os fatores sociais de consciência (como cultura, religião e política) come os econômicosda economia.<ref name=preface>{{citar livro|último =Marx |primeiro =Karl |autorlink =Karl Marx |título=Preface to a Critique of Political Economy
|publicado=The Electric Book Company |data=2001 |local=London |páginas= 7–8}}</ref> A posição dos críticos é que [[Karl Marx]] e [[Friedrich Engels]] levavam a análise de todas as ações humanas para o campo da luta de classes, desconsiderando que há diversas ações humanas que não podem ser explicadas tão-somente por uma busca por melhores meios de produção ou por vantagens econômicas.{{Carece de fontes|data=maio de 2010}}
 
Segundo alguns destes críticos, as razões de caráter econômico também são insuficientes para explicar fenômenos modernos como a busca do homem pelo ''status,'' ainda que este não venha a representar qualquer vantagem econômica, ou o crescimento da ''cultura das celebridades''. {{Carece de fontes|data=Janeiro de 2009}} Também depõem contra as ideias de Karl Marx o resultado histórico dos diversos regimes que foram influenciados pelo ideário político-ideológico do Marxismo, como a [[União das Repúblicas Socialistas Soviéticas|União Soviética]], o regime [[Fidel Castro|castrista]] de [[Cuba]] e as chamadas "repúblicas vermelhas" do [[Ásia|Sudeste Asiático]].<ref>Besançon, Alain; ''A infelicidade do século: sobre o comunismo, o nazismo e a unicidade de Shoah''. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.</ref><ref>Koba the Dread - Laghter and the Twenty Million" - Vintage - 2002 - p.85-86</ref><ref>Courtois, Stéphane [et al.]; ''O Livro Negro do Comunismo: crimes, terror e repressão''. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.</ref><ref>Courtois, Stéphane [et al.]; ''Cortar o mal pela raiz!: história e memória do comunismo na Europa''. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.</ref>
 
== Peter Singer ==
[[Peter Singer]], é um filósofo e professor australiano. É professor na Universidade de Princeton, nos Estados Unidos. Atua na área de ética prática, tratando questões de Ética de uma perspectiva utilitarista.
Singer, assim como muitos cientistas cognitivos como Steven Pinker, criticam Marx pois este, para construir suas ideias, parte da premissa segundo a qual a mente seria uma tábula rasa, uma lousa em branco, algo totalmente e infinitamente plástico (tal tese foi criada por Locke e foi sustentada por Marx)
Nas Teses sobre Feuerbach (IV), Marx escreveu: