Diferenças entre edições de "Imperador Romano-Germânico"

22 bytes removidos ,  00h31min de 9 de setembro de 2017
m
ajustes usando script
(→‎Título: ajustes)
m (ajustes usando script)
[[Ficheiro:Charlemagne-by-Durer.jpg|miniaturadaimagem|upright=1.0|Carlos Magno, Imperador dos Romanos]]
O '''Imperador Romano-Germânico''' (historicamente "Imperador dos Romanos") foi o governante do [[Sacro Império Romano-Germânico]]. A partir de uma [[autocracia]] na era [[carolíngia]], o título evoluiu para uma [[Monarquia eletiva|Monarquia Electiva]] escolhido pelos [[Príncipe-eleitor|Príncipes-eleitores]]. Até à [[Reforma Protestante|Reforma Protestante]] o Imperador eleito (''imperator electus'') teria de ser coroado pelo [[papa]] antes de assumir o título imperial.
 
O título englobava o governo do [[Reino da Germânia]] e o [[Reino Itálico]].<ref>Peter Hamish Wilson, ''The Holy Roman Empire, 1495–1806'', MacMillan Press 1999, London, page 2</ref><ref>Erik von Kuehnelt-Leddihn: The Menace of the Herd or Procrustes at Large – Page: 164</ref><ref>Robert Edwin Herzstein, Robert Edwin Herzstein: The Holy Roman Empire in the Middle Ages: universal state or German catastrophe?</ref> Em teoria, o Imperador Romano-Germânico era ''[[primus inter pares]]'' ("primeiro entre iguais") entre todos os outros monarcas católico-romanos; na prática, o imperador era tão forte quanto o seu exército e as alianças políticas o faziam.
== Título ==
[[Imagem:Wappen Kaiser Joseph II. 1765 (Groß).png|thumb|Brasão de armas do imperador romano-germânico [[José II do Sacro Império Romano-Germânico|José II]] (1765)]]
Desde os tempos do imperador romano [[Constantino]] que os [[Imperador romano|imperadores romanos]] tinham tido, com raras exceções, um papel de promotores e defensores da [[Cristandade]].
 
O título de ''Imperador'' caiu em desuso na [[Império Romano do Ocidente|Europa Ocidental]] após a deposição de [[Rómulo Augusto]] no ano 476. Porém tanto o título como a conexão entre Imperador e [[Igreja Ortodoxa]] continuou no [[Império Bizantino|Império Romano do Oriente]] até 1453, data da queda de [[Constantinopla]] face às forças do [[Império Otomano]].
 
No ocidente ,o título de Imperador foi restaurado no ano 800, o que também renovou a ideia de cooperação entre o imperador e o papa. Com o crescimento do poder do Papado durante a [[Idade Média]], papas e imperadores entraram várias vezes em conflito sobre a administração da [[Igreja Católica]] e do próprio império. O mais conhecido conflito ficou conhecido como a [[Questão das Investiduras]], uma disputa durante o século XI entre o imperador [[Henrique IV do Sacro Império Romano-Germânico|Henrique IV]] e o papa [[Papa Gregório VII|Gregório VII]].