Diferenças entre edições de "Fábula"

1 850 bytes adicionados ,  10h16min de 9 de setembro de 2017
Acréscimo do conteúdo sobre Índia. Tradução do conteúdo da wiki em inglês.
(Complemento de parágrafo no texto inicial)
(Acréscimo do conteúdo sobre Índia. Tradução do conteúdo da wiki em inglês.)
 
Além de serem usados para propósitos educativos, na ''Grécia'' as fábulas de ''Esopo'' surgiram em uma época onde a liberdade de expressão era limitada, usar as histórias para criticar as formas de governo sem represálias era comum, as fábulas serviam como código para que os mais fracos pudessem contrapor os mais fortes de forma subjetiva. As histórias de ''Esopo'' são cheias de mensagens onde os mais fortes podem ser enganados e os mais fracos podem, com alguma astúcia, prevalecer. As histórias foram registradas pela escrita durante os séculos [[Século X|X]] e [[Século XVI|XVI]] a.C.<ref name="Ancient"/>
 
=== Índia ===
A Índia tem uma tradição rica de romances fabulosos, explicável principalmente pelo fato de que a cultura deriva de tradições e possui características de elementos naturais. A maioria dos deuses são uma espécie de animais com qualidades ideais. Também centenas de fábulas foram compostas na Índia antiga durante o primeiro milênio aC, muitas vezes como narrativas em histórias em quadros. As fábulas indianas têm um elenco misto de seres humanos e animais. Os diálogos são muitas vezes mais longos do que nas fábulas de Esopo e muitas vezes espirituosos, pois os animais tentam se burlar uns dos outros por trapaça e engano. Nas fábulas indianas, o homem não é superior aos animais. Os contos são geralmente cômicos. A fábula indiana aderiu às tradições universalmente conhecidas da fábula. Os melhores exemplos da fábula na Índia são os contos Panchatantra e Jataka. Estes incluíram [[Panchatantra]] de [[Vishnu Sarma]], [[Hitopadexa]], Vikram e o Vampiro, e Os Sete Mestres Sábios de Syntipas, que eram coleções de fábulas que mais tarde se tornaram influentes em todo o Velho Mundo. Ben E. Perry (compilador do "Índice de Perry" das fábulas de Esopo) argumentou, controversamente, que alguns dos contos de Jataka budistas e algumas das fábulas no Panchatantra podem ter sido influenciados por semelhantes países gregos e do Oriente Próximo.<ref>{{citar livro|título=Babrius and Phaedrus|ultimo=Perry|primeiro=Ben E.|editora=|ano=1965|local=|páginas=|acessodata=}}</ref> Epístoles indianos anteriores, como Mahabharata de Vyasa e Ramayana de Valmiki, também continham fábulas dentro da história principal, muitas vezes como histórias paralelas ou história alternativa. As fábulas mais famosas do Oriente Médio eram as mil e uma noites, também conhecidas como Noites da Arábia.
 
== Autores ==
6

edições