Abrir menu principal

Alterações

1 byte adicionado ,  08h05min de 25 de setembro de 2017
 
====Aspectos disposicionais da dinâmica da autoestima====
Outros aspectos disposicionais ligados à autoestima são as chamadas '''cognições ligadas a si mesmo''': '''autopercepção''', a percepção do próprio corpo e do próprio comportamento; a '''memória de si''', as recordações ligadas à própria pessoa e às experiências feitas no passado; o '''reflexo social''', ou seja, a opinião que nós pensamos que outras pessoas têm a nosso respeito, e a '''comparação social''', ou seja, a autoestima não é apenas baseada na nossa percepção de nós mesmo, mas também na percepção que nós fazemos dos outros a nosso redor. Um dos motivos mais descritos na literatura psicológica é o '''motivo de aumento da autoestima''': todas as pessoas desejam ter uma autoestima positiva e têm assim uma tendência a se supervalorizar. Essa tendência é normal e saudável até um determinado ponto, em que passa a ser socialmente condenada. Nesse momento, caracterizado pela falta de empatia, hipersensibilidade com relação a críticas e variações do humor, essa tendência recebe o nome de '''narcisismo''' - mas não se trata ainda do trantornotranstorno de personalidade narcísico, mas ainda de uma variação normal da personalidade.
 
Um outro processo importante ligado ao conceito de si mesmo é a '''autorrepresentação'''. O [[sociologia|sociólogo]] E. Goffman<ref>Goffman, E. (1956). ''The presentation of self in everyday life''. Edimburgh: University of Edimburgh Press.</ref> comparou o comportamento social a um teatro público, em que nós nos representamos a nós próprios. Essa representação tem um determinado fim: a ''administração da própria imagem'', ou seja, cada um procura controlar a impressão que ele provoca sobre os outros.