Diferenças entre edições de "Catira"

27 bytes removidos ,  18h28min de 27 de setembro de 2017
m
ajustes usando script
m (Foram revertidas as edições de 179.214.35.7 para a última revisão de O revolucionário aliado, de 18h05min de 22 de agosto de 2017 (UTC))
m (ajustes usando script)
A '''catira''', que também pode ser chamada de cateretê,<ref>[http://www.sbpcnet.org.br/livro/63ra/conpeex/extensao-cultura/trabalhos-extensao-cultura/extensao-cultura-carlos-gustavo.pdf Catira ou cateretê - dança do folclore brasileiro]</ref>, é uma [[dança]] do [[folclore]] [[brasil]]eiro, em que o ritmo [[música|musical]] é marcado pela batida dos pés e mãos dos dançarinos. De origem híbrida, com influências [[ameríndio|indígenas]], [[áfrica|africanas]] e [[Europa|europeias]], a catira (ou "o catira") tem coreografia executada no Brasil, (boiadeiros e lavradores) e pode ser formada por seis a dez componentes e mais uma dupla de violeiros, que tocam e cantam a moda.
 
É uma dança típica do interior do [[Brasil]], principalmente na área de influência da cultura sertaneja ([[Mato Grosso]], [[Goiás]], norte do [[Paraná]], [[Minas Gerais]], Espírito Santo, [[Mato Grosso do Sul]], [[Tocantins]] e principalmente [[São Paulo]]).
A Catira em algumas regiões é executada exclusivamente por homens, organizados em duas fileiras opostas. Na extremidade de cada uma delas fica o violeiro que tem à sua frente a sua “segunda”, isto é, outro violeiro ou cantador que o acompanha na cantoria, entoando uma terça abaixo ou acima. O início é dado pelo violeiro que toca o “rasqueado”, toques rítmicos específicos, para os dançarinos fazerem a “escova”, bate-pé, bate-mão, pulos. Prossegue com os cantadores iniciando uma moda de viola, com temática variada em estilo narrativo, conforme padrão deste gênero musical autônomo. Os músicos interrompem a cantoria e repetem o rasqueado. Os dançarinos reproduzem o bate-pé, bate-mão e os pulos. Vão alternando a moda e as batidas de pé e mão. O tempo da cantoria é o descanso dos dançarinos, que aguardam a volta do rasqueado.
 
Acabada a moda, os catireiros fazem uma roda e giram batendo os pés alternados com as mãos: é a figuração da “serra abaixo”, terminando com os dançarinos nos seus lugares iniciais. O Catira encerra com Recortado: as fileiras, encabeçadas pelos músicos, trocam de lugar, fazem meia-volta e retornam ao ponto inicial. Neste momento todos cantam uma canção, o “levante”, que varia de grupo para grupo. No encerramento do Recortado os catireiros repetem as batidas de pés, mãos e pulos.
 
É uma dança trazida pelos boiadeiros, eles iam tocando os gados, rancho afora quando descobriram que no assoalho daquele rancho fazia um barulho interessante, eles brincavam de bater palmas e pés.
{{Portal3|Dança}}
{{esboço-br}}
{{semiw}}
210 105

edições