Diferenças entre edições de "Cativeiro Babilónico"

1 byte removido ,  00h38min de 6 de outubro de 2017
Correção de um erro na parte em que diz que eliaquim se rendeu voluntariamente quando na verdade foi Jeconias
m (Foram revertidas as edições de 187.49.137.54 para a última revisão de Hume42, de 18h03min de 31 de agosto de 2017 (UTC))
(Correção de um erro na parte em que diz que eliaquim se rendeu voluntariamente quando na verdade foi Jeconias)
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
{{Revisão}}
{{Parcial}}
O '''Cativeiro''' {{PEPB|Babilónico|Babilônico}}, também chamado de '''Exílio''' ou '''Cativeiro''' {{PEPB|na Babilónia|na Babilônia}}, é o nome geralmente usado para designar o exílio dos [[judeus]] do antigo [[Reino de Judá]] para a [[Babilônia|Babilónia]] por [[Nabucodonosor II]]. Este período histórico foi marcado pela atividade dos profetas do [[Antigo Testamento]], [[Jeremias (Bíblia)|Jeremias]], [[Ezequiel]] e [[Daniel (profeta)|Daniel]]. A primeira deportação teve início em [[609 a.C.]]. Em [[598 a.C.]], [[Jerusalém]] é sítiada e o jovem [[JoaquimJeconias de Judá|JeoaquimJoaquim]] ( EliakimJeconias ou EliaquimConias) rei de [[Reino de Judá|Judá]], rende-se voluntariamente. O [[Templo de Jerusalém]] é parcialmente saqueado e uma grande parte da nobreza, os oficiais militares e artífices, inclusive o Rei, são levados para o Exílio em Babilónia. [[Zedequias]], tio do Rei Joaquim, é nomeado por Nabucodonosor II como rei [[vassalo]]. Precisamente 11 anos depois, em [[587 a.C.]], houve uma nova rebelião no [[Reino de Judá]], ocorre a terceira deportação e a consequente destruição de Jerusalém e seu Templo.
 
Governando os poucos judeus remanescentes na terra de Judá - os mais pobres - ficou [[Gedalias]] nomeado por Nabucodonosor II. Dois meses depois, Gedalias é assassinado e os poucos habitantes que restavam fogem para o [[Egipto]] com medo de represálias, deixando a terra de Judá (ex-Reino de Judá) efectivamente ''sem habitantes'' e suas cidades em ruínas. É certo que o período de cativeiro "em Babilónia" terminou no primeiro ano de reinado de [[Ciro II]] ([[538 a.C.]]/[[537 a.C.]]) após a conquista persa da cidade de Babilónia ([[539 a.C.|538 a.C.]]). Em consequência do Decreto de Ciro, os judeus exilados foram autorizados a regressar à terra de Judá, em particular a Jerusalém, para reconstruir o Templo.<ref>[[Flavius Josephus|Josephus, Flavius]]. The [[Antiquities of the Jews]], Book 11, Chapter 1 [http://www.ccel.org/j/josephus/works/ant-11.htm]</ref>
Utilizador anónimo