Diferenças entre edições de "António Barreto"

1 013 bytes adicionados ,  22h55min de 6 de outubro de 2017
sem resumo de edição
|cônjuge = [[Maria Filomena Mónica]]
}}
'''António Miguel de Morais Barreto''' <small>[[Ordem Militar de Cristo|GCC]] • [[Ordem da Liberdade|GCL]]</small> ([[Porto]], [[Foz do Douro]], [[30 de outubro]] de [[1942]]) é um cientista social, político e [[Crônica (literatura e jornalismo)|cronista]] [[Portugueses|português]].
 
== Biografia ==
Terceiro de sete filhos de Manuel da Costa Pinto Barreto ([[Peso da Régua]], 17 de Dezembrodezembro de 1907 - Porto, 21 de Dezembrodezembro de 1981) e de sua mulher ([[Vila Real]], [[Folhadela]], 15 de Setembrosetembro de 1938) Maria do Céu de Morais Taborda ([[Porto]], 7 de Maiomaio de 1912 - Porto, 5 de Marçomarço de 1980), neta materna do 1.º [[Barão de Gouvinhas]] e sobrinha-neta materna do 1.º [[Visconde de Morais]], que recusou o título de [[Conde]] de Morais, uma família com reminiscências fidalgas, católica e apoiante da [[monarquia]]<ref>"António Barreto - Política e Pensamento", de Maria de Fátima Bonifácio, ed. Publicações D. Quixote, 2016</ref>; António Barreto mudou-se muito jovem para [[Vila Real]], onde viveu até finalizar os estudos liceais.
 
Frequentou a [[Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra|Faculdade de Direito]] da [[Universidade de Coimbra]] até [[1963]], onde foi ator do [[CITAC - Círculo de Iniciação Teatral da Academia de Coimbra]].
 
Radicado na [[Suíça]] em [[1963]], acabou por se [[Licenciatura|licenciar]] em Economia Social, na [[Universidade de Genebra]], em [[1968]]. Foi assistente daquela Universidade, até [[1970]], aonde voltaria em [[1985]] para realizar o [[doutoramento]] em [[Sociologia]]. Foi investigador do Instituto de Pesquisas das [[Organização das Nações Unidas|Nações Unidas]] para o Desenvolvimento Social, de [[1969]] a [[1974]].
 
Regressado a [[Portugal]] na sequência da [[Revolução de 25 de Abril de 1974]], tornou-se investigador no Gabinete de Estudos Rurais da [[Universidade Católica Portuguesa]], função que desempenhou até [[1982]], mudando-se nesse ano para o [[Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa]], onde se manteve até à jubilação, em [[2009]]<ref name="ics.ulisboa.pt">[http://www.ics.ulisboa.pt/instituto/?ln=p&pid=15&mm=5&ctmid=6&mnid=1&doc=31809901190 ICS]</ref>.
==Percurso político e distinções==
 
Foi militante do [[Partido Comunista Português]] entre [[1963]] e [[1970]], aderindo, após o [[Revolução de 25 de Abril de 1974|25 de abril de 1974]], mais precisamente em [[dezembro]] desse [[1974|ano]], ao [[Partido Socialista (Portugal)|Partido Socialista]]. Eleito deputado à [[Assembleia Constituinte]], no ano seguinte, em [[1975]], seria membro do [[VI Governo Provisório de Portugal|VI Governo Provisório]] ([[José Pinheiro de Azevedo|Pinheiro de Azevedo]]), como Secretário de Estado do Comércio Externo, e do [[I Governo Constitucional de Portugal|I Governo Constitucional]] ([[Mário Soares]]), como Ministro do Comércio e Turismo, primeiro, e da Agricultura e Pescas, depois.
 
Afastou-se do [[Partido Socialista (Portugal)|PS]] para apoiar o projeto da [[Aliança Democrática (Portugal)|Aliança Democrática]], liderado por [[Francisco Sá Carneiro]], com o efémero [[Movimento dos Reformadores]], criado com [[José Medeiros Ferreira]] e [[Francisco Sousa Tavares]], em [[1978]].
 
Em [[1985]], apoiou [[Mário Soares]], no MASP I (Primeiro [[Movimento de Apoio Soares à Presidência]]) para as [[eleições presidenciais portuguesas de 1986]]. Entre [[1987]] e [[1991]], regressou à [[Assembleia da República]] como deputado pelo [[Partido Socialista (Portugal)|PS]], do qual se afastou definitivamente na década de [[1990]].
 
Recebeu o Prémio Montaigne, atribuído pela [[Alfred Toepfer Stiftung F.V.S.|Fundação Alfred Toepfer]] e pela [[Universidade de Tubinga|Universidade de Tübingen]], em [[2004]]. Foi eleito membro [[Academia das Ciências de Lisboa]] em [[2008]]. A 8 de Junhojunho de [[2012]], foi agraciado pelo chefe de EstadoPresidente [[Aníbal Cavaco Silva]] com a Grã-Cruz da [[Ordem Militar de Cristo]]. A 5 de outubro de 2017, foi agraciado com a Grã-Cruz da [[Ordem da Liberdade]] pelo Presidente [[Marcelo Rebelo de Sousa]].<ref>{{citar web |url=http://www.ordens.presidencia.pt/?idc=153 |título=Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas|autor=|data=|publicado=Presidência da República Portuguesa|acessodata=20152017-0410-2306 |notas=Resultado da busca de "António Miguel de Morais Barreto".}}</ref> A 5 de Outubro de 2017 recebeu a Grã-Cruz da [[Ordem da Liberdade]] das mãos do chefe de Estado [[Marcelo Rebelo de Sousa]].
 
==Obra==
* ''Novos retratos do meu país: 1999-2003'', Lisboa: Relógio d'Água, 2003
* ''Globalização e migrações'' (org.), Lisboa: Instituto de Ciências Sociais, 2005
 
== Funções governamentais exercidas ==
* ''[[I Governo Constitucional de Portugal|I Governo Constitucional]]''
** Ministro do Comércio e Turismo
** Ministro da Agricultura e Pescas
 
{{Começa caixa}}
{{Caixa de sucessão|
|título = [[Ministério do Comércio (Portugal)|Ministro do Comércio e Turismo]]
|anos = ''[[I Governo Constitucional de Portugal|I Governo Constitucional]]''<br>1976 – 1977
|antes = ''Primeiro titular''
|depois = [[Carlos Alberto da Mota Pinto]]
}}
{{Caixa de sucessão|
|título = [[Ministério da Agricultura e Pescas|Ministro da Agricultura e Pescas]]
|anos = ''[[I Governo Constitucional de Portugal|I Governo Constitucional]]''<br>1976 – 1978
|antes = [[António Lopes Cardoso]]
|depois = [[Luís Saias]]
}}
{{Termina caixa}}
 
{{Referências}}
 
 
==Ligações externas==
[[Categoria:Comentadores de Portugal]]
[[Categoria:Grã-Cruzes da Ordem Militar de Cristo]]
[[Categoria:Grã-Cruzes da Ordem da Liberdade]]
29 799

edições