Concreto: diferenças entre revisões

7 bytes adicionados ,  20h06min de 14 de outubro de 2017
m
sem resumo de edição
(Alterei o texto retirando a afirmação de que a presença de agregados no concreto tem como principal finalidade a redução do custo, colocando também a sua importância para a sua vida útil e funcionalidade.)
m
{{Variante-português|betão|concreto}}
[[Ficheiro:Concrete cellar 10007.JPG|thumb|235x235px|right|[[Construção]] em concreto.]]
[[Ficheiro:Blocos.JPG|right|thumb|212x212px|[[Bloco]]s de concreto em área de [[construção]] .]]
[[Ficheiro:Concrete.jpg|thumb|200px|right|Detalhe de uma [[parede]] de concreto.]]
[[Ficheiro:Concrete pouring.jpg|thumb|250px|right|Fundação de uma [[casa]] sendo feita com concreto.]]
 
O cimento é o aglomerante do concreto que une os agregados. Estes podem ser agregados miúdos (areias) ou agregados graúdos (pedras britadas). Associando esses materiais de diferente maneiras pode-se ter:
* Pasta: cimento + água;<ref name=":0">{{citarCitar livro|titulotítulo=Cálculo e detalhamento de estruturas usuais de Concreto Armado|ultimoúltimo=Carvalho e Figueiredo|primeiro=|editora=EDUFSCAR|ano=2014|local=São Carlos|paginaspáginas=|acessodata=}}</ref>
* Argamassa: pasta + agregado miúdo;<ref name=":0" />
* Concreto: argamassa + agregado graúdo;<ref name=":0" />
Contrariando o que é comumente difundido, a adição de agregados de maiores dimensões para compor o concreto não tem a finalidade, apenas, de diminuir o custo do seu volume unitário. As razões, além da redução do custo, são também os ganhos significativos relacionados à sua funcionalidade e vida útil, uma vez que tais agregados garantem menos retração na cura (podendo ser 10 vezes menor que a retração apresentada pela pasta de cimento pura), evitando assim fissurações, e garantindo menor fluência (também podendo chegar a ser 10 vezes menor que a fluência apresentada pela pasta de cimento pura).<ref>{{citarCitar livro|título=TECNOLOGIA DO CONCRETO|ultimoúltimo=Brooks|primeiro=Neville|editora=Bookman|ano=2010|local=|páginas=|acessodata=}}</ref>
 
Historicamente, os romanos foram os primeiros a usar uma espécie de concreto para assentar seus tijolos cerâmicos maciços. Eles utilizavam como cimento pozolana natural e cal. Embora o primeiro uso é muito antigo, o cimento e concreto ficaram esquecidos por conta da ruralização da Europa e idade média. O material só veio a ser novamente desenvolvido e pesquisado no [[século XIX]].
 
O concreto simples possui uma razoável resistência a compressão (esmagamento), entretanto uma baixa resistência a tração (cerca de 10% do valor da compressão). Como na maioria das estruturas é comum se encontrar os dois tipos de esforços, o uso do concreto se dá normalmente junto com um outro material (na maioria das vezes [[aço]] carbono).<ref name=":1">{{citarCitar livro|titulotítulo=Tecnologia do Concreto Estrutural|ultimoúltimo=FUSCO|primeiro=Péricles Brasiliense|editora=PINI|ano=2008|local=São Paulo|paginaspáginas=|acessodata=}}</ref>
 
O tipo de armadura empregada caracteriza o concreto. Usualmente, chama-se de [[concreto armado]], quando o aço é disposta nos locais apropriados (armadura passiva). Quando o aço colocado na estrutura sofre a aplicação de um alongamento (tracionado antes ou depois de concretado), recebe o nome de [[Betão pré-esforçado|concreto protendido]].<ref name=":0" /><ref name=":1" />
269

edições