Diferenças entre edições de "Estilo neomanuelino"

14 bytes removidos ,  17h56min de 16 de outubro de 2017
{{HAP-mod}}
O '''estilo neomanuelino''' foi uma corrente revivalista que se desenvolveu dentro da [[Arquitetura|arquitecturaarquitetura]] e das artes decorativas [[Portugal|portuguesas]] entre meados do {{séc|XIX}} e o início do {{séc|XX}}. É a principal forma de arquitectura do romantismo português devido, essencialmente, à tendência romântica em assumir carácter nacionalista na construção de grandes edifícios públicos. Está para a arquitectura portuguesa do século XIX como o [[neogótico]] para a restante [[Europa]]. O nome deriva da junção das palavras ''neo'', "novo" em grego, e [[manuelino]]. A [[historiografia]] da arte dava então os seus primeiros passos e o nome "manuelino", ligando o estilo à produção artística do reinado de [[Manuel I de Portugal|D. Manuel I]] (1495-1521), foi introduzido em 1842 pelo historiador [[Francisco Adolfo de Varnhagen]].
 
== Situação em Portugal ==
Os primeiros anos do século XIX são muito complexos, devido essencialmente à sucessão de problemas políticos, nomeadamente a fuga da família real para o [[Brasil]] em 1807, devido às invasões francesas, posterior/consequente domínio inglês, revolução liberal em 1820, regresso da família real em 1821, independência do Brasil, a perda do comércio colonial com a antiga colóniacolônia em 1822 (dramático golpe na economia portuguesa), contrarrevolução absolutista e, finalmente, guerras liberais, conservando a instabilidade até 1834.
<gallery mode=packed caption=" " widths="170px" heights="170px">
Ficheiro:Palácio do Bussaco (1).JPG|[[Palácio Hotel do Buçaco]], <small>1888-1907, pormenor da fachada </small>
Em Portugal a situação é diferente. O gótico português segue a corrente mendicante, ou seja, adopta os princípios ideológicos das [[ordens mendicantes]], baseados na simplicidade e recusa de toda a ostentação ou de todo o luxo, com características próprias, sem copiar a arquitectura francesa, modelo seguido na época pela generalidade dos países europeus. Os edifícios de grande aparato, cobertos de decoração tipicamente gótica, são um pouco mais tardios e, muito frequentemente, fazem a transição para o [[manuelino]], como o [[Mosteiro da Batalha]] ou o [[Convento de Cristo em Tomar]]. O facto de o manuelino coincidir com o reinado de [[D. Manuel I]], logo com o período mais importante das descobertas, disponibilizando grandes quantidades de capital utilizado generosamente em edifícios religiosos, tornando este estilo muito decorado e original, também é fundamental. Quando a sensibilidade romântica se vira para o passado, procurando referências nacionalistas, obviamente elege o manuelino como expressão máxima da criatividade arquitectónica portuguesa, baseando-se no argumento de ser uma arquitectura puramente nacional.
 
== ArquitecturaArquitetura ==
{{Imagem múltipla
| align = right
Utilizador anónimo