Abrir menu principal

Alterações

866 bytes adicionados, 04h10min de 2 de novembro de 2017
Desfeita a edição 50348444 de O revolucionário aliado
 
Atualmente, onde se encontrava sua [[prisão]], funcionou a [[Câmara dos Deputados do Brasil|Câmara dos Deputados]] na chamada [[Cadeia Velha]], que foi demolida e no local foi erguido o [[Palácio Tiradentes]] que funcionava como Câmara dos Deputados até a transferência da capital federal para [[Brasília]]. No local onde foi enforcado ora se encontra a [[Praça Tiradentes (Rio de Janeiro)|Praça Tiradentes]] e onde sua cabeça foi exposta fundou-se outra [[Praça Tiradentes (Ouro Preto)|Praça Tiradentes]]. Em Ouro Preto, na antiga cadeia, hoje há o [[Museu da Inconfidência]].
 
[[Ficheiro:JonasProfeta.jpg|thumb|Os Doze Profetas é um conjunto de esculturas em pedra-sabão feitas entre 1794 a 1804 pelo artista Antônio Francisco Lisboa, conhecido como Aleijadinho. Ao esculpir os profetas, Aleijadinho retratou os principais envolvidos na Inconfidência Mineira. Sob a repressão da Coroa, Aleijadinho teria utilizado o subterfúgio da alegoria para imortalizar aqueles homens que tentaram mudar os rumos da história do Brasil. Ao observar o profeta Jonas, percebe-se que, em relação ao corpo, a cabeça está pendida como a indicar um sacrifício. Nota-se que os olhos de Jonas são os únicos do conjunto de profetas que não apresentam íris - como se estivessem sem vida - e a boca pende num relaxamento muscular característico de um morto. Jonas seria a alegoria de Tiradentes.<ref>http://congonhas.tripod.com/polemica.html</ref>]]
 
=== Feriado ===
960

edições