Diferenças entre edições de "Timo de Wettin"

160 bytes adicionados ,  15h37min de 2 de novembro de 2017
m
{{Formatar referências|data=novembro de 2017}}
'''Timo I, conde de Wettin''' (1015 - 9 de março de 1090/1091 ou 1100), um membro da [[dinastia Wettin]], foi um conde de [[Wettin]] e Brehna.
 
== Biografia ==
{{Info/Nobre
| imagem =
| mãe = [[Matilda de Meissen]]
}}
'''Timo I, conde de Wettin''' (1015 - 9 de março de 1090/1091 ou 1100), um membro da [[dinastia Wettin]], foi um conde de [[Wettin]]  e Brehna.
Era o mais novo filho do marquês [[Teodorico II da Baixa Lusácia|Teodorico II de Baixa Lusácia]] e sua esposa Matilde, uma filha do marquês Ecardo I de Meissen. Quando seu pai foi assassinado em 1034, Timo o sucedeu em os territórios de Wettin e Brehna. Também serviu como ''Vogt'' (oficial) da diócesis de Naumburgo e do monastério da família Wettin em Gerbstedt.
 
== Biografia ==
Na [[rebelião saxã]] de 1073-75, combateu ao rei [[Henrique IV do Sacro Império Romano-Germânico|Henrique IV]] e também seu irmão o bispo Federico de Münster. Mais tarde ele enfrentou novamente o rei, e em 1088 participou da assembléia ''Hoftag'' em [[Quedlimburgo|Quedlinburg]], onde o marquês brunonida Egberto II de Meissen foi deposto.
Era o mais novo filho do marquês  [[Teodorico II da Baixa Lusácia|Teodorico II de Baixa Lusácia]] e sua esposa Matilde, uma filha do marquês  Ecardo I de Meissen. Quando seu pai foi assassinado em 1034, Timo o sucedeu em os territórios de Wettin e Brehna. Também serviu como ''Vogt'' (oficial) da diócesis de Naumburgo e do monastério da família Wettin em Gerbstedt.
 
Na [[rebelião saxã]]  de 1073-75, combateu ao rei [[Henrique IV do Sacro Império Romano-Germânico|Henrique IV]] e também seu irmão o bispo Federico de Münster. Mais tarde ele enfrentou novamente o rei, e em 1088 participou da assembléia  ''Hoftag'' em [[Quedlimburgo|Quedlinburg]], onde o marquês  brunonida Egberto II de Meissen foi deposto.
Desconhece-se o exato ano da morte de Timo; seu filho Conrado nasceu em aproximadamente 1098, portanto, Timo não poderia ter morrido antes desta data. Alguns pesquisadores assumem que Timo, na verdade, era o avô de Conrado, e que o pai de Conrado era um filho desconhecido dele com o mesmo nome, fazendo co que o possível ano de sua morte fosse em 1090/91, como se diz numa crônica. No entanto, já que Timo II não aparece em nenhum outro lugar, isso é considerado improvável.
 
Desconhece-se o exato ano da morte de Timo; seu filho Conrado nasceu em aproximadamente 1098, portanto, Timo não poderia ter morrido antes desta data.  Alguns pesquisadores assumem que Timo, na verdade, era o avô de Conrado, e que o pai de Conrado era um filho desconhecido dele com o mesmo nome, fazendo co que o possível ano de sua morte fosse em 1090/91, como se diz numa crônica. No entanto, já que Timo II não aparece em nenhum outro lugar, isso é considerado improvável.
Está enterrado no monastério de Niemegk que ele mesmo havia fundado.<ref>Seine Mutter Mathilde von Meißen war Tochter des Markgrafen Ekkehard I. von Meißen und der Swanhild Billung von Sachsen, Tochter von Herzog Hermann Billung von Sachsen</ref>
 
Está enterrado no monastério de Niemegk &nbsp;que ele mesmo havia fundado.<ref>Seine Mutter Mathilde von Meißen war Tochter des Markgrafen &nbsp;Ekkehard I. von Meißen &nbsp;und der Swanhild Billung von Sachsen, Tochter von Herzog &nbsp;Hermann Billung &nbsp;von &nbsp;Sachsen</ref>
 
== Casamento e descendência ==
Timo casou-se com Ida, filha do conde [[Otão de Nordheim]]. Tiveram três filhos:
* #[[Dedo IV]] (m. 16 de dezembro de 1124), conde de Wettin, casou-se com Berta, filha do marquês &nbsp;[[Wiprecht de Groitzsch]], sem herdeiros masculinos
* #[[Conrado I de Wettin|Conrado de Meissen]] (h. 1097-1157)
* #Matilde, casada com o conde Gerón I de Seeburg em 1115, e em segundo lugar com o conde [[Luis de Wippra]] em 1123<ref>Otto Posse &nbsp;(Hrsg.): &nbsp;''Die Wettiner. Genealogie des Gesammthauses Wettin Ernestinischer und Albertinischer Linie mit Einschluss der regierenden Häuser von Grossbritannien, Belgien, Portugal und Bulgarien.'' &nbsp;Giesecke & Devrient, Leipzig u. a. 1897, (Reprint der Original-Ausgabe Leipzig, Berlin, Giesecke & Devrient, 1897. Mit Berichtigungen und Ergänzungen der Stammtafeln bis 1993 von Manfred Kobuch. Zentralantiquariat Leipzig, Leipzig 1994, &nbsp;[[:de:Spezial:ISBN-Suche/3746301718|ISBN 3-7463-0171-8]]).</ref><ref>Stefan Pätzold: &nbsp;''Die frühen Wettiner. Adelsfamilie und Hausüberlieferung bis 1221'' &nbsp;(= &nbsp;''Geschichte und Politik in Sachsen.'' &nbsp;Bd. 6). Böhlau, Köln u. a. 1997, &nbsp;[[:de:Spezial:ISBN-Suche/3412086975|ISBN 3-412-08697-5]] &nbsp;(Zugleich: Göttingen, Universität, Dissertation, 1996).</ref><ref>Wolfgang Hartmann: &nbsp;''Vom Main zur Burg Trifels – vom Kloster Hirsau zum Naumburger Dom. Auf hochmittelalterlichen Spuren des fränkischen Adelsgeschlechts der Reginbodonen'' &nbsp;(= &nbsp;''Veröffentlichungen des Geschichts- und Kunstvereins Aschaffenburg e. V.'' &nbsp;Bd. 52). Geschichts- und Kunstverein Aschaffenburg, Aschaffenburg 2004, &nbsp;[[:de:Spezial:ISBN-Suche/3879650985|ISBN 3-87965-098-5]].
</ref>
 
== {{Referências ==}}
 
== Ligações externas ==
* [http://www.manfred-hiebl.de/genealogie-mittelalter/wettiner/thimo_1_graf_von_brehna_wettin_1100/thimo_1_graf_von_brehna_wettin_+_1100.html www.genealogie-mittelalter.de]
 
== Referências ==
{{DEFAULTSORT:Thimo 02 of Wettin, Count}}
{{Controle de autoridade}}{{Tradução/ref|en|Thimo the Brave, Count of Wettin}}
41 863

edições