Diferenças entre edições de "IndyCar"

8 bytes adicionados ,  21h50min de 6 de novembro de 2017
correção
Etiquetas: Editor Visual Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
(correção)
 
[[Ficheiro:USNGPanozIndy.jpg|thumb|Carro da temporada de 1997.]]
A Indy Racing League foi fundada em 1994 por [[Tony George]] e começou a correr em 1996. A [[Champ Car | CART]] havia sancionado a Indycar desde 1979, quando a organização se afastou a partir de [[United States Auto Club | USAC]]. George moldou a IRL como uma alternativa de baixo custo, que havia a não-predominância tecnológica e era dominado por poucas equipes, bem como na [[Fórmula 1]]. Inicialmente, atraiu algumas das equipes menores, que acreditaram na visão apresentada por [[Tony George]].
 
A cisão entre a IRL e a [[CART]] foi extremamente amarga e ambas categorias sofreram por causa disso.
 
O ponto mais amargo do conflito entre CART e IRL foi a [[500 Milhas de Indianápolis de 1996]], há muito considerado a joia da coroa do automobilismo na [[América do Norte]]. Após o início da IRL em 1996, Tony George concedeu vagas para 25 carros de equipes da IRL em tempo integral, com apenas oito outros carros sendo permitida a começar. Em retaliação, a CART programou o que era suposto para se tornar seu evento vitrine, o ''[[U.S. 500]]'', em [[Michigan International Speedway]] no mesmo dia, mas não atraiu o interesse dos fãs e foi interrompido após a sua edição de 1999. Apesar de modificada em 1999, alegava-se que a primeira ''Indy 500'' pós-cisão era para CART era tida como prova de George das supostas más intenções contra a CART.
 
Em 1997, Tony George especificou novas regras técnicas para carros menos caros, assim como seus motores, baseados em especificações da CART que havia sido prevalecido desde 1970.
No seu início, a Indy Racing League e Tony George foram criticados por membros da mídia e de alguns concorrentes da CART. As primeiras temporadas da IRL consistiam em horários esparsos, pilotos na sua maioria desconhecidos, e equipes inexperientes, mesmo na Indy 500. Gradativamente, com o cronograma expandido, o calibre dos pilotos melhorou. A IRL começou a permitir equipes da CART a partir de 2000, contribuindo para a última [[falência]] da CART como [[Champ Car]], em 2003, e morte final e absorção pela IRL em 2008.
 
Nos anos posteriores, a IndyCar Series tornou-se semelhante ao da CART a partir do qual se rompeu. O círculo de vencedores da IndyCar está agora dominado por um times incluindo aqueles que competiam na CART, tais como [[Chip Ganassi Racing]] e [[Team Penske]], um forte contingente de estrangeiros como pilotos, e tem uma programação que inclui circuitos de rua e permanentes, ou seja, competindo com menos freqüência em ovais.
 
A partir do ano de [[2001]], os [[brasil]]eiros passaram a ter uma participação mais incisiva na IRL com [[Felipe Giaffone]] e [[Airton Daré]]. No ano seguinte a Penske migrou da CART trazendo com ela seus pilotos [[Hélio Castroneves]] e [[Gil de Ferran]] -vencedores posteriormente da ''Indy 500'' e conquistando 2 vice campeonatos, em 2003 entrou na categoria [[Tony Kanaan]] que no ano seguinte veio a conquistar o título da categoria.
56

edições