Diferenças entre edições de "Exército de Anders"

15 bytes adicionados ,  11h12min de 7 de novembro de 2017
(Adicionada bibliografia e outra referencia)
Etiquetas: Inserção de predefinição obsoleta editor de código 2017
A desconfiança mútua impedia uma ação militar conjunta em solo soviético, então as autoridades soviéticas reduziram o suprimento de alimentos, o que levou o grosso daquela formação militar a retirar-se da URSS pela fronteira com o [[Irã]], para juntar-se ao [[Exército Britânico]].
 
Alguns poloneses não foram junto com Anders para o Irã e formaram Primeira Divisão de Infantaria polonêspolonesa Tadeusz Kosciuszko, comandada por [[Zygmunt Berling]] e subordinada à União Soviética.
 
Em 1 de setembro de 1942 a evacuação do Exército de Anders havia acabado. Chegaram ao Irã 69.917 pessoas, incluindo 41.103 militares.
No total, durante as duas evacuações da União Soviética deixaram cerca de 80.000 soldados e mais de 37.000 membros das suas famílias.
 
O Exército de Anders passou a ser denominado como "Exército polonês no Oriente", sendo 30% dos componentes do exército composto por ucranianos e bielorrussos.
 
Na Palestina, juntaram-se a várias unidades menores polonesas que lutavam junto com o Exército Britânico, que tinham conseguido escapar após a derrota da Polônia em 1939.
No total, eram 48 mil soldados, 248 peças de artilharia, 288 armas anti-tanque, 234 armas anti-aéreas, 264 tanques, 1.241 veículos blindados, 440 carros blindados e 12.064 automóveis.
 
A estes não se juntoujuntaram os aviadores poloneses integrados à RAF.
 
== Segundo Corpo Polonês na Itália ==