Diferenças entre edições de "Colisão elástica"

488 bytes adicionados ,  15h38min de 7 de novembro de 2017
Adição de um exemplo.
(Acréscimo de referências.)
(Adição de um exemplo.)
<math>e=\frac{v_{2f}-v_{1f}}{-(v_{2i}-v_{1i})}</math>
 
O coeficiente de restituição <math>e</math> assume sempre o valor igual a 1 para colisões perfeitamente elásticas e quanto o coeficiente de restituição é maior que zero e menor que 1 (<math>0 < e < 1</math>) a colisão é considerada parcialmente elástica, pois a energia cinética é parcialmente conservada. Se o coeficiente de restituição for zero, trata-se de uma [[colisão inelástica]].<ref>{{citar livro|título=Física 1|ultimo=HALLIDAY|primeiro=David|ultimo2=Robert|primeiro2=Resnik|editora=LTC|ano=1996|edicao=4|volume=1|local=Rio de Janeiro|páginas=326|acessodata=}}</ref>{{Referências}}
 
== Exemplo ==
Supondo que uma arma de massa 1 kg (<math>m_a</math>) dispare um projétil de massa 0,01 kg (<math>m_p</math>) com velocidade de 400 m/s (<math>v_p</math>), calcule a velocidade do recuo dessa arma (<math>v_a</math>). Considerando o choque perfeitamente elástico, para determinar a velocidade de recuo da arma tem-se:
 
O momento linear é conservado.
 
<math>|p_i|=|p_f|</math>
 
<math>m_av_a=m_pv_p</math>
 
<math>1\cdot v_a+0,01\cdot400=0</math>
 
<math>v_a=-4\ m/s</math>{{Referências}}
 
[[Categoria:Mecânica clássica]]
14

edições