Abrir menu principal

Alterações

Sem alteração do tamanho, 01h46min de 8 de novembro de 2017
correção
 
[[Imagem:TLS factory 7413v.jpg|thumb|Planta de produção da Airbus em [[Blagnac]], [[França]].]]
Os principais locais de produção da Airbus incluem a planta em [[Blagnac]] (próximo a [[Toulouse]]), na [[França]], onde também fica a sede da empresa, também conta com planta de produção em [[Hamburgo]], na [[Alemanha]] e a planta de produção em [[Getafe]], na [[Espanha]], onde são produzidos principalemnteprincipalmente as aeronaves e equipamentos militares.
 
Em 2009, a Airbus abriu a sua primeira planta fora da Europa, em [[Tianjin]], na [[China]], para a produção de aeronaves da família [[Airbus A320|A320]].<ref>http://www.highbeam.com/doc/1P1-126381148.html</ref> Em 2016, inaugurou sua planta de produção nos [[Estados Unidos]], na cidade de [[Mobile]], no [[Alabama]] também para a produção de aeronaves da família [[Airbus A320|A320]].<ref>http://abcnews.go.com/US/wireStory/officials-ala-airbus-plant-employ-1000-16690789#.T_HRzJHhcqN</ref>
== Tecnologia ==
 
[[Ficheiro:Airbus A380 cockpit zoom on sidestick.JPG|thumb|Característica típica dos aviões da Airbus é o uso do ''[[side-stick]]'' ao invés dodos [[manche (aviação)|''manche]]s''.]]
A Airbus foi pioneira em adoptaradaptar massivamente o uso da tecnologia ''[[fly-by-wire]]'' em aviões civis, e o uso de ''[[side-stick]]'' no lugar do ''manche''. Isso aconteceu a partir da família [[Airbus A320|A320]] e prevalece em suas sucessoras, mas não está presente nas famílias antecedentes ([[Airbus A300|A300]] e [[Airbus A310|A310]]).<ref name="multipla">{{citar web | autor=Airbus | título=Corporate Information / History / Fly-by-wire | url=http://www.airbus.com/en/corporate/history/part_6.html |acessodata=[[21 de agosto]] de [[2009]] }}</ref>
 
No sistema ''fly-by-wire'', os controles no [[Cabine de pilotagem|''cockpit'']] (manche, pedais, manetas etc.) não estão conectados mecanicamente (seja por cabos ou por atuadores hidráulicos) às superfícies de comando ou motores, mas sim electronicamente a computadores. Cada vez que o piloto os accionaaciona, ele dá um comando, não para essas superfícies ou para o motor de forma directadireta, mas para um ou mais computadores que o repassarão às superfícies ou motores.<ref name="multipla" /> Essa tecnologia, que foi aplicada primeiramente em aviões militares, hoje em dia está presente, em graus variáveis, em diversas aeronaves, inclusive da [[Boeing]] (só o [[Boeing 777]] é totalmente fly-by-wire, os demais, apenas parcialmente).
 
Outra grande revolucão tecnologica se encontra em todos os aviões da família A320 e posteriores, o ECAM (''Electronic Centralized Aircraft Monitoring'') ou MonitorizacãoMonitorização eletronicamente centralizada da aeronave. Um sistema composto por dois grandes [[Tela|ecrãs]] no cockpit mostra o estado de todos os sistemas a bordo, hidráulicos, pressão da cabine, motores, combustível, superfícies de controlocontrole etc. Mas a verdadeira vantagem deste sistema é que, se houver uma falha ou fogo no motor, em vez do piloto ter de consultar o QRH (''Quick Reference Handbook'') um livro que contem as ''[[:en:checklist|checklists]]'' de toda falha que possa acontecer, a checklist aparece toda no ecrã, e o piloto não tem de perder o tempo de consultar o livro.
 
Em decorrência de alguns acidentes envolvendo aviões da empresa, tem havido certa polémica sobre o influxo deste sistema na segurança de voo.<ref>{{citar web | autor=Revista Época | título=Os sistemas eletrônicos falharam? | url=http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,ERT76069-15227-76069-3934,00.html |acessodata=[[21 de agosto]] de [[2009]] }}</ref>
56

edições