Diferenças entre edições de "Devir"

437 bytes removidos ,  19h37min de 20 de novembro de 2017
(→‎Hegel: digitação errada)
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel Remoção considerável de conteúdo
 
===Aristóteles===
Para Aristóteles, o devir é apenas uma passagem da [[potência]] ao [[ato]] que é a perfeição para a qual o devir tende.<ref name="Susin2003">"Segundo Aristóteles, ato é a perfeição para a qual o devir tende." Luiz Carlos Susin. ''[http://books.google.com/books?id=ImeZ81uBu1IC&pg=PA82 Éticas em diálogo: Levinas e o pensamento contemporâneo: questões e interfaces]''. EDIPUCRS; 2003. ISBN 978-85-7430-367-3. p. 82.</ref><ref name="Baptista">"Aristótles dá o nomde de devir ao processo de realização da potência. Devir é o princípio de atualização da potencialidade em direação à realização da forma. O princípio do decir é o movimento, o princípio do movimento é a potência." William Baptista. ''[http://books.google.com/books?id=ofapNUTWCdIC&pg=PA55 O devir da verdade]''. Letra Capital Editora LTDA; ISBN 978-85-7785-168-3. p. 55.</ref> O devir aristotélico é a realização de um processo para se receber, o que move um ente para sua finalidade é o ''motor''; tudo está em ''movimento'' porque é movido por um motor, o motor que move a si mesmo e não é movido por nenhum outro é o primeiro motor, o motor perfeito onde todas as suas potencialidades estão atualizadas.<ref name="Baptista"/>
 
===Hegel===
Utilizador anónimo