Diferenças entre edições de "Fátua"

259 bytes removidos ,  19h33min de 24 de novembro de 2017
sem resumo de edição
m
{{UnicodeArabe}}
{{Islã}}
Uma '''fatwa'''{{nota de rodapé|Jalal, Ayesha. Combatentes de Alá. Ed. Larousse. Trad. Gonçalves, Luiz Roberto Mendes. p36}} ou '''fátuaFátua'''<ref>"[http://www.priberam.pt/dlpo/fátua fátua]", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa (em linha), 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/fátua (consultado em 13-07-2014).</ref> ({{lang-ar|فتوى}}; [[transl.]] ||''fatwā''}}, plural ''fataawa'') é um pronunciamento legal no [[Islão]] emitido por um especialista em [[lei]] religiosa, sobre um assunto específico.<ref>{{citar web |url=http://islam.about.com/od/law/g/fatwa.htm |publicado=[[About.com]] |autor= |título=Fatwa - About.com |data= |acessodata= |língua=inglês}}</ref> Normalmente, uma fatwa é emitida a pedido de um indivíduo ou [[juiz]] de modo a esclarecer uma questão onde a [[fiqh]], a [[jurisprudência]] islâmica, é pouco clara. Um [[Acadêmico|académico]] que seja capaz de emitir fatwas é conhecido por [[mufti]].
Normalmente, uma fatwa é emitida a pedido de um indivíduo ou [[juiz]] de modo a esclarecer uma questão onde a [[fiqh]], a [[jurisprudência]] islâmica, é pouco clara. Um [[Acadêmico|académico]] que seja capaz de emitir fatwas é conhecido por [[mufti]].
 
Sua autoridade é baseada na [[educação]] e no status do mufti dentro da comunidade. Se o inquiridor não for persuadido pela fatwa, ele é livre para ir a outro mufti e obter outra opinião; Mas uma vez que ele encontra uma opinião convincente, ele deve obedecer. Teoricamente, os muftis devem ser capazes de exercer um esforço de reflexão ([[ijtihad]]) jurídico independente das escolas de direito, embora os seguidores da tradição (''muqallids'') também possam emitir fatwas. Historicamente, as fatwas eram independentes do sistema judicial, embora alguns muftis estivessem oficialmente vinculados a vários tribunais. Nos sistemas políticos [[otomanos]] e [[Mogois|mogóis]], o grão-mufti foi designado como ''Shaykh al-Islam''. Outros muftis foram nomeados para cargos como inspetores de mercado, guardiões da moral pública e conselheiros do governo sobre assuntos religiosos. Sob o domínio colonial, as [[madraçais]] assumiram o papel de guias religiosos, e instituições especiais foram estabelecidas para emitir fatwas. Nos tempos modernos, a [[mídia impressa]] e [[Mídia eletrônica|eletrônica]] reforçou o papel eo impacto das fatwas, tornando-as instantaneamente disponíveis para o público. Os estados muçulmanos atuais tentaram controlar fatwas através de organizações consultivas oficiais dentro dos ministérios religiosos.<ref>{{citar web|url=http://www.oxfordislamicstudies.com/article/opr/t125/e646?_hi=14&_pos=1|titulo=Fatwa (em inglês)|data=|publicado=Oxford Islamic Studies}}</ref><ref>Muhammad Khalid Masud, Joseph A. Kéchichian, Brinkley Messick, Joseph A. Kéchichian, Ahmad S. Dallal, Jocelyn Hendrickson {{citar web|url=http://www.oxfordislamicstudies.com/article/opr/t236/e0243?_hi=14&_pos=4|titulo=Fatwa (em inglês)|data=|publicado=Oxford Islamic Studies}}</ref>
 
Sua autoridade é baseada na [[educação]] e no status do mufti dentro da comunidade. Se o inquiridor não for persuadido pela fatwa, ele é livre para ir a outro mufti e obter outra opinião; Mas uma vez que ele encontra uma opinião convincente, ele deve obedecer. Teoricamente, os muftis devem ser capazes de exercer um esforço de reflexão ([[ijtihad]]) jurídico independente das escolas de direito, embora os seguidores da tradição (''muqallids'') também possam emitir fatwas. Historicamente, as fatwas eram independentes do sistema judicial, embora alguns muftis estivessem oficialmente vinculados a vários tribunais. Nos sistemas políticos [[otomanos]] e [[Mogois|mogóismogois]], o grão-mufti foi designado como ''Shaykh al-Islam''. Outros muftis foram nomeados para cargos como inspetores de mercado, guardiões da moral pública e conselheiros do governo sobre assuntos religiosos. Sob o domínio colonial, as [[madraçais]] assumiram o papel de guias religiosos, e instituições especiais foram estabelecidas para emitir fatwas. Nos tempos modernos, a [[mídia impressa]] e [[Mídia eletrônica|eletrônica]] reforçou o papel eo impacto das fatwas, tornando-as instantaneamente disponíveis para o público. Os estados muçulmanos atuais tentaram controlar fatwas através de organizações consultivas oficiais dentro dos ministérios religiosos.<ref>{{citar web|url=http://www.oxfordislamicstudies.com/article/opr/t125/e646?_hi=14&_pos=1|titulo=Fatwa (em inglês)|data=|publicado=Oxford Islamic Studies}}</ref><ref>Muhammad Khalid Masud, Joseph A. Kéchichian, Brinkley Messick, Joseph A. Kéchichian, Ahmad S. Dallal, Jocelyn Hendrickson {{citar web|url=http://www.oxfordislamicstudies.com/article/opr/t236/e0243?_hi=14&_pos=4|titulo=Fatwa (em inglês)|data=|publicado=Oxford Islamic Studies}}</ref>
 
<h2>Fontes</h2><p>As fontes de fatwā incluem:</p>
*[[Universidade de Al-AzharAlazar]]
*Mufti Ebrahim Desai
*[http://www.hazrat.org/ Darul Iftaa, Bareilly Shareef] India