Diferenças entre edições de "Lúcio Élio Pláucio Lamia Eliano"

11 bytes removidos ,  23h19min de 26 de novembro de 2017
Eliano era casado com [[Domícia Longina]]<ref name=Jones-184/>, filha de [[Cneu Domício Córbulo]], e, no início de 70, quando [[Vespasiano]] ainda estava no [[Egito (província romana)|Egito]] consolidando seu poder, [[Domiciano]], o filho mais novo dele, se interessou por ela e os dois se tornaram amantes. Mais tarde, ela se divorciou do marido por ordem do imperador para que ela pudesse se casar com Domiciano<ref>[[Dião Cássio]], ''[[História Romana (Dião Cássio)|História Romana]]'' LXV.3,4.</ref>. Apesar deste começo conturbado, Eliano continuou nas graças da família imperial pelo menos até o reinado de Tito (r. 79-81) e foi cônsul sufecto em 80 por mais de cinco meses, um recorde durante a [[dinastia flaviana]].
 
Duas histórias foram preservadas sobre a forma como Lamia lidou com o divórcio. A primeira conta que, quando Tito o incentivou a se casar novamente, ele respondeu perguntando por que ele próprio não tentavaestava tentando encontrar uma esposa para ele novamente. Em outra ocasião, um amigo elogiou Lamia por causa de sua voz numa apresentação de canto e ele teria respondido que tem boa voz por que vive abstêmio. Em 81, quando o irritadiço Domiciano assumiu o trono depois da morte de Tito, Lamia foi executado com base nessas frases sarcásticas<ref>Jones, ''Domitian'', p. 185</ref><ref>[[Suetônio]], ''[[Vidas dos Doze Césares]]'', ''Vida de Domiciano'' X.2</ref>. O satirista [[Juvenal]] cita Lamia como um belo exemplo de um senador muito proeminente vítima de Domiciano<ref>[[Juvenal]], ''[[Sátiras (Juvenal)|Sátiras]]'' IV.154.</ref><ref name=Jones-184>Jones, ''The Emperor Domitian'' (London: Routlege, 1993), p. 184</ref>.
 
== Família ==