Diferenças entre edições de "Tia Nastácia"

1 363 bytes adicionados ,  19h17min de 27 de novembro de 2017
sem resumo de edição
| criador = [[Monteiro Lobato]]
}}
 
 
'''Tia Nastácia''' é uma personagem da obra de [[Monteiro Lobato]]. Foi de suas mãos que surgiu a boneca [[Emília (personagem)|Emília]].
A bondade extrema de tia Nastácia dava-lhe, no contexto do [[Sítio do Picapau Amarelo]] a função de escrava, o verdadeiro ar de brasilidade, junto a uma Dona Benta de formação cultural [[Europa|européia]]. Enquanto esta falava de [[Hans Staden]], e apresentava aos netos a [[Mitologia Grega]], foi pela boca de tia Nastácia que dezenas de Histórias do [[folclore brasileiro]] foram sendo narradas, com deleite, às crianças do sítio. Por seus lábios, personagens menosprezados do rico fabulário popular encontraram meios de chegar aos leitores mirins do Brasil, e tia Nastácia tornou-se o centro das atenções, em "Histórias de tia Nastácia" - um dos livros da série. Tia Nastácia é a personagem que representa a sabedoria popular, a sabedoria do povo.
 
Negra, de beiços grandes, assustada e medrosa, uma cozinheira de mão cheia. Sem os seus quitutes, a vida no Sítio não teria "sabor"… Tia Nastácia é famosa porprincipalmente causa de seuspelos deliciosos bolinhos, de modo que, segundo o livro ''O Saci'':
 
"… _quem''…quem comia uma vez os seus bolinhos de polvilho não podia nem sequer sentir o cheiro de bolos feitos por outras cozinheiras (…)''".
 
O problema é quando a prezada cozinheira mostra anseios de levar o porco [[Marquês de Rabicó|Rabicó]] para o forno, e só não fez isso pois o pobre poltrão é salvo da panela por [[Narizinho]].
 
Tia Nastácia é tipicamente [[Catolicismo|católica]] e muito supersticiosa. Na maioria das reinações das crianças, quando seres e acontecimentos fantásticos são introduzidos no sítio, ela costuma exclamar seu célebre "''credo!''", julgando se tratar de algo contra as leis da natureza. É muito devota de [[São Jorge]], ao qual ela chega a ser apresentada no livro ''Viagem ao Céu''.
Supersticiosa, a tudo esconjura com um "cruz-credo". Ou, como resumiu Emília, num raro elogio:
 
:
Apesar de retratada como uma simplória e ignorante negra velha de escassa educação, Tia Nastácia é muito querida no sítio, até mesmo pela implicante boneca [[Emília]], como esta esclarece em suas ''Memórias'':
 
"...''Eu vivo brigando com ela'' (Tia Nastácia) ''e tenho-lhe dito muitos desaforos — mas não é de coração. Lá por dentro gosto ainda mais dela do que seus afamados bolinhos (...)''"
 
O carinho das pessoas do sítio por ela é destacado no livro ''O Minotauro'', quando a negra é raptada pelo [[Minotauro|monstro mitológico]] e ficam todos aos prantos.
 
De acordo com ''O Saci'', ela tem cerca de 66 anos e é dois anos mais velha que Dona Benta.
 
Em ''Geografia de Dona Benta'' é mencionado que Nastácia fora, na juventude, escrava de Dona Benta, e vendida, na época, por dois contos e quinhentos. No mesmo livro afirma-se que sua mãe havia sido uma negra de [[Angola]], o que se contradiz mais tarde no livro ''Histórias de Tia Nastácia'', em que é contado que os pais dela foram um casal vindo de [[Moçambique]].
 
== Na televisão ==
531

edições