Diferenças entre edições de "Ikigai"

8 bytes removidos ,  18h45min de 8 de dezembro de 2017
m
Foram revertidas as edições de 179.104.20.139 (usando Huggle) (3.3.3)
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m (Foram revertidas as edições de 179.104.20.139 (usando Huggle) (3.3.3))
Etiqueta: Reversão
{{Wikificação|data=novembro de 2016}}
A palavra IKIGAI, originada na Ilha de huplhlil[[Okinawa (desambiguação)|Okinawa]], no sul do Japão, deriva de ''IKI'', que significa '''vida''' e ''KAI,'' '''realização de desejos e expectativas (生き甲斐)'''. Ou seja, os moradores desse arquipélago (denominado de ilhas [[Ryūkyū|Ryukyu]]) encontraram uma maneira singular de ver e viver a vida que propicia o encontro de sua “razão de ser” ou “o motivo pelo qual acordam todas as manhãs”. Esta maneira, por todos os benefícios que propicia, tem sido estudada por diversas universidades, buscando entender e replicar o modelo que está na base da filosofia de vida IKIGAI. De acordo com os japoneses, todos têm um IKIGAI. E descobrir qual é o seu requer uma profunda e, muitas vezes, extensa busca de si mesmo. Porém, essa busca é extremamente importante porque, somente a partir dela, é possível trazer satisfação e significado para sua vida. Não é à toa que nessa ilha, e devido também a esta filosofia, as pessoas tendem a viver além dos 100 anos de idade!
 
Portanto, IKIGAI é um estilo de vida que traga HARMONIA, LONGEVIDADE e a SATISFAÇÃO PLENA nas diferentes áreas da vida, permitindo assim alcançar a RAZÃO DE SER ou PROPÓSITO para a sua existência. A busca pelo sentido na vida está (na sociedade moderna) profundamente ligada ao entendimento de QUEM SOMOS (nossas crenças, relacionamentos, cultura, formação, etc), mas também em boa parte sobre O QUE FAZEMOS (profissão, vocação, trabalho, lazer, etc). Assim, em muitos casos nossa percepção sobre nossa RAZÃO DE SER dificilmente estará completa sem encontrarmos consonância entre o que somos e o que fazemos. Em outras palavras, em um mundo no qual nossa identidade apresenta uma profunda correlação entre o ser humano e seu trabalho (talvez um vício da sociedade industrial), são poucas as pessoas que se sentem felizes e com seu propósito realizado sem ter compreendido aspectos pessoais e profissionais.