Abrir menu principal

Alterações

92 bytes adicionados, 20h14min de 11 de dezembro de 2017
Alguma coisa errada. Apagou os links a Júlio César.
|nacionalidade = [[Cidadania romana|Romano]]
|cônjuge-tipo = Esposa
|cônjuge = [[Antístia]] {{small|({{AC|86|x}}–{{AC|82|x}})}}<br />[[Emília Escaura]] {{small|({{AC|82|x}}–{{AC|79|x}})}}<br />[[Múcia Tércia]] {{small|({{AC|79|x}}–{{AC|61|x}})}}<br />[[Júlia (filha de Júlio César)|Júlia]] {{small|({{AC|59|x}}–{{AC|54|x}})}}<br />[[Cornélia Metela]] {{small|({{AC|52|x}}–{{AC|48|x}})}}
|prole = [[Pompeu, o Jovem]]<br />Pompeia Magna<br />[[Sexto Pompeu]]
|partido = [[Optimates]]
'''Cneu Pompeu Magno''' (106&ndash;{{AC|48|x}}; {{langx|la|''Gnaeus Pompeius Magnus''}}), conhecido simplesmente como '''Pompeu''' ou '''Pompeu Magno''',<ref>Smith, Pompeius (10).</ref> foi um político da ''[[gens]]'' [[Pompeus|Pompeia]] da [[República Romana]], eleito [[Cônsul (Roma Antiga)|cônsul]] por três vezes, em 70, 55 e {{AC|52|x}}, com [[Marco Licínio Crasso]] nas duas primeiras vezes e [[Quinto Cecílio Metelo Pio Cipião Násica]] na última, com um período de um mês no qual não teve parceiro com poderes extraordinários. Pompeu era oriundo de uma rica família provincial e seu pai, [[Cneu Pompeu Estrabão]], cônsul em {{AC|89|x}}, foi o primeiro de sua família a alcançar a posição consular. Seu imenso sucesso como general ainda muito jovem abriu caminho para que ocupasse seu primeiro consulado sem seguir o caminho normal do ''[[cursus honorum]]'', a carreira esperada de um [[magistratura romana|magistrado]]. Foi também um vitorioso comandante durante a [[Segunda Guerra Civil de Sula]], que conferiu-lhe o [[cognome]] "Magno" ("o Grande"). Celebrou três [[triunfo romano|triunfos]] por conta de suas vitórias.
 
Em meados da década de {{AC|60|x}}, Pompeu se juntou a Crasso e a [[Júlio César]] na aliança político-militar extra-oficial conhecida como [[Primeiro Triunvirato]], selado com o casamento de Pompeu com a filha de César, [[Júlia (filha de Júlio César)|Júlia]]. Depois das mortes de Júlia e Crasso, Pompeu se aliou ao partido dos ''[[optimates]]'', a facção conservadora do [[senado romano]]. Pompeu e César lutaram então pela liderança do Estado Romano, o que levou à [[Segunda Guerra Civil da República Romana|guerra civil]] entre os dois. Quando Pompeu foi derrotado na [[Batalha de Farsalos]] ({{AC|52|x}}), ele tentou se refugiar no [[Reino Ptolemaico|Egito]], mas foi assassinado ao chegar. Sua carreira e sua derrocada final foram eventos importantes na transformação da [[República Romana]] no [[Principado romano|Principado]], a fase inicial do [[Império Romano]].
 
== Primeiros anos e início da carreira política ==
A carreira de Pompeu parece ter sido orientada pelo desejo de glória militar e pelo seu desprezo pelas tradições políticas vigentes.<ref>Holland, Rubicon, pgs. 141-42</ref> Num ato político muito comum na época, Pompeu casou-se com a enteada de Sula, [[Múcia Tércia]].<ref>{{citar periódico|título= Pompey|url = http://www.ancient.eu/pompey/}}</ref> Porém, nas eleições consulares de {{AC|78|x}}, Pompeu apoiou [[Marco Emílio Lépido (cônsul em 78 a.C.)|Marco Emílio Lépido]] contra a vontade de Sula, que o removeu de seu testamento. Sula morreu no mesmo e, quando Lépido se revoltou, foi Pompeu que sufocou sua rebelião a pedido do Senado. Logo depois, Pompeu pediu ao senado um [[governador romano|governo]] [[procônsul|proconsular]] na [[Hispânia]] para lidar com o último general ''popular'', [[Quinto Sertório]], que vinha resistindo já havia três anos às investidas de [[Quinto Cecílio Metelo Pio]], um dos mais habilidosos generais sulanos.<ref name="Plutarch, Life of Pompey, pg. 158">[[Plutarco]], ''[[Vidas Paralelas (Plutarco)|Vidas Paralelas]]'', pg. 158</ref>
 
A aristocracia romana o rejeitou, pois passou a temer o jovem, popular e vitorioso general, que se mostrou ser também ambicioso. Pompeu resolveu resistir e se recusou a desmobilizar suas legiões até que seu pedido fosse atendido.<ref name="Plutarch, Life of Pompey, pg. 158"/> O senado relutantemente concordou, concedendo-lhe o título e poderes de procônsul, iguais aos de Metelo, e enviou-o a Hispânia.<ref>Boak, History of Rome, pg. 152</ref> No caminho, Pompeu passou um ano subjugando tribos rebeldes no sul da [[Gália]] e organizando a [[província romana|província]].<ref>[[Cícero]], ''Pro lege Manilia''</ref>
 
Pompeu ficou na Hispânia entre 76 e {{AC|71|x}} e, por um longo tempo, não conseguiu encerrar a [[Guerra Sertoriana]] por conta das tática de [[guerrilha]] de Sertório. Apesar de não ter conseguido derrotar decisivamente o general rebelde, Pompeu venceu várias campanhas contra seus oficiais subordinados e gradualmente assumiu a vantagem sobre ele numa dura [[guerra de atrito]]. Sertório foi se enfraquecendo cada vez mais e, por volta de {{AC|74|x}}, Metelo e Pompeu estavam conquistando cidade após cidade numa sequência de vitórias.<ref name="Boak, History of Rome, pg. 153">Boak, History of Rome, pg. 153</ref> Em {{AC|72|x}}, os sertorianos controlavam pouco mais do que a [[Lusitânia]] e muitos de seus soldados estavam desertando.
[[Imagem:Bellum piraticum Pompeii 67 aC.png|miniaturadaimagem|Mapa da [[Campanha de Pompeu contra os piratas]] em {{AC|67|x}}]]
 
Dois anos depois de seu consulado, Pompeu recebeu o comando de uma força-tarefa naval cujo objetivo era eliminar a [[pirataria]] no [[mar Mediterrâneo]]. Os ''[[optimates]]'', a facção conservadora do senado se mostrou desconfiada e desgostosa em relação a esta nomeação, que parecia, novamente, ilegal ou, pelo menos, extraordinária.<ref name="Boak, History of Rome, pg. 160">Boak, History of Rome, pg. 160</ref> Os aliados de Pompeu neste caso, incluindo [[Júlio César]], eram a minoria, mais o apoio mais amplo foi conseguido pelo [[tribuno da plebe]] [[Aulo Gabínio]], que propôs a ''[[Lex Gabinia]]'', pela qual Pompeu assumiria o controle do mar e das costas até cinquenta [[milha romana|milhas]] para o interior. Esta lei colocou Pompeu acima de todos os demais líderes militares no oriente e passou, apesar de uma veemente oposição, no senado.
 
Segundo os historiadores romanos, piratas frequentemente saqueavam as cidades costeiras da Grécia, da [[Ásia (província romana)|Ásia]] e da própria Itália. A natureza e a proporção da ameaça são questionáveis, mas qualquer ameaça ao [[Suprimentos de cereais da cidade de Roma|suprimento de cereais para Roma]] costumava tomar grandes proporções na época. A opinião pública na capital e os aliados de Pompeu podem ter exagerado o problema justamente para conseguir uma resposta exagerada. Vários povoados, povos e [[cidade-estado|cidades-estado]] na costa do Mediterrâneo haviam coexistido por diversos séculos e a maioria operava flotilhas para a guerra ou para o comércio de bens, inclusive de escravos. A aliança entre elas era vaga e temporária; apenas algumas se enxergarem como nações ''per se''.<ref name="books.google.co.uk">De Souza, 149&nbsp;– 179. Versão online limitada em [https://books.google.com/books?id=SOK-Jh1Zuk4C&pg=PA176&lpg=PA176&dq=Pompey+pirates+Cilicia&source=bl&ots=hQQD-ajV8Z&sig=0ZBzK2OAZJ_p_JFPYgKp4motCTg&hl=en&ei=xn5wS72eAcK7jAeM_NzqBg&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=5&ved=0CBMQ6AEwBDge#v=onepage&q=Pompey%20pirates%20Cilicia&f=false]</ref>
== César e o Primeiro Triunvirato ==
{{AP|Primeiro Triunvirato}}
Embora Pompeu e Crasso não confiassem um no outro, os proprietários de terra [[Cliente (Roma Antiga)|clientes]] de Crasso estavam sendo destratados ao mesmo tempo que os veteranos de Pompeu estavam sendo ignorados, o que os levou, já em {{AC|61|X}}, a uma aliança com [[Júlio César]], que era seis anos mais novo que Pompeu e estava retornado de seu mandato na [[Hispânia]] e pronto para concorrer ao consulado de {{AC|59|x}}. A aliança entre os três, posteriormente conhecida como "[[Primeiro Triunvirato]]", era benéfica aos três. Pompeu e Crasso fariam de César o novo cônsul e este, por sua vez, utilizaria seus novos poderes para avançar as causas que interessavam aos dois no Senado.
 
O consulado de César em {{AC|59|x}} conseguiu liberar as terras para os veteranos de Pompeu, confirmou seus assentamentos asiáticos e valeu-lhe uma nova esposa. [[Júlia (esposa de Pompeu)|Júlia]] era filha de César e as fontes afirmam que Pompeu se apaixonou por ela.<ref>Boak, History of Rome, pg. 167</ref> No mesmo ano, [[Públio Clódio Pulcro|Clódio]] renunciou ao seu status de [[patrício romano|patrício]], foi adotado por uma [[gente romana|gente]] [[plebe romana|plebeia]] e foi eleito [[tribuno da plebe]]. No final de seu mandato consular, César assegurou para si um comando [[procônsul|proconsular]] na [[Gália]], seu grande desejo. Pompeu recebeu o [[governo romano|governo]] da [[Hispânia Ulterior]], mas permaneceu em Roma para supervisionar o [[suprimento de cereais para Roma|suprimento de cereais]] como [[curador da anona]].<ref name="Boak, History of Rome, pg. 169">Boak, History of Rome, pg. 169</ref>
[[Imagem:Adrienne lecouvreur dans cornlie.jpg|miniaturadaimagem|Pintura de [[Adrienne Lecouvreur]], uma famosa atriz francesa do {{séc|XVIII}}, no papel de [[Cornélia Metela]], a última esposa de Pompeu, com as cinzas do marido nas mãos. Imagem de uma montagem de "A Morte de Pompeu", de [[Pierre Corneille]].<br><small>1742. Por [[Antoine Coypel]], em local desconhecido</small>]]
 
Pompeu casou-se cinco vezes e teve diversos filhos. A primeira com [[Antístia]], com quem não teve filhos e sobre quem não há mais informações. Logo depois, como [[Emília Escaura]] ({{AC|82|x}}), uma neta de [[Lúcio Cornélio Sula]], que já estava grávida e morreu no parto. Sua terceira esposa foi [[Múcia Tércia]] ({{AC|80|x}}), com quem teve [[Cneu Pompeu (filho de Pompeu Magno)|Cneu Pompeu]], executado em {{AC|45|x}} depois da [[Batalha de Munda]], [[Pompeia (filha de Pompeu Magno)|Pompeia]], casada com [[Fausto Cornélio Sula (senador)|Fausto Cornélio Sula]] e ancestral de [[Cneu Pompeu Magno (marido de Cláudia Antônia)|Cneu Pompeu Magno]], que se casou com [[Cláudia Antônia]], filha do imperador [[Cláudio]], e [[Sexto Pompeu]], o grande general e almirante que liderou a [[Revolta Siciliana]] depois da morte do pai. Segundo Cícero, Pompeu divorciou-se de Múcia por acusações de [[adultério]]. Para sedimentar o [[Primeiro Triunvirato]], Pompeu casou-se com [[Júlia (esposa de Pompeu)|Júlia]] ({{AC|59|x}}), filha de [[Júlio César]], que, segundo as fontes, ele amava muito e cuja morte, no parto do que seria o único filho dos dois, foi um dos motivos do rompimento entre os dois. Sua última esposa, [[Cornélia Metela]] ({{AC|52|x}}), era filha de um dos grandes inimigos de César, [[Metelo Cipião]]. Ela estava com Pompeu no dia de sua morte, mas o casal não teve filhos.
 
== Cronologia ==
* Na cena de abertura do filme "[[O Rei dos Reis (1961)|O Rei dos Reis]], foi representado pelo ator [[Conrado San Martín]].
* Na série de televisão "[[Xena: A Princesa Guerreira]]", seu papel foi representado pelo ator [[Jeremy Callaghan]].
* [[Chris Noth]] representou Pompeu na minissérie [[Júlio César (minissérie)|Júlio César]] em 2002.
* Na primeira temporada da série televisiva [[Roma (série de TV)|Roma]], Pompeu foi representado pelo ator [[Kenneth Cranham]].
* Na série de TV ''"[[Spartacus: War of the Damned]]"'', Pompeu é retratado pelo ator [[Joel Tobeck]].