Abrir menu principal

Alterações

44 bytes adicionados ,  19h25min de 22 de dezembro de 2017
sem resumo de edição
|lançado = {{Data de início|2004|09|20}}
|gravado = 18 de abril de 2003 – 26 de março de 2004
|estúdio = Studio 880<br>{{pequeno|([[Oakland (Califórnia)|Oakland]], [[Califórnia]])}}<br>Ocean Way Recording<br>{{pequeno|([[Hollywood]], Califórnia)}}
|gênero = [[Pop punk]], [[rock alternativo]], [[punk rock]]
|duração = {{Duração|m=57|s=12}}
'''''American Idiot''''' é o sétimo [[álbum de estúdio]] da banda [[Estados Unidos|americana]] [[Green Day]]. O seu lançamento ocorreu em 20 de setembro de 2004 através da [[Reprise Records]]. Com [[Produtor musical|produção]] de [[Rob Cavallo]], o disco foi gravado entre abril de 2003 e março de 2004 em estúdios localizados no estado da [[Califórnia]]. O grupo conquistou popularidade na [[década de 1990]], lançando diversos álbuns bem-sucedidos. Após as vendas desapontadoras do sexto trabalho do trio, ''[[Warning (álbum de Green Day)|Warning]]'', de 2000, a banda entrou em um recesso antes de gravar sua próxima obra, que viria a se chamar ''[[Cigarettes and Valentines]]''. O processo de gravação foi por água abaixo quando as fitas mestre do disco foram roubadas. Ao invés de regravar o material, o conjunto tomou a decisão de começar do zero.
 
Um [[álbum conceitual]] derivado dos gêneros do [[pop punk]] e do [[rock alternativo]] e descrito pelos membros como "uma [[ópera rock|ópera]] [[punk rock]]", ''American Idiot'' segue a história de Jesus of Suburbia, um adolescente americano de [[classe média baixa]] e um [[anti-herói]]. Através de seu enredo, o disco expressa a desilusão e a insatisfação de uma geração que cresceu em um período marcado por eventos tumultuosos como a [[Guerra nodo Iraque]]. O produto foi inspirado por diversos músicos e pelo trabalho dos [[Inglaterra|ingleses]] do [[The Who]]. Sua capa apresenta uma granada com formato de coração posicionada em uma mão.
 
''American Idiot'' marcou a retomada da carreira do Green Day após um período de declínio na sua popularidade. Registrou entrada nas paradas de 27 países, chegando ao topo em dezenove deles, e acabou por vender dezesseis milhões de cópias mundialmente. Cinco ''[[single]]s'' foram lançados a partir do disco: "[[American Idiot (canção)|American Idiot]]", "[[Boulevard of Broken Dreams]]", "[[Holiday (canção de Green Day)|Holiday]]", "[[Wake Me Up When September Ends]]" e "[[Jesus of Suburbia]]". O álbum foi aclamado pela crítica e ganhou o [[Grammy Award|Grammy]] de [[Grammy Award para Best Rock Album|Melhor Álbum de Rock]] em 2005. Seu sucesso inspirou um [[American Idiot (musical)|musical da Broadway]] e uma adaptação para o cinema, ainda a ser lançada. O disco tem sido elogiado mesmo anos após seu lançamento, tendo sido incluído em diversas listas que compilaram os melhores trabalhos do ano e da década.
Nessa altura, as coisas haviam chegado ao ponto de existir brigas não resolvidas entre os três membros. A banda estava "briguenta e miserável", de acordo com o [[baixista]] [[Mike Dirnt]], e precisava de uma "mudança de direção".<ref name="rs05.2" /> Em adição, acabava de ser lançada a [[Álbum de grandes êxitos|coletânea de grandes sucessos]] ''[[International Superhits!]]'', que a banda sentiu ser "um convite à [[crise da meia-idade]]".<ref name="time">{{cite news |title=Green Party |pages=60–62 |work=[[Time (revista)|Time]] |author=Josh Tyrangiel |date=31 de janeiro de 2005 |volume=165 |issue=5}}</ref> O [[vocalista]] do grupo, [[Billie Joe Armstrong]], ligou para Dirnt e perguntou: "Você quer continuar a fazer a banda?" Ele sentia-se inseguro, tendo tornado-se "fascinado e aterrorizado" por seu modo de vida imprudente, e seu casamento estava correndo perigo.<ref name="kerrang05.1" /> Dirnt e o [[baterista]] [[Tré Cool]] viam-no como controlador, enquanto Armstrong relutava em mostrar novas canções a seus companheiros.<ref name="rs05.2" /> A partir de janeiro de 2003, o grupo passou a ter encontros semanais, o que resultou em um sentimento de revitalização nos integrantes.{{sfn|Lanham|2004|p=118}}<ref name="blender06" /> Eles focaram em dar mais atenção às ideias de Cool e Dirnt, com "mais respeito e menos críticas".<ref name="kerrang05.1">{{cite journal|author=Tom Bryant|title=Blaze of Glory|date=3 de dezembro de 2005|work=[[Kerrang!]]|volume=|location=[[London]]|issn= 0262-6624|publisher=Bauer Media Group|issue=1085}}</ref>
 
Grande parte do ano de 2002 foi passada no Studio 880 em [[Oakland (Califórnia)|Oakland]], [[Califórnia]], onde novo material estava a ser gravado para um álbum chamado ''[[Cigarettes and Valentines]]'';{{sfn|Spitz|2006|p=152}} estavam a ser criadas "canções de [[polka]], versões explícitas de músicas de [[Natal]] [e] faixas de [[salsa]]" para o projeto, com a esperança de estabelecer algo novo para o som do Green Day.<ref name="rs05.2" /> Depois de completar em torno de vinte músicas, as fitas mestre cruas foram roubadas em novembro de 2002.{{sfn|Pappademas|2004|p=66}} Os membros do grupo disseram que não tinham ideia de onde estavam as fitas até 2016, quando, durante uma entrevista para a ''[[NME]]'', Armstrong e Dirnt disseram ter recuperado o material e que a banda estava a usá-lo para novas ideias.<ref>{{citar web|url=http://www.nme.com/news/music/green-day-cigarettes-and-valentines-lost-album-interview-listen-1862365|língua=en|autor=Andrew Trendell|título=Green Day reveal the fate of 'lost' pre-'American Idiot' album 'Cigarettes And Valentines'|obra=[[NME]]|data=18 de novembro de 2016|acessodata=22 de dezembro de 2017|arquivourl=https://web.archive.org/web/20170118042702/http://www.nme.com/news/music/green-day-cigarettes-and-valentines-lost-album-interview-listen-1862365|arquivodata=18 de janeiro de 2017}}</ref> Com o roubo, o grupo consultou seu produtor de longa data, [[Rob Cavallo]], sobre o que fazer em seguida. Cavallo disse-os para pensar se as faixas perdidas representavam "o melhor trabalho" da banda.{{sfn|Spitz|2006|p=153}} De acordo com Armstrong: "Não podíamos olhar para nós mesmos e pensar: 'Isso foi a melhor coisa que já fizemos'. Então decidimos seguir e frente e fazer uma coisa completamente nova".{{sfn|Pappademas|2004|p=67}}<ref name="ew05" /> Eles concordaram em passar os próximos três meses escrevendo novas faixas.{{sfn|Spitz|2006|p=154}}
 
== Composição ==
17 532

edições