Abrir menu principal

Alterações

2 833 bytes adicionados ,  00h13min de 23 de dezembro de 2017
 
O disco abre com "[[American Idiot (canção)|American Idiot]]", uma canção [[pop punk]] articulada em torno de um ''[[riff]]'' rápido e enérgico, já apresentado nos primeiros segundos da canção, que trata sobre a política americana à época e a influência da mídia na opinião pública; a música expressa, ainda, o desejo de não ver o [[povo americano]] tornar-se "idiotas liderados por um presidente estúpido" e os Estados Unidos tornarem-se um país odiado internacionalmente.<ref name="americanidiot">{{Citar web|língua=en|título=American Idiot {{lang|en|song meaning}} |url=http://www.geekstinkbreath.net/greenday/song-meanings/american-idiot/ |publicado=geekstinkbreath.net |acessodata=22 de dezembro de 2017}}</ref> Esta primeira faixa é uma visão geral da temática de protesto e rebelião que permeia todo o álbum, e funciona como uma introdução à história de Jesus of Suburbia, que é apresentado na segunda faixa, que leva seu nome. "[[Jesus of Suburbia]]" é dividida em cinco partes. Ele se introduz na primeira, descrevendo-se como "''o filho da raiva e do amor''";{{Nota de rodapé|No [[Língua inglesa|original]]: "''The son of rage and love''".}} nas partes seguintes, "City of the Damned" e "I Don't Care", expressa sua visão pessimista em relação aos subúrbios e ao mundo ao seu redor.<ref name="jos">{{Citar web|língua=en |título=Jesus of Suburbia {{lang|en|song meaning}} |url=http://www.geekstinkbreath.net/greenday/song-meanings/jesus-of-suburbia/ |publicado=geekstinkbreath.net |acessodata=22 de dezembro de 2012}}</ref> No pedaço intitulado "Dearly Beloved", Jesus of Suburbia mostra-se cansado de estar sozinho e se sentir abandonado; portanto, na última parte da canção, "Tales of Another Broken Home", ele percebe que não está a viver, apenas a existir, e decide mudar-se para começar uma nova vida.{{sfn|Spitz|2006|p=165}} Segue-se "[[Holiday (canção de Green Day)|Holiday]]", uma música que assemelha-se a "American Idiot" em sua composição, já que também apresenta um rápido ''riff'' de introdução na guitarra. É a segunda faixa no disco a criticar abertamente a política americana;<ref name="kerrang12"/> Armstrong expressa suas preocupações com a [[política externa]] de Bush, particularmente em relação à Guerra do Iraque e lamenta pelas vítimas desse conflito e de [[atentado terrorista|atentados terroristas]] em trechos como "''Uma vergonha, aqueles que morreram sem nome''".{{Nota de rodapé|No original: "''A shame, the ones who died without a name''"}}<ref name="holiday">{{Citar web|língua=en|título=Holiday {{lang|en|song meaning}} |url=http://www.geekstinkbreath.net/greenday/song-meanings/holiday/ |publicado=geekstinkbreath.net |acessodata=22 de dezembro de 2012}}</ref>
 
"[[Boulevard of Broken Dreams]]", uma composição mais calma e lenta que as anteriores, segue o disco. Inicia-se com Armstrong cantando sobre um [[violão]], e segue a mesma [[progressão harmônica]] de "[[Wonderwall]]", do grupo britânico [[Oasis]]; dessa forma, o Green Day recebeu críticas do vocalista do Oasis, [[Noel Gallagher]].<ref>{{Citar web|língua=en|autor=Elizabeth Goodman|título=Noel Gallagher Turns Loathing of Green Day Into Personal Pastime|obra=[[Rolling Stone]]|data=20 de dezembro de 2006|url=https://www.rollingstone.com/rockdaily/index.php/2006/12/20/noel-gallagher-turns-loathing-of-green-day-into-personal-pastime/|acessodata=22 de dezembro de 2017}}</ref> Jesus of Suburbia percebe que sua sensação de liberdade acabou e que ele deve enfrentar a solidão, as ruas vazias da cidade e o abandono.<ref name="boulevard">{{Citar web|língua=en|título=Boulevard of Broken Dreams {{lang|en|meaning}} |url=http://www.geekstinkbreath.net/greenday/song-meanings/boulevard-of-broken-dreams/ |publicado=geekstinkbreath.net |acessodata=22 de dezembro de 2017}}</ref> O jeito que ele imaginava a cidade, com [[Néon|luzes de néon]] e [[arranha-céu]]s, colapsa, e ele aceita em "Are We the Waiting" que tem que superar sua frustração e essa visão para sentir-se bem.<ref name="arewe">{{Citar web|língua=en|título=Are We the Waiting {{lang|en|meaning}} |url=http://www.geekstinkbreath.net/greenday/song-meanings/are-we-the-waiting/ |publicado=geekstinkbreath.net |acessodata=22 de dezembro de 2017}}</ref> A faixa, estilisticamente semelhante à anterior, também pode ser interpretada como um reflexo da frustração do vocalista com a situação do mundo.<ref name="arewe"/> A sexta obra, "St. Jimmy", apresenta influências do punk rock na sua introdução e é cantada por Armstrong em uma guitarra elétrica tocada em ''[[palm mute]]''. Este tema rápido e áspero relata o encontro de Jesus of Suburbia com seu ''[[alter ego]]'', St. Jimmy;<ref name="jimmy">{{Citar web|língua=en|título=St. Jimmy {{lang|en|meaning}} |url=http://www.geekstinkbreath.net/greenday/song-meanings/st-jimmy/ |publicado=geekstinkbreath.net |acessodata=22 de dezembro de 2017}}</ref> ele representa a parte contenciosa e destrutiva de Jesus: um rebelde de sangue frio, incrível e autossuficiente; uma pessoa que ele nunca foi.<ref name="jimmy"/> Essa nova vida continua a ser expressa em "Give Me Novocaine", uma obra que apresenta violão; ela narra o protagonista a experimentar drogas e a fazer o que St. Jimmy lhe diz. A canção também trata sobre os ''[[reality show]]s''.<ref name="novacaine">{{Citar web|língua=en|título=Give Me Novocaine {{lang|en|meaning}} |url=http://www.geekstinkbreath.net/greenday/song-meanings/give-me-novocaine/ |publicado=geekstinkbreath.net |acessodata=22 de dezembro de 2017}}</ref>
 
==Recepção==
17 539

edições